Jump to content

ANUNCIANTES

Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 05/24/2020 in Posts

  1. 2 points
    Olá amigos do fórum. A Snyper está lançando mais chumbos para sua linha tradicional assim como uma nova linha, a "Titanium". Todos são no calibre 5,5 mm (.22). Estes novos modelos já estão disponíveis no mercado. Linha "Snyper" Linha "Titanium"
  2. 2 points
    Mais vergonhoso mesmo é gente que vende review para essa ou aquela loja, insistindo que tudo é uma maravilha tapando o sol com peneira!
  3. 2 points
    De todos os defeitos, que são vergonhosos, que foram enumerados por aqui àquele que mais me chamou a atenção foi a pessima qualidade da liga metalica do gatilho...este é um item critico, de segurança, se o mesmo não operar da forma correta pode ocasionar acidentes...é uma verdadeira loucura a empresa fxr despejar no mercado um rifle que possa oferecer tal risco aos seus usuarios...ver um gatilho se desmanchando a cada tiro sem uma trava de segurança mais operacional é inadimissivel e com certeza isso pode incorrer em acidentes. Carecemos de orgãos de controle e regulação que venham a manter seguro a nossa pratica esportiva...não podemos admitir que uma empresa em vistas de obter lucro coloqu em risco o nosso esporte. Rifles de ar comprimido não são brinquedos...não é como se fossemos comprar um sapato...que pode vir com problemas de costura...mal acabado...etc...um sapato mal acabado não ira por a vida de seu usuario em risco...uma carabina de ar pode.
  4. 1 point
    Pois é, acabou sendo eu. Tem várias alternativas no mercado para se tentar fazer isto, a mais barata é um adaptador macho-macho para plugar a mangueira da estação de recarga com a mangueira da bomba PCP: Também é possível comprar o seguinte adaptador no mercadolivre: Pode-se ligar direto na mangueira este adaptador ou a estação de recarga de diversas formas com diversos itens à venda no mercado, fica à vontade do interessado. A opção mais cara que encontrei foi esta: Vencida a etapa de preparação e conectado a bomba no cilindro através da estação de recarga, vamos as bombadas, no meu caso o cilindro estava completamente zerado, sem ar algum, tanto o relógio da bomba, como o relógio da estação e do próprio cilindro marcavam zero, estavam no ponto inicial. Com a válvula do cilindro fechada, dei 18 bombadas para que os mostradores de estação e da bomba indicassem 200 BAR, enquanto que o relógio do cilindro continuava sem marcar nenhuma pressão, esperei alguns minutos e a pressão não baixou, considerei aprovado o primeiro teste de vedação. Abri a válvula e deu para ouvir o ar passando para dentro do cilindro enquanto que os ponteiros iam retornando ao zero. O experimento prosseguiu, a cada 50 bombadas um descanso para o bombador de cinco minutos com o fechamento da válvula do cilindro ao fim de cada ciclo, mais 50 bombadas e um descanso, agora de dez minutos para esfriar a bomba que ao toque aparentava estar bem quente, apenas na parte de atrito que faz o vai e vem ao longo do cilindro prateado dela, todo o resto, mangueiras, estação de recarga e cilindro de 7,6 litros permaneceram em temperatura ambiente (medido ao toque da mão, sem termômetro). Cada ciclo de 50 bombadas levou em média de 1 minuto e 15 segundos a 2 minutos. Quando cheguei nas 800 bombadas comecei a desconfiar de algum vazamento porque nenhum ponteiro havia se movido ainda, então coloquei o cilindro debaixo de água, dentro de um balde, com a finalidade de detectar algum escape de ar: Dei 50 bombadas com o cilindro debaixo da água e não percebi nenhuma bolha de ar, só apareceu mesmo uma mancha de óleo na superfície, quando retirei tudo da água, percebi três coisas: primeira; o ponteiro do relógio da estação saiu do zero (850 bombadas): Em detalhe: Enquanto que os outros dois permaneciam no zero, segunda; outra coisa que notei foi que estava vazando a glicerina no manômetro da estação, optei pela troca, em detalhe no post abaixo: Terceira; ao fazer a sangria da estação de recarga saiu bastante água, inicialmente esbranquiçada como uma espuma de sabão: E aos poucos foi ficando clara: Eu estimo a quantidade em ¼ de centímetro cúbico, medindo por comparação com uma quantidade igual dentro de uma seringa, olha que isso ocorreu depois de retirar o cilindro da água e secar bem tudo por fora. Umidade relativa do ar em média de 70% durante as bombadas. Temperatura entre 20 e 25°C. Meu plano inicial era a cada 1000 bombadas fazer uma sangria e lubrificar a bomba, depois bombar até atingir 200 BAR nas mangueiras para só então abrir a válvula do cilindro e continuar na sequência, depois mudei de ideia e passei a fazer a sangria e lubrificação de forma aleatória, independente da quantidade de bombadas. Com o novo manômetro instalado, retomei às atividades de bombeamento: Com 1250 bombadas o ponteiro do manômetro do cilindro se movimentou quase um milímetro. Com 1550 bombadas o ponteiro do manômetro da bomba se movimentou um pouco saindo do zero. Com 2000 bombadas os ponteiros ficaram assim: Com 3000 bombadas: Nesta altura notei que o óleo que saia da bomba escureceu: Com 3600 bombadas o manômetro da bomba atingiu 1000 PSI: Limpei o óleo em excesso da bomba e olhei o pano no microscópio, deu para notar