Ir para conteúdo

ANUNCIANTES

Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada
Entre para seguir isso  
Victor E. da R. Couto

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO LOGÍSTICO PORTARIA No 41- COLOG, DE 28 DE MARÇO DE 2018.

Posts Recomendados

"MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO LOGÍSTICO PORTARIA No 41- COLOG, DE 28 DE MARÇO DE 2018. EB:64474.002292/2018-69 Altera a Portaria nº56 - COLOG, de 5 de junho de 2017, que dispõe sobre procedimentos administrativos para a concessão, a revalidação, o apostilamento e o cancelamento de registro no Exército para o exercício de atividades com produtos controlados".

 

Alguém poderia passar mais informações?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO LOGÍSTICO PORTARIA No 41- COLOG, DE 28 DE MARÇO DE 2018. EB:64474.002292/2018-69 Altera a Portaria nº56 - COLOG, de 5 de junho de 2017, que dispõe sobre procedimentos administrativos para a concessão, a revalidação, o apostilamento e o cancelamento de registro no Exército para o exercício de atividades com produtos controlados.

O COMANDANTE LOGÍSTICO, no uso das atribuições constantes do inciso IX do art. 14 do Regulamento do Comando Logístico (R-128), aprovado pela Portaria nº719-Cmt Ex, de 21 de novembro 2011; alínea "g" do inciso VIII do art. 1º da Portaria nº 1.700 do Comandante do Exército, de 8 de dezembro de 2017; e de acordo com o que propõe a Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados, resolve:

Art. 1º Alteraros art. 2º e 26 da Portaria nº 56-COLOG/2017, que passam a vigorar com as seguintes redações:

“Art. 2º ........................................................................................................................................

§1º Ficam isentas de registro:

I - as pessoas físicas e jurídicas citadas nos art. 99 a 102 do Regulamento para a Fiscalização de Produtos Controlados;

II - as pessoas físicas, quando utilizarem:

a) armas de pressão;

b) fogos de artifício; ou

b) acessórios de arma, do tipo dispositivo de pontaria considerado de uso permitido. (grifo meu)

III - as empresas de construção civil ou pessoas físicas que utilizem explosivos, eventualmente e somente por meio de prestação de serviço terceirizado de detonação.

§2º Para efeitos desta portaria, empresa de construção civil é aquela cujo CNPJ apresenta os códigos 41, 42 e 43, constantes do Cadastro Nacional de Atividade Econômica emitido pelo IBGE, com suas atualizações, como atividade econômica principal.

....................................................

..........................................................

(outras disposições que não vem ao caso.)........................................................................

 

GenEx GUILHERME CALS THEOPHILO GASPAR DE OLIVEIRA Comandante Logístico

 

 

 

OBS: Bom material para discussão  ......

Editado por Victor E. da R. Couto

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
 
Continuam controladas, porém liberadas.
Assim como as carabinas de ar comprimido, vc deve comprar na loja deixando seu CPF e RG , e a loja emitir a nota fiscal em seu nome.
Antes desta portaria eram controladas e permitidas (necessitavam de CR).
Antes eram controladas e permitidas (até 5x35)
Agora são controladas e liberadas.


Enviado de meu Moto Z2 Play usando Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
JA TROQUEI VARIOS EMAIL COM O DFPC DO EXERCITO E FALANDO TAMBEM POR TEL 
TODAS AS VEZES FOI ME PASSADO QUE NÂO TEM QUE TER CR PARA ATE 6x32 MAS NO MERCADO BRASILEIRO SE ENCONTRA COM FACILIDADE AS 4x32 
OS AMIGOS QUE GOSTAM DAS AIRGUS DEVERIAM PEDIR QUE RETIREM DE SER UM PRODUTO CONTROLADO AS LUNETAS ACIMA DE 4x32 QUE SÂO UMA M!!!!!!!!
NÂO TEM UM SISTEMA DE REGULAGEM DAS TORRES QUE PRESTA E A VISUALIZAÇÂO DE ALVOS EM 50m E UMA M!!!! BOA SORTE  PARA CONSEGUIR VER UMA FURO NO PAPEL A 50m COM ESSAS LUNETAS ( IMPOSSIBILITANDO A PRATICA DECENTE DO ESPORTE COM CARABINAS NO BRASIL )
QUANDO OS GOVERNO BRASILEIRO POLITICOS E POPULAÇÂO EM GERAL PERDER O PRECONCEITO  DE ARMAS -ATE DAS DE AR COMPRIMIDO  TALVES AS COISAS MUDEM 
Caixa baixa por favor.

