Jump to content

ANUNCIANTES

Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada

Henrique Coelho

CA Gold
  • Content Count

    4,183
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    106
  • Country

    Brazil

Henrique Coelho last won the day on May 11

Henrique Coelho had the most liked content!

Community Reputation

924 Master Gold

About Henrique Coelho

  • Rank
    Ancião
  • Birthday 09/16/1967
  • Age 51

Contact Methods

  • MSN
    henrique.j.coelho@gmail.com
  • Skype
    Hjcoelho
  • Age 51

Profile Information

  • Sua Localidade
    Osasco, SP
  • Interesses
    Armas, Aviação, Astrofografia e Fotografia de Aves.
  • Age 51

Recent Profile Visitors

1,958 profile views
  1. Dia de flanelar e banhozinho de WD40. Diana Modelo 50. Fabricação Outubro de 1974 Culatra de carregamento do chumbo .177 Gatilho T01. Diana - Mayer & Grammelspacher Cano Fixo. Lunetinha Beeman Blue Ribbon 3-7x32. Flanela e óleo para a Diana. Babador pro papai aqui...
  2. Vixe, eu já tive uma pá de armas de Pressão. - Super-Tiro da Estrela. Com carregador lateral, pellets de plástico. Pump Action. - Pistola Mauser 5 da Estrela. Com carregador e cartuchos ejetáveis. Usava o mesmo pellet de plástico do Super-Tiro - Rossi Dione 1978 4,5mm. - Gamo CFX 4,5mm. - Pistola Gamo PT-80 CO2 - 6 tiros 4,5mm pellet - Revólver Crosman 357 CO2 - 10 tiros 4,5mm pellet - CBC Montenegro GII 4,5mm. Presente do meu irmão que a ganhou no Sorteio do Airbus de 2009, acho. - Air Arms S200 PCP 4,5mm. Primeira PCP. Deixou saudade. - Hatsan AT-44-10X. PCP 5,5mm. primeira arma em 5,5mm - Weihrauch HW30S 4,5mm - Weihrauch HW97 laminada 4,5mm - Slavia 634 4,5mm - Marauder PCP Pistol Woods Walker 5,5mm - Diana 34 Classic T06. 4,5mm. Deixou saudade - Air Arms EV2 PCP 4,5mm. - Kalibrgun Cricket PCP 5,5mm - Pistola Olímpica Walter LP-400 Carbon PCP 4,5mm. Deixou saudade. - Daystate Huntsman Classic PCP 5,5mm. Deixou saudade. Tanto que anos depois comprei outra! - Daystate MK4 IS PCP 5,5mm. - Steyr LG110 HP PCP 4,5mm. filezão. - BSA R-10 Goldstar SE PCP 4,5mm - Weihrauch HW 77 SE laminada 4,5mm - Walther Lever Action CO2 4,5mm - 8 tiros - Artemis SP15 PCP 5,5mm - Revólver Smith & Wesson 686 CO2 6 polegadas 10 tiros Já tive também armas de pressão de Airsoft: - Colt M4A1 fabricado pela Jing Gong - Colt M16A1 fabricado pela Classic Army - Colt M16A4 fabricado pela ICS - Springfield M-14 fabricado pela Classic Army - FN Herstal ParaFAL médio fabricado pela King Arms - Smith & Wesson M&P15 MOE fabricado pela King Arms - Revólver Wingun 701BK 6 tiros CO2 - Pistola Glock 18 CM 030 fabricada pela Cyma - Pistola Glock 19 Green Gás fabricada pela Stag Arms - Pistola Browning M45 Springer fabricada por ??? nem lembro... - Pistola Hi Capa 5.1 Green Gas fabricada pela WE - Pistola Colt 45ACP Government fabricada pela KWC - Pistola Tanfoglio Erik Grauffel CO2 fabricada pela KWC - Shotgun Remington 870 fabricada pela G&P. Deixou saudade Armas que tenho: Chumbo: - Pistola Walther PPK/S 4,5mm BB fabricada pela Umarex Japan. - Daystate Huntsman Classic PCP 5,5mm - Diana Model 50 4,5mm (última aquisição). fabricada em Outubro de 1974. Airsoft: - Fuzil Springfield 1903 CO2 fabricado pela G&G Armas que desejo ter: Chumbo: - Diana Mauser Karabiner 98k 4,5mm Airsoft: - Fuzil Mauser Karabiner 98k Springer com cartuchos ejetáveis fabricado pela EVO (D-Boys)
  3. Muito bom. É uma ave muito legal. Vi muitos na Serra da Canastra em MG. E é bacana vê-lo “peneirar” quando está caçando. Registrão. Eu fiz foto boa dele pousado em Americana, SP.
  4. Obrigado pelas dicas. Vou assuntar na Lojadearmas de Portugal e na TW. A Diana perdeu o nome no pós guerra. Foi vendido para a Millbros da Escócia. Por um longo tempo, as Dianas tiveram outros nomes em diferentes mercados. Nos EUA, primeiro saiu como Winchester (a modelo 50 era a Winchester 450) No Reino Unido já foi chamada de Original ou Peerless. Na Europa continental como GECO ou GECADO. Mas era tudo desenho da Diana alemã. Só nós anos 70 é que uma empresa comprou a Diana na Alemanha e correu atrás de comprar e registrar o nome de volta.
  5. Realizei um sonho antigo. Tive a oportunidade de comprar uma carabina clássica. A Diana Modelo 50. Nestas carabinas a data da produção era gravada na lateral da Carabina e está l’á (10/74). Já uma senhora, parece ainda bem conservada, pelo menos esteticamente. Ela não possui o conjunto de mira aberta e eu pretendo instalar. Portanto pergunto: Alguém já comprou de algum fornecedor, mesmo do exterior algum conjunto de miras abertas? Pode me dar algumas dicas de onde conseguir? 2 aspectos a considerar: 1) a massa de mira deve ser do tipo túnel e se fixar ao cano em um trilho de 7,5mm. 2) a alça de mira deve fixar-se ao corpo da Carabina por parafuso. grato, Henrique