pequenos pedaços de limalha dourada, parece que a bomba não vai aguentar ou podem ser apenas restos da fabricação. Com 4450 bombadas notei que para abrir a válvula do cilindro bastavam apenas 1/8 de volta, enquanto que no começo, quando não havia pressão alguma, era preciso girar meia volta para o ar passar. Também notei que o esforço físico no acionamento da bomba foi crescendo gradualmente conforme o nível da pressão. Com 5000 bombadas o manômetro da bomba atingiu 100 BAR: Também percebi que as solas das minhas mãos ficaram avermelhadas e creio que se der mais cinco mil bombadas vou acabar ficando com bolhas, a não se que use luvas. Hora de parar um pouco e analisar a situação para ver se vale a pena continuar, em primeiro lugar calculando o tempo gasto para chegar nas 5000 bombadas; considerando cada ciclo de 100 levando 19 minutos (4 minutos de bombadas e 15 minutos de parada) (bomba dois minutos espera cinco, bomba 2 minutos espera 10) dá 500 vezes 19 minutos, arredondando para 20 minutos, seria algo em torno de 10.000 minutos, dividido por 60 dá 167 horas arredondadas, considerando que trabalhou seis horas por dia chegamos em 28 dias, praticamente um mês de meio expediente ou 15 dias de 12 horas, sem folgas semanais. Cada pessoa tem seu preço, ou melhor, cada um tem uma estimativa de quanto custa seu tempo, por exemplo um salário mínimo para quem recebe fica arredondado em torno de R$ 1.000,00 e se fizer meio expediente recebe a metade disto. Não se leva em conta para quem está empregando, ou melhor, pagando o salário, porque os encargos duplicam o valor. Considerando também que se gasta R$ 50,00 em média para carregar um cilindro, seja ele de 10 ou de 7,6 litros, de 200 ou 300 BAR, a conclusão lógica é que não compensa tentar recarregar um cilindro utilizando uma bomba PCP. Se eu fosse receber meio salário mínimo para ficar bombeando até encher os cilindros, levaria meu patrão à falência, pois demoraria dois meses para dar um lucro de R$ 50,00. Diante das opções no mercado, o atirador quando quer investir faz as suas contas dentro das principais opções: 1) Comprar um cilindro(+-1000) e uma estação de recarga (+-200), realizando o recarregamento do cilindro quando necessário(+-50 a cada vez). 2) Comprar apenas a bomba PCP (+-800) e bombear quando necessário. 3) Comprar apenas o compressor elétrico (+-4000) e bombear quando necessário. 4) Comprar tudo que existe disponível no mercado (+-6000) e se divertir com as opções. Para cada situação tem os prós e os contras: Na opção mais barata, de se possuir apenas a bomba PCP, tem a desvantagem do esforço físico para bombear que vai influenciar negativamente no resultado da precisão do tiro, o atirador vai estar mais cansado entre uma e outra sessão de tiros, entretanto no quesito transporte e mobilidade ganha com o menor volume a ser transportado. Na opção do cilindro a questão do esforço físico não tem influência alguma, o atirador não se cansará entre uma e outra sessão de tiros, ocorre, porém que no quesito transporte e mobilidade, o volume e o peso são bem maiores, cabendo a decisão de escolha ao atirador que vai analisar a sua rotina, por exemplo, se vai atirar sempre dentro de casa, só vai precisar realizar o transporte quando for levar para recarregar e conforme o caso, se não houver um serviço de delivery, nem precisa ter carro, pode pagar um taxi, já no caso do atirador assíduo de stand de tiro, um meio de transporte próprio se torna indispensável. No caso do compressor elétrico, o grande diferencial está em ter uma fonte de energia elétrica e algum conhecimento técnico para desfrutar com segurança de seus benefícios, levando-se em conta também seu volume e peso. Para o caso daquele em que o dinheiro não é o problema, que pode ter tudo que existe no mercado, não há o que se comentar, basta apenas se divertir. Considerando tudo isso, não é viável financeiramente recarregar um cilindro com a bomba PCP, sai mais barato pagar para recarregar porque mesmo se achando que não vai gastar nada dando as bombadas, por trás disto tem o fator tempo, pode-se levar dois ou três meses para carregar um cilindro, além do fator desgaste, para um único cilindro, pode ser que 15 mil bombadas acabe com a vida útil da bomba, se bem que o bombador não precisará gastar dinheiro com academia, e tem ainda o abrir e fechar da torneira do cilindro em torno de 1500 vezes mas, também deve se levar em conta a exposição do bombador ao eventual risco de explosão do cilindro caso alguma coisa dê errado no processo de recarga. Nestas horas eu queria ser um médico psicanalista, quando aparecesse um paciente com depressão eu dava na mão dele um cilindro com a bomba e falava para ele ir enchendo e contando, só voltar quando o ponteiro atingir a marca vermelha, quando ele voltar e perguntar o que deve fazer, eu diria que o tratamento está indo bem e que deveria esperar eu esvaziar o cilindro para ele encher de novo. Toma-lhe bomba!
  5. 1 point
  6. 1 point
    Não tenho interesse no tópico em si, pois pouco entendo ..mas me admira o capricho, a paciência e o domínio seu e de alguns que contribuem.Fico só vendo as peças . Vcs precisam fazer/produzir PCPs desde o início ,não falta conhecimento. Sigo torcendo p dar certo...