Enviado de meu Moto Z2 Play usando Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, caçador disse:

SE FOSSEM PROIBIR ATE AS 4x32 NÂO TERIA SENTIDO VENDER CARABINAS COMO A MINHA QUE NÂO TEM ALÇA NEM MASSA DE MIRA 

(SEM UMA LUNETA NÂO TEM COMO USAR )

 

100_6971.JPG

Não teria pq realmente, mas repare que os kits de carabinas com lunetas e até as lunetas propriamente dita sumiram das lojas nos ultimos tempos. Foi um bota fora sem recomposição do estoque. Quanto à DFPC ou as SFPC, é meio zuado. Já mandei email com a resposta de que nao precisava de cii pra determinadas peças, depois precisava do mesmo jeito. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, Giovanni Junqueira disse:

Não teria pq realmente, mas repare que os kits de carabinas com lunetas e até as lunetas propriamente dita sumiram das lojas nos ultimos tempos. Foi um bota fora sem recomposição do estoque. Quanto à DFPC ou as SFPC, é meio zuado. Já mandei email com a resposta de que nao precisava de cii pra determinadas peças, depois precisava do mesmo jeito. 

e amigo eu não tenho um pensamento de medo ou preconceito com as airguns nem seus acessorios  mas moro numa casa que meus propios familiares tem e vizinhos tambem uns gostam  outros não - mas espero ainda estar vivo e ver um dia o povo brasileiro perder o medo e preconceito de armas ou  ate de seus acessorios ( para evoluirmos como uma nação melhor  )

assim como diversos outros paises mundo afora 

que respeitam e gostam de armas 

armas nem acessorios não fazem mal as pessoas

pessoas fazem mal as pessoas

esse e o meu pensamento amigo  

amigo comprei a minha airgun na falcon armas acho que entre final de 2015 incio de 2016 não me lembro bem 

pessoal gente boa

mas la mesmo tem uns que são a favor disso e outros contra lembro que na epoca um  funcionarios  me disse que achava melhor eu investir meu dinheiro em uma criação de aves tipo trinca ferro ou outros ja que eu ja lido com alimentos vivos insetos para esse ramo do que investir na airgun - pra voce ver como isso e engraçado  

te gente que trabalha vendendo airguns mas não gosta muito delas 

mas isso e a vida e respeitar o gosto de cada um

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
8 horas atrás, marco disse:

Continuam controladas, porém liberadas.
Assim como as carabinas de ar comprimido, vc deve comprar na loja deixando seu CPF e RG , e a loja emitir a nota fiscal em seu nome.
Antes desta portaria eram controladas e permitidas (necessitavam de CR).
Antes eram controladas e permitidas (até 5x35)
Agora são controladas e liberadas.


Enviado de meu Moto Z2 Play usando Tapatalk
 

 

email  para exercito dfpc  tirar lunetas como produto controlado abrindo para no brasil poder ser praticado benchrest e field target.JPG

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
 
5acee360b805b_emailparaexercitodfpctirarlunetascomoprodutocontroladoabrindoparanobrasilpoderserpraticadobenchrestefieldtarget.thumb.JPG.12afe6e57d17c2182cdd50474d7863de.JPG
Isso eu já sei desde novembro que vai acontecer, já li as duas minutas propostas, ou as lunetas irão cair de controle 1 pra controle 3, ou as de uso restrito irão pardas pra uso permitido(porém controlado)

O que aconteceu agora é que o EB achou mais fácil conseguir que ia burocratas passassem as de uso permitido para uso liberado, e em um segundo momento tentará passar as de uso restrito para uso permitido e de controle 1 para controle 3, aí como as de uso permitido já estarão liberadas aí libera geral.

Mas este segundo momento ainda não aconteceu. O que ainda consta no r105 e que luneta ainda é de controle 1 e as restritas ainda continuam "restritas", até que tenha algo "escrito na lei" que diga o contrário.