  6. Eu sei que o Coca é a casa dos passarim do Carabinas de Ar mas nestas minhas andanças pelo Brasil na busca de espécies de aves livres para fotografar, volta a meia a gente esbarra com uns gatinhos...
  7. Valeu Edu. Especialmente o macho, com uma bela luz da manhã, parece que o bicho tá ligado na tomada.
  8. Esse foi num pesqueiro lá no Cantareira. Já procurava esse bichinho tem 3 anos. Vi uma vez não deu foto, Em outra oportunidade nós escutamos cantar mas também não deu foto e agora neste pesqueiro tinham 4 deles ! E dessa vez deu foto! Gaturamo Bandeira ( Tangara cyanea )
  9. Valeu Edu, Ando meio parado. Esse ano só fizemos uma única viagem e foi esta ao Pará. rendeu quase 40 bichos novos. Bem legal lá.
  10. Olha aí o Sarcoramphus papa, o Urubu - Rei. Muito lindo. Floresta Nacional de Carajás Parauapebas, PA
  11. O assunto é fora do escopo deste Fórum. O abate de Javalis é permitido em alguns estados e, sim tem gente que usa arcos e balestras para este fim. Mas este assunto não é permitido neste fórum. Caso queira maiores informações a respeito, procure o Fórum Arco Brasil. Lá tem seção específica para este assunto.
  12. Pô esse bichinho ficou legal mesmo. Essa "bandeirinha da Alemanha" só anda bem furtivamente pelas matas ciliares de alguns rios na amazônia. Acho que ele é bem consciente das cores que tem e só fica entocado nas matas. Dá até um arrepio topar com esse carinha no meio do mato.
  13. Deveria ser. Mas ficar remendando a Lei ordinária com essas portarias mal escritas é um cano. O entendimento é este. Mas o texto trás a bisonha informação de que não é necessário registro quando utilizadas em arma de pressão. Vejam como está mal escrito. O processo correto de aquisição de luneta ou qualquer outro acessório controlado é o mesmo da aquisição de uma arma de fogo. Pedido de compra, autorização, emite NF, apostilamento, solicitação de GT e emissão da GT. Esse seria o correto. Mas as lojas venderam quilos de lunetinhas 4x32 fora deste processo (naquela famosa interpretação errônea de que permitido significa que pode comercializar pra qualquer um). Agora vem a Portaria 41 e diz que não é controlado para quem afixa a luneta em arma de pressão. Como que se diferencia o processo de aquisição de uma luneta 4x32 ´para por numa CBC 8022 (arma de fogo) do processo de vender para quem vai usar numa arma de pressão? O comprador é que diz? " Aêh meu camarada, manda aí uma lunetinha 4x32 que eu vou carcá na minha Montenegro F22...". É o comprador que determina? Ou seja, basta chegar e dizer que é pra arma de pressão que a loja vende? tsk tsk tsk, muuuuito mal escrita. O que seria o certo? No mínimo dizer: "lunetas menores que 6x36 não são produto controlado na comercialização e no uso". Alguém deve até ter levantado essa bola no EB mas deve ter tido um engraçadinho que soltou a pérola "mas é um risco liberar estas lunetas para por em armas de fogo! A bandidagem vai deitar e rolar comprando lunetas nas lojas!" Aí saiu este texto "quando utilizadas em armas de pressão". Que como mostrei, não ajuda em nada em termos de controle.
  14. Aqui vai um dos registros bem legais que fiz na minha última viagem a Amazônia. Fomos a Novo Airão ao noroeste de Manaus junto ao Rio Negro. De lá pegamos um barco até a ilha pluvial de Anavilhanas e dentro desta ilhota no meio do Rio Negro eis que achamos o pequeno e belo Rabo de Arame. O nome do bicho que tem cara de bandeira da Alemanha vem das suas penas da cauda, finas como arames. E o negócio foi mais ou menos assim: Desembarcamos na Ilha e fizemos alguns bichos como a irrequieta choca-de-crista-preta, a pintadíssima choquinha-do-tapajós, ariramba-de-cauda-verde e nos pusemos a caminhar ela trilha em mata fechada que levaria a arena dos rabo-de-arame. “É no fim da trilha” dizia o guia Luiz Fernando. Essa coisa de final da trilha é um cano. Você fica pensando… não chega nunca… cadê o bicho? Mas fomos em frente. Rita fez a choca-da-várzea e um arapaçu-pardo. Logo adiante fizemos o bonito arapaçu-riscado. Até que chegamos na arena do rabo-de-arame. A guia Vanilce comentou que deveríamos esperar por eles pois nesta época, eles vão e voltam daquela arena diversas vezes. Não demorou muito e eles começaram a chegar com as suas cores vivas contrastando com a mata fechada e escura. Subi o ISO pra 2.500. Na Canon 7D Mark II eu já sabia que estava meio que abusando do ISO. Mas era o único jeito para ganhar alguma velocidade. E eles vieram, se empoleiraram e deram show. Sim deram show. Não pra nós. Mas os machos para uma fêmea que acompanhava o grupo. E numa destas dancinhas para a fêmea eu consegui pegar uma foto dele já começando a eriçar as penas das costas e o registro saiu bacana e eu reputo ser uma das melhores fotos que já fiz. Deu quase aquela vontade chorar, misto de nervoso, relaxamento, alegria e torpor pela imagem que fui presenteado.
×
×
  • Create New...