  7. 1 point
    Comprei um lote delas usadas, todas faltando a ocular e as torres. Na realidade eu não queria usar para atirar, queria mesmo era encontrar defeitos e tentar consertar. Então compartilho minhas descobertas, a primeira é sobre as torres: Olhando no buraco que ficou, tudo leva a crer que sejam fixadas por meio de rosca com cola, ainda sobrou um pouco dela nas roscas e na superfície de contato. Outra interessante é a rosca no castelo ou casa das torres: Eu achava que era peça única mas, é com rosca de um lado, ainda não vi como é o outro lado, é travada com cola. Aproveitando, a capinha "BSA Made in China" cobre um parafuso aparentemente sem utilidade, eu imagino que seja para vedar o gás. Não tem cola nele e também não estava apertado, saiu com facilidade, olhando por dentro, ele nem chega a atravessar a parede. Na parte da capa da ocular, tem um anel de trava externo, de um lado dele tem uma vedação de borracha: A capa ao ser desrosqueada não sai sem antes remover um anel de metal: Acima com parte dele já fora do cavado aonde se encaixa e abaixo na posição que fica antes de ser removido: A sequência parece ser esta: Mas, acontece que ao desmontar outra luneta, o anel de borracha estava no lado oposto e até se rompeu quando girei a contra porca: Agora não sei qual é a posição correta, se do lado da lente ou do lado da ocular, eu imagino que o certo seria do lado da ocular por uma mera questão de vedação. Olhando com mais detalhe nesta contra porca: Um lado dela tem um cavado para o encaixe do anel de borracha, que inclusive não é redondo, é meio em forma de L, já do outro lado não tem o cavado: É liso. Continuando na remoção, embaixo do anel de mudar a ampliação 8-32, tem mais dois anéis de vedação: Na foto o detalhe de apenas um e a posição em que fica. Por fim, apenas por hoje, o parafuso da lente: Que estava praticamente solto, parece que serve para destravar a rosca da lente. Quando eu continuar o trabalho, publico mais novidades.
  8. 1 point
    amigo tenho a royal e uma polimero .. e te digo pelo menos pra mim a polimero com enchimento na coronha fica mais gostaosa de atira que a royal ... experimenta por um enchimento la ...
  9. 1 point
    Disponham, eu que agradeço pelo espaço e oportunidade oferecida pelo fórum. Esta está sendo a restituição de R$ 15,00 mais suada de minha vida, já cheguei na fase de autorização de estorno no cartão de crédito, só falta agora aparecer na fatura. O único problema é que o vendedor não responde e assim fiquei no prejuízo do valor da compra. Fiz um passo a passo para quem se interessar em dar entrada no pedido: https://www.clubedohardware.com.br/forums/topic/1453912-passo-a-passo-restituição-taxas-e-impostos-no-caso-de-extravio-da-encomenda/
  10. 1 point
    Boa tarde Denis, belo agrupamento, com certeza é todo o conjunto que faz essa diferença (equipamento e atirador), parabéns! Quanto a sua Norica de uma olhada neste post - MANUTENÇÃO EM NORICA DREAM HUNTER 5,5 lá eu mostro como resolvi em parte o arrasto do gatilho, e como disse o Luiz dando uma lixada / polida ele melhora um pouco, o negócio é aprender a atirar com esse tipo de gatilho, aí você vai administrar o conjunto e acertar seus alvos.
  11. 1 point
    Procure no ML por Padronizador Desamassador De Chumbo Cal. 4.5, E 5.5mm
  12. 1 point
    Com certeza quando do ajuste do cano/bloco ao cilindro houve uma remoção de material e a parte superior foi a que mais perdeu material, suprimindo assim parte do seu escareado.
  13. 1 point
    Parabéns pelos grupos, ficou um conjunto excelente... só terás alegria com ela!
  14. 1 point
    Flat head light...tem agrupado muito bem comparando com lotes importado...o medium e heavy ja abre um pouco...kit olímpico abaixa bem o Vo...e o light casou bem...nos 10 metros Enviado de meu SM-J710MN usando o Tapatalk
  15. 1 point
    Fala Galera Segue um agrupamento feito com a gamo CFX no calibre 4.5mm, a carabina foi customizada com uma redução da mola em 4cm, mola encamisada, colocação de guia de mola em nylon, bucha de pu original gamo e pequena lubrificação com graxa de silicone....a carabina esta dando de 238 a 240m/s chumbo de 8,33 grains aproximadamente 15,54 joules, No meu outro post a carabina estava dando apenas 702fps - 213m/s, dando 12,4 joules ...eu havia usado chrono connect de celular...rsrs...ficou bem longe da realidade...gostaria de usar este post para partilhar meu resultado atual com a carabina e de também corrigir o Vo da minha carabina, a cronografagem atual foi realizada por aquele cronografo chines indicado pelo colega Karolaza. Posição de tiro: Bench Rest 5 tiros Chumbo utilizado: Rifle Premiun Round Distancia: 20 metros
  16. 1 point
    Verdade, o gatilho é pesado, mas eu me acostumei. Dei umas lixadas e melhorou, mas só um pouco.
  17. 1 point
    Verdade Willammns Para mim um review bem feito deve ser feito por atiradores que não visem vantagens financeiras...e sim motivados por dar uma informação fiel à realidade e fomentar outros adeptos ao esporte evitando que caiam em esbarrelas ...não tem como conhecer um rifle sem usa-lo por no minimo 6 meses...bem...tem rifles que nem chegam a durar 6 meses como é o caso dos modelos aqui citados mas para se dar um review fiel e util é preciso de tempo/uso...do contrario há grandes chances de se encaminhar futuros atiradores a uma barca furada.