Ambas as minutas eu li na mão de quem as redigiu.

Enviado de meu Moto Z2 Play usando Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
9 horas atrás, caçador disse:

e amigo eu não tenho um pensamento de medo ou preconceito com as airguns nem seus acessorios  mas moro numa casa que meus propios familiares tem e vizinhos tambem uns gostam  outros não - mas espero ainda estar vivo e ver um dia o povo brasileiro perder o medo e preconceito de armas ou  ate de seus acessorios ( para evoluirmos como uma nação melhor  )

assim como diversos outros paises mundo afora 

que respeitam e gostam de armas 

armas nem acessorios não fazem mal as pessoas

pessoas fazem mal as pessoas

esse e o meu pensamento amigo  

amigo comprei a minha airgun na falcon armas acho que entre final de 2015 incio de 2016 não me lembro bem 

pessoal gente boa

mas la mesmo tem uns que são a favor disso e outros contra lembro que na epoca um  funcionarios  me disse que achava melhor eu investir meu dinheiro em uma criação de aves tipo trinca ferro ou outros ja que eu ja lido com alimentos vivos insetos para esse ramo do que investir na airgun - pra voce ver como isso e engraçado  

te gente que trabalha vendendo airguns mas não gosta muito delas 

mas isso e a vida e respeitar o gosto de cada um

 

Vc comprou numa loja que falou pra vc nao comprar? Não é pra menos que os preços deles são mais salgados que o comum 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pelo que eu entendi, no que está disposto na portaria 41, Lunetas de uso permitido ou seja abaixo de 6x de zoom ate 36mm de diâmetro, ficam isentas de registro junto ao exército.

Já com relação à nota fiscal, certamente você terá que andar com uma cópia.,

Segue em anexo a portaria número 41. 

PORT41.pdf

Editado por MARCIO ROBERTO SCHVINN
  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Pelo que eu entendi, no que está disposto na portaria 41, Lunetas de uso permitido ou seja 6x de zoom ate 36mm de diâmetro, ficam isentas de registro junto ao exército.
Já com relação à nota fiscal, certamente você terá que andar com uma cópia.,
Segue em anexo a portaria número 41. 
PORT41.pdf
Permitido e até 5x35
Igual ou acima de 6x36 já é restrito.

Enviado de meu Moto Z2 Play usando Tapatalk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Resumo povo, não precisa mais apostilar luneta 4x32 com origem lícita.
É bem simples e claro, o EB preencheu a lacuna.
Não há margem para entender qualquer coisa diferente disso.

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Só na expectativa do novo R 105 pra liberar geral as lunetas, sem restrições de especificações.

Pq o atual R 105, decretado pelo "querido" FHC no ano 2000 é de uma cretinice sem tamanho e o Exército mais atrapalha do que ajuda. Com sua infinita e abusiva burocracia tem demorado coisa de 6 meses pra sair um CR na minha região.

O que o pessoal precisa entender é q o estatuto do desarmamento não é o problema. Ele só dá linhas gerais. Quem restringe tudo é o Decreto do R 105 e as "porcarias" do COLOG.

Se a burocracia do exército funcionasse, todo mundo conseguiria ter até arma de fogo restrita sem frescura. Em resumo, no fim das contas e formalmente a lei permite, o que trava tudo é a burocracia bizarra do exército.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, Raufemann Fritz disse:

Resumo povo, não precisa mais apostilar luneta 4x32 com origem lícita.
É bem simples e claro, o EB preencheu a lacuna.
Não há margem para entender qualquer coisa diferente disso.

Deveria ser. Mas ficar remendando a Lei ordinária com essas portarias mal escritas é um cano. O entendimento é este. Mas o texto trás a bisonha informação de que não é necessário registro quando utilizadas em arma de pressão.

Vejam como está mal escrito. O processo correto de aquisição de luneta ou qualquer outro acessório controlado é o mesmo da aquisição de uma arma de fogo. Pedido de compra, autorização, emite NF, apostilamento, solicitação de GT e emissão da GT. Esse seria o correto. Mas as lojas venderam quilos de lunetinhas 4x32 fora deste processo (