  18. 1 point
    Boa noite amigos, vim dar o meu relato sobre esta carabina que relutei muito em comprar, mas acabei cedendo após ver o review do Charles Dias. Bom, vi vários reviews além do dele e resolvi dar uma chance à carabina pois já tive uma artemis m22 a qual só me deu alegrias. Infelizmente, a artemis black hawk destoou muito disso. Sempre comprei na dispropil, mas nesta ocasião, por míseros 50 rais de diferença, efetuei a compra na ventureshop, esse foi o meu segundo erro. Comprei a carabina via depósito no dia 7/04 e recebi dia 17/04, uma sexta-feira. Sábado fui a campo testá-la, realmente forte, com muito efeito diesel a ponto de parecer um 22, até aqui tudo normal. Gastei uns 80 chumbos e nada da alça regular. Voltei pra casa e comecei a ver a arma com maior atenção para ver o problema, descobri que a alça veio montada errada no bloco do cano, torta, meio em diagonal, sobrando em um lado e faltando no outro. Removi o conjunto inteiro e remontei. Hoje, dia 07/05, ainda não consegui regular a mira 100% porque não sei que raios essa alça tem que o parafuso é apertado pela parede da coronha quando o cano é basculado. No domingo seguinte, novamente fui a campo para tentar regular a mira após remontar o conjunto. Para a minha surpresa, mais uns 60 chumbos e NADA. Já estava puto da vida. Voltei pra casa e tirei a coronha, parafusos, alça, etc. Tudo. Basculei o cano e aí veio a surpresa: o furo do anel de vedação veio torto de fábrica e a borda inferior do anel é esmagada pela borda inferior do orifício da câmara da carabina, ocorrendo má vedação e que certamente acarretará desgaste precoce do anel, sendo que este já veio cheio de rebarba e esbagaçado de fábrica. Na mesma semana entrei em contato com a ventureshop para trocar a carabina e recebi um email de que a fixxar era um fornecedor "bem tranquilo" em relação à troca de produtos defeituosos. BALELA! Hoje, mais de uma semana depois, ainda tento trocar a carabina e só obtenho recusas, tanto da loja ventureshop quanto da fixxar. Ambas alegam que o defeito é meramente estético, desprezando a foto onde mostra a marca do anel torta no conjunto da câmara de ar e no bloco do cano. A ventureshop teve a cara de pau de argumentar de que a carabina por ser de menor valor (paguei quase mil na bucha, pra eles isso é pouco!!), seria compreensível vir com furação torta! PQP! Quase mandei o atendente à m... tive que me segurar muito! Eu nunca vi isto antes. Vender um produto com defeito e ainda se achar na razão de não trocar, mesmo em tempo hábil de garantia em função do custo do produto. É ridículo. Na hora disse que a loja e o procedimento seriam uma piada para o tal Cristopher, o "especialista" em armas da ventureshop. Francamente, eu não sei como colocam pessoas desse nível para atender clientes de algo relacionado ao tiro. Não é possível um sujeito vir dizer que uma carabina com furação incorreta é meramente defeito estético. Tenho duas opções: 1 - vendo esta porcaria, já que não vão trocar o cano da carabina; ou 2 - esqueço a mira aberta e desembolso ainda mais dinheiro para tentar usar com luneta, o que acho temerário em função do gás ram dela ser de 70kg. Registrei no reclame aqui só para alertar outros usuários pois a chance da loja e da fixxar trocar o produto é zero. Link: https://www.reclameaqui.com.br/ventureshop/carabina-com-defeito-de-fabrica-que-a-loja-e-a-assistencia-se-recusam-a-tro_NtN7RTJYEv24y24p/ Ficam os alertas: 1 - NÃO COMPREM ESTE MODELO. É BARATO, A CARABINA É POTENTE, MAS A CHANCE DE VIR COM A FURAÇÃO TORTA É ENORME. NO GOOGLE E NO YOUTUBE CHOVEM RELATOS DO TIPO. AQUI NO FÓRUM TEM UM TÓPICO DE OUTRO MEMBRO QUE COMPROU UMA CARABINA QUE CUSTA MAIS DO QUE O DOBRO DA BLACK HAWK E VEIO COM O FURO AINDA MAIS TORTO DO QUE A MINHA. 2 - NÃO COMPREM NA VENTURESHOP. NA CAIXA DA CARABINA VEIO UM LIVRETO ONDE CONSTA QUE A CARABINA FOI INSPECIONADA ANTES DE ME SER ENVIADA, O QUE CERTAMENTE É MENTIRA POIS NÃO É POSSÍVEL ALGUÉM BASCULAR O CANO E NÃO NOTAR QUE O ANEL DE VEDAÇÃO ESTAVA FORA DE CENTRO E DANIFICADO. O PÓS-VENDA É UM LIXO E SE BOBEAR TU VAI OUVIR QUE O VALOR QUE TU PAGOU (QUASE 1000 R$) NÃO É SUFICIENTE PARA TE DAR O DIREITO DE TROCAR O PRODUTO DEFEITUOSO. . Não caiam na mesma furada que eu!!!!!!! 20200430_111133_1.mp4
  19. 1 point
    Já peguei uma um pouco pior e acho que posso entender pelo que os proprietários estão passando: Proponho um desafio a todos os proprietários de Black Hawk GR, publiquem aqui seus agrupamentos. Só quero ver quem é que está falando a verdade.
  20. 1 point
    Denis, parabéns pelo conjunto! Os disparos ficaram bons. Faça também com essa Dragon.
  21. 1 point
    Pelo resposta do diretor comercial, "uma questão de projeto" , dá para chegar a uma conclusão. Não é uma questão de projeto e sim questão de problema no controle de qualidade ou seja, problemas na linha de produção que ocorrem quando o maquinário está gasto e precisa de ajustes ou substituição para que as peças mantenham as tolerâncias. Evidentemente, no mercado globalizado, quem define as exigências de controle de qualidade é o importador pois o fabricante atende desde as exigências da Diana até outros não tão exigentes quanto. Nesta caso, a responsabilidade perante o consumidor é do importador. O exemplo recente é o recall que está sendo feito pela Recall Diana Stormrider GEN2 - (similar a Artemis PR900W)
  22. 1 point
    Não vá atras de Youtubers com esta Rossi R8, quem pegou se arrepende e pra vender só de graça.
  23. 1 point
    O tiro de pressão esportivo é antes de tudo um grande show de imitações. De cara imitamos o tiro de pólvora, seja no visual das armas quanto nas modalidades que praticamos. Em nosso próprio meio a imitação é normal, imitamos os tiros que outros fazem, imitamos os equipamentos que outros têm, imitamos o discurso daqueles atiradores que respeitamos e admiramos. Só que muitas vezes muitos atiradores quebram a cara nas imitações feitas indiscriminadamente. Um dos tipos mais comuns de imitação é a de armas de pressão adquiridas, que acabam até virando modismo. Estou no esporte há dois anos e já vi vários modismos. Houve o das Cometa 220, os das Hatsan AT, os das CBC Nitro, os das Air Arms S200 ... entre outros tantos. Acompanhar um modismo se torna um problema quando o atirador não considerar algumas coisas muito importantes que não devem ser deixadas de lado quando se cogita comprar uma arma. Vejamos. Valor investido - Muitas vezes armas de pressão não tão baratas, algumas até bastante caras, são oferecidas na seção de classificados com bons descontos. Parte disso se dá justamente porque atiradores não analisaram com cuidado o valor a ser investido na compra e acabaram ficando apertados financeiramente por conta disso (muitos chegam inclusive a se individar!) ou descobrem que investiram alto em um brinquedo que acabou não sendo tão utilizado a ponto de compensar o gasto; Necessidade de acessórios - Deixar de considerar o investimento necessário em acessórios acaba vitimando em geral quem ingressa no universo do tiro de pressão com PCPs. O mais comum é do atirador comprar uma arma de pressão de PCP e uma bomba manual apesar da maioria contraindicar essa solução. Não demora muito para o atirador perder a paciência com a necessidade de ficar bombeando cansativamente por um bom tempo para disparar apenas uma ou duas dezenas de chumbos. Daí descobre que para montar uma estação de recarga de PCP gastará um bom dinheiro e se em sua região não houver onde recarregar cilindros de mergulho não haverá solução senão continuar encarando a bomba manual ou vender o equipamento; Necessidade/custo/dificuldade de tunagem - Também é muito comum de atiradores investirem em armas que para ficarem boas necessariamente precisam passar por tunagens. A análise dessa questão em geral é superficial e só tarde demais o atirador se dá conta de que sem tal tunagem a arma é inviável de usar para outra coisa senão tiro casual do mais descompromissado possível, que a tunagem não custará nada barato e/ou as dificuldades de tunagem são grandes e encontrar alguém que o faça direito é difícil e caro. Possuir uma arma que necessariamente precisa de tunagem sem poder fazê-lo direito é frustrante; Local para uso - Esse é um problema sério que acaba se tornando um inferno na vida de muito atiradores, que somente depois de investir um bom dinheiro numa arma se dão conta de que não têm a sua disposição local adequado para usá-las. São comuns os casos de atiradores que se vêm em maus lençõis por atirar no quintal de casa, serem vistos e denunciados à polícia por vizinhos incomodados, outros com excelentes armas para longas distâncias que não têm espaço para atirar mais que em silhuetas 1/10, até aqueles que precisam carregar a pesada tralha de tiro longe para poder praticar o esporte. Tudo isso desanima o cristão e quando vê olha as armas sendo oferecidas na seção de classificados. Se de um lado ninguém gosta da perspectiva de perder dinheiro na venda de uma arma de pressão adquirida sem se considerar os aspectos listados, muitas vezes sua compra se deu com a venda de outra arma que até então era adequada para o atirador na maioria dos aspectos. Daí o atirador se vê sem arma alguma! Acreditem, não é preciso muitas frustrações para fazer alguém desistir de um esporte. Dominar a técnica para se atirar bem com armas de pressão é difícil, demandando estudo e muita prática, algo que para muitos já é frustrante em demasia. Se além de lidar com essa dificuldade inerente ao esporte o atirador se ver metido com uma compra mal feita, desistir e procurar um esporte mais fácil acaba se tornando muito atraente. RESUMO DA ÓPERA - Evite perder dinheiro, se frustrar e até correr o risco de abandonar esse esporte tão interessante e desafiador tomando o cuidado de analisar com cuidado e cabeça fria a compra de sua próxima arma de pressão. Não se deixe levar por modismos ou impulso, faça as contas e verifique a viabilidade de tal equipamento (tanto em termos de tunagem e local de uso). Muitas vezes é melhor ficar com vontade do que arrependido!
  24. 1 point
    Fiz uma venda de uma pistola de Pressão AR+ S9 pelo mercado livre com entrega pelo mercado envios (Correio), com nota fiscal de compra e declaração de conteúdo, no dia seguinte à postagem apareceu como retido por órgão competente, em resposta à consulta, o MercadoLivre informou que estava retida pela receita federal, fui lá e me deram por escrito que não foram eles, abri nova consulta e responderam que o órgão estava me enrolando porque não tinham o devido controle, passados 30 dias constou como apreendido por órgão competente (com data retroativa), nova consulta e responderam que estava apreendida pela receita federal, fui lá de novo e voltei com mais uma resposta por escrito negativa, mandei notificação extra judicial e agora responderam que foi o Exército. Estou na área da segunda região militar, aonde devo ir e o que devo fazer para liberar minha arma? Por enquanto me orientaram a: 1- Sentar no chão; 2- Dobrar os joelhos; 3- Colocar a cabeça entre eles segurando com a mão; 4- Chorar; 5- Quando terminar de chorar, orar a Deus na esperança de não responder a um processo.
  25. 1 point
    Achei um termo de condições do correio: https://www.correios.com.br/a-a-z/pdf/termo-de-condicoes-de-prestacao-de-servicos-de-encomendas-nacionais
  26. 1 point
    Até agora nada de notificação. Estudei bem o assunto e ontem à noite enviei o e-mail perguntando sobre o procedimento para realizar a venda de arma de pressão com envio pelo correio e hoje logo cedo já tinha a resposta: "Prezado ______, bom dia. O Canal correto para tirar dúvidas é o e-mail da ouvidoria.sfpc@2rm.eb.mil.br . Vou adiantar as informações, mas se houver mais dúvidas , escreva para este outro endereço citado. A primeira preocupação que tem que ter é se a Arma que quer adiquirir é ou não controlada pelo Exército Brasileiro. Depende do modelo, tamanho da esfera considerada como munição e de que forma é emitida (gás, pressão). Existe uma cartilha com informações que precisa tomar conhecimento, para verificar se o que quer adquirir é controlado ou não pelo Exército. Veja o Link: http://www.dfpc.eb.mil.br/index.php/ultimas-noticias/437-airsoft-armas-de-pressao] Recomendo ler a legislação também, que é da portaria 56. Você precisa se preocupar com o local de sua residência, se ficar no estado de São Paulo e for um produto controlado pelo Exército, primeiro de tudo, precisa solicitar permissão de uso de material controlado, através de um processo chamado Concessão de Certificado de Registro para CAC ( Colecionador, Atirador Desportivo e ou Caçador). Este processo pode ser protocolado, requerido, na 2ª Região Militar do Exército de São Paulo - Quartel General do Sudeste - Ibirapuera. Caso seja aprovado, poderá dar sequência no processo de aquisição via pasta ( uma segunda etapa). Cabe ressaltar que , caso compre um produto controlado pelo Exército pelo Site e seja enviado via Correio e não tenha as documentações necessárias será apreendido. Caso a sua residência ou destino que quer enviar o produto,seja em outro estado, o produto será monitorado por outra Região Militar, que não a da 2ª Região Militar. Ats, " Reprodução do primeiro link mencionado na resposta: A informação sempre esteve lá, acontece que antes estava procurando no lugar errado, em legislação enquanto que deveria ter ido em ultimas noticias. Olhando a portaria 56, que versa sobre CR, vi que no meu caso sou isento: Depois, na sequência, nas principais perguntas e respostas: Até aqui tudo devidamente esclarecido, só falta agora a parte de enviar pelo correio. Por fim, na última parte mencionada, nas principais mudanças: No meu caso, transferência, não há regulação. Na parte de transporte, eu subentendi que a transportadora tem que ter registro no Exército e os Correios especificamente, não devem ter o registro e assim, não podem fazer o transporte. Estou estudando o assunto para agora tentar mais um contato com ouvidoria.sfpc@2rm.eb.mil.br.
  27. 1 point
    Achei mais um artigo com o mesmo texto: https://jus.com.br/artigos/59193/armas-de-pressao-e-a-legislacao-brasileira-atual Repete a mesma frase "Caso haja envio entre pessoas naturais, é necessária uma declaração emitida pelo delegado local do SFPC." (SFPC = Serviço de Fiscalização de Produto Controlado) Brasileiro tem cabeça dura de entender, acho que só agora entendi que deveria ter antes providenciado uma "declaração emitida pelo delegado local do SPFC". Estava pronto para enviar uma consulta a cada uma das regiões militares mas, agora achei desnecessário. Vou ficar no aguardo da notificação.
  28. 1 point
    Achei mais um artigo com o mesmo texto: https://jus.com.br/artigos/59193/armas-de-pressao-e-a-legislacao-brasileira-atual Repete a mesma frase "Caso haja envio entre pessoas naturais, é necessária uma declaração emitida pelo delegado local do SFPC." (SFPC = Serviço de Fiscalização de Produto Controlado) Brasileiro tem cabeça dura de entender, acho que só agora entendi que deveria ter antes providenciado uma "declaração emitida pelo delegado local do SPFC". Estava pronto para enviar uma consulta a cada uma das regiões militares mas, agora achei desnecessário. Vou ficar no aguardo da notificação.
  29. 1 point
    De muita valia o artigo, já tinha lido antes e não levei a sério porque não deixa explicito os fundamentos legais, exceto nos casos de ter nota fiscal ou comprovante de origem licita, parágrafo 2º e também na restrição a ostensividade parágrafo 3º, ambos previstos na portaria 02 Colog de 26Fev10. O meu caso específico é descrito no quinto item do artigo: " A remessa por correios é PERMITIDA com restrições: a arma classificada como PERMITIDA deve estar acompanhada da respectiva nota fiscal emitida pelo remetente, e totalmente preenchida em nome do destinatário. Caso se trata de envio entre pessoas físicas, É NECESSÁRIA DECLARAÇÃO, que pode ser emitida pelo delegado local do SFPC (por não ser exigido GTE neste caso); " Mais especificamente no meu caso, entre pessoas físicas, seguiu a declaração de conteúdo padrão do correio junto com a nota fiscal de aquisição em meu nome e uma cópia da portaria 02 Colog e mais outra que não me lembro o nome e que veio quando comprei. Ainda assim, no artigo não é mencionado o amparo legal, eu pensei em aplicar o parágrafo 3º do art 9º da portaria 02 mas, a expressão "registro do requerente" remete ao possuidor de CR que não é o meu caso. Se o entendimento é de que eu deveria ter anexado uma declaração, transferindo a propriedade da arma de pressão e não a declaração de conteúdo então, pequei e estou sujeito às penas da lei. Tentei várias vezes contato por telefone na 2ª Região Militar e só dá ocupado, não encontrei outro meio de comunicação a não ser o contato por e-mail para dfpcresponde@dfpc.eb.mil.br que já respondeu: "A/C Sr XXXXX, Boa tarde, Atendendo ao questionamento contido no email, informamos que esta consulta deverá ser direcionada ao SFPC/RM de vinculação, onde será processada esta demanda, sendo o órgão mais indicado para o esclarecimento. No link abaixo encontram-se os contatos dos SFPC de todo o país: http://www.dfpc.eb.mil.br/mapa/ Atenciosamente Avalie o nosso atendimento com relação ao grau de satisfação em uma escala de 1 a 10, sendo 1 (totalmente insatisfeito) e 10 (totalmente satisfeito). Sua opinião é muito valiosa para que possamos aperfeiçoar nosso atendimento, contamos com o retorno de sua avaliação para o e-mail: sri7@dfpc.eb.mil.br." Deu nisso: Vou dar uma estudada no link e depois enviar a consulta por e-mail.
  30. 1 point
    Deve ter sido algo assim: http://portalsfpc.2rm.eb.mil.br/index.php/component/content/article?id=536
  31. 1 point
    Voltando na mesa... Fixação do tampo. Fiz uma bucha pra guiar a broca fina... Em seguida fui abrindo o furo até 8,5 mm... Abri rosca M10... Parafuso no lugar. Agora já posso usar a mesa. Vou deixar pra terminar acabamento depois de testar ela.
  32. 1 point
    Hoje terminei de soldar, esmerilhar e limpar respingos de solda. Fiz os pés. Soldei os fusos por baixo das chapas base. Fiz um encaixe para chave 19 para poder girar os fusos. Giro o fuso com a chave 19 e faço o travamento da contra porca com a chave 1.1/2". Coloquei o tampo sobre a estrutura e posicionei ele. Logo vou marcar e abrir as roscas M10 na estrutura para fixar o tampo.
  33. 1 point
    A estrutura da mesa. Materiais... Tubo metalon 80 x 80 x 3 mm. Chapas de 3/8" para flanges e tampas de tubo e redondos de chapa 5/8" para os pés. Fuso diâmetro 1" para os pés. Parafusos M16 para fixação do flange. Parafusos allen escariado M10 para fixação do tampo. Estrutura já montada, faltando terminar de soldar e fazer os furos para fixação do tampo e os pés. Detalhe do flange... Bases niveladas para acomodar o tampo... Na parte de baixo, porcas 1" aonde serão rosqueados os fusos dos pés.
  34. 1 point
    Resolvi fazer meu canto para atirar aqui em casa. Existe uma parte do terreno que consigo atirar até uns 40~45 metros (ainda não medi ao certo) Vou fazer uma pequeno piso de concreto e colocar uma mesa para atirar. Domingo passado comecei a fazer o tampo. Usei uma chapa de eucatex e alguns perfis de pinos pra fazer a caixa/molde... Coloquei 3 pinos para que o concreto fique vazado aonde irão os parafusos de fixação do tampo... Ferragem com vergalhão 1/4"... Usei 3 bolsas de 25 kg de Supergraute da Quartzolit. Concreto fluido, sem pedras. Bom que ele atinge uma resistência superior à um concreto comum 1/3. Aqui foi logo após despejar o graute. Como ele é alto nivelante, só despejei até que chegasse na altura certa. Esperei umas horas para ele começar endurecer e dei uma reguada, pra conferir o nível certo. Não da pra reguar com ele ainda fluido, pois ele parece muito com uma argamassa, bem grudento. Aqui já no dia seguinte. Já deu aquela puxada na água. Coloquei mais água. Vou seguir molhando por alguns dias para que fique bem resistente. Logo desmondo ele, mas ainda vou seguir molhando até que ele pare de puxar água. Segundo o fabricante, o Supergraute pode atingir 50Mpa após 28 dias. Continua...
  35. 1 point
    Depois de várias modificações e testes de velocidades. Quase 400 tiros e vários desmonta, remonta, modifica martelo, troca martelo, troca mola do martelo... hoje fiz os primeiros tiros em 25 metros. Por hoje foram 2 grupos de 5 tiros cada, usando chumbo JSB Exact Heavy 18 grains. Martelo de 30 gramas com uma mola modificada, dando velocidade média de ~930 fps.
  36. 1 point
    Já possuo esse review em outro fórum, resolvi trazer aqui pra vocês. ------------------------------ Review Hatsan 80 4,5mm ( modelo de 2009 – pré quattro trigger e SAS) com Gás Ram 60KG e bucha em PU Estava a um tempo pensando em fazer um review da minha própria carabina, que possuo des de 2009 (comprei no finalzinho de 2009). Na época, a carabina custou próximo à 650 reais. Foi comprada no centro de São Paulo / SP. Nesse review procuro dar uma informação básica sobre a arma, pode ser de valia à algumas pessoas, que sempre procuram sobre ela. Eu mesmo achei um ou dois reviews somente, e com poucas fotos e detalhes. Lembro que a minha não possui o Quattro Trigger e o SAS, mas a carabina, creio eu, é essencialmente a mesma; com exceção destes adicionais/modificações. O review prosseguirá sobre a carabina modificada, isto é, com Gás Ram de 60kg e bucha em PU, instaladas na Alterama, em São Paulo. Geral – Contras: - O parafuso lateral esquerdo, e o parafuso superior do stop mount, afrouxam com bem poucos tiros. Resolveu-se fácil com a aplicação de um trava roscas. Uma pseudo-solução temporária pode ser a aplicação de fita veda roscas, que vai fazer com que os parafusos mencionados demorem um pouco mais para se afrouxarem, mas não vai evitar. - Quando não instalado um Gás Ram e bucha em PU, a arma tem um tranco bem acentuado – que relatadamente diminui nos modelos que possuem o SAS. - O barulho, mesmo com Gás Ram, é bem alto. Isso pode ser um pró para algumas pessoas, mas pra mim, que atiro dentro de casa, é um contra bem pesado. Mas ele diminui relativamente com o Gás Rám, fica mais seco e um pouco mais baixo, não muita coisa. Pra mim este é o maior contra. - O gatilho “stock” é relativamente duro, nescessita de polimento (coisa que não fiz, não aconselho se não é experiente, coisa que não sou, somente dei uma lubrificada com bissulfeto de molibdenio (pasta G / Molykote), oque deu um resultado muito bom, deixa mais macio, só que longe de “ótimo”. Esqueça esse contra caso o seu modelo possua o Quattro. Para armar a carabina com mola original é um sacrifício, com Gás Ram fica muito mais mole e fácil. A maioria dos contras dessa arma podem ser facilmente melhorados, como o caso dos parafusos e o tranco. O barulho, não tem uma solução definitiva, mas é amenizado com o Gás Ram. Prós: - Bem precisa, até mesmo pra tiro em papel à 10m. Já acertei tampa de garrafa pet a 23m + - com mira aberta com chumbo daqueles “tupi” ou “paulistinha”. Ótimos agrupamentos, a maioria, com chumbos baratos, ficando na faixa de 10mm ou 1cm a 10m. Com chumbos mais caros se sai melhor ainda. - Tem uma performance ótima com chumbos baratos: Rifle; Gamo (match, expander) em geral; Technogun. Um ótimo pró pra quem não pode comprar chumbos caros. - Após a instalação do Gás Ram, o tranco fica muito pequeno e a vibração some. - Preço muito bom. - Muito fácil de armar após o Gás Ram. O percurso parece ficar menor, com uma força de ação constante pra armar a carabina. - Muito muito forte. Fura tijolos com facilidade. Medida na loja, deu, pelo que me lembre, 292 m/s com o GR 60kg. - Funciona muito bem com lunetas, junto com o Gás Ram. Porém aquelas baratas e fracas, tipo 4x20 e similares, desregulam com muita facilidade. - Não possuo longas distâncias pra tiros, mas nas poucas oportunidades que tive, é “facil” (precisa de uma boa luminosidade, claro) acertar alvos do tamanho de uma tampinha de garrafa pet a 20+- metros, com mira aberta. - Sistema de miras abertas muito bom. É bem contrastante. Não tenho costume com esse tipo de mira, venho me acostumando aos poucos. A instalação de um GR é uma coisa muito importante nessa arma, melhora extremamente, em todos os aspectos. Fotos e comentários por partes – não colocarei fotos dela desmontada por dois motivos, coloquei trava roscas recentemente nos parafusos (vide – preguiça de re-aplicar após desmontar da coronha) e não possuo compressor de molas pra desmontar completamente. Gatilho: Esse gatilho pre-quattro é bem duro, o parafuso de ajuste não faz nada de mais, só diminui o curso um pouco. Precisa de polimento, mas não tenho conhecimento o suficiente. Dei uma boa lubrificada com pasta G, que ajudou muito. Quando se puxa o gatilho, ele encontra um ponto em que a resistência é bem alta, após esse ponto, se você puxar mais, a carabina dispara. É previsível quando isso vai acontecer, só que a força nescessária é bem grande. Gatilho e guarda-mato: Parafuso de ajuste do gatilho e parafuso da coronha/guarda-mato: Sistema de mira aberta: Bem clara com TruGlo Fiber Optics. Ajuste lateral através de cliques bem precisos e marcados. Ajuste de elevação através do ajuste superior, não possui cliques, e sim numeração. Dove-tail e stop mount: Usado pra colocar lunetas, trilho padrão de 11mm. O parafuso do stop mount precisa de trava roscas, solta muito fácil. Nunca apresentou problemas, a não ser um pequeno desgaste na plaquinha de metal do stop mount e onde se rosqueia o parafuso. Provavelmente provenientes antes da instalação do Gás Ram (que foi feita este ano). Trava de segurança: Bem conhecida nas hatsans, é bem eficiente. Porém se sua luneta for baixa, pode atrapalhar um pouco, mas nada muito sério, a possibilidade de assiona-la ou deixar pronta pra disparo não vai ser anulada, a luneta não encosta, só pode ficar em cima, obrigando a destravar puxando pelos lados. Cano: Não tenho muito oque comentar, não sou nenhum expert. Porém, o raiamento é bem preciso, e grande parte dos chumbos, des de que com qualidade, entram legal. O o’ring está vedando perfeitamente ainda. O cano é bem forte, fica bem “fechado”, sem folga nenhuma. Chumbo 7,8grains Chumbo 10,6grains Buttstock (soleira): Detalhe da soleira de borracha, bem confortável e resistente. Detalhe do parafuso do lado direito, da coronha. O do lado esquerdo costumava afrouxar antes de aplicar o trava roscas. A arma por inteiro, com luneta Gamo 4x32WR Sporter: Mais fotos na parte de Vídeos e Fotos > fotos da sua arma Agrupamentos, com Gamo Match e mira aberta, 10 metros: Agrupamentos com a Gamo 4x32WR Sporter, Gamo Expander, 10 metros, 0.8mm: Vídeos no canal do YouTube na assinatura. Espero que este pequeno review tenha ajudado aos futuros compradores ou interessados na arma. Lembre-se, as novas vem com Quattro Trigger e SAS, que melhora muito a arma. Por favor, não use o review apresentado aqui em nenhum lugar sem meu concentimento, e muito menos as imagens. São de minha autoria. A qualidade das fotos foi diminuida pelo redimensionamento porcaria do PhotoBucket. Espero que gostem, opinem.
  37. 1 point
    Alguem pode me ajudar.... Minha bomba Hatsan enche o cilindro da Carabina Hatsan até 150 bar depois endurece... voce força e abaixa ela volta e sob sozinha.....
































Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear



×
×
  • Create New...

Important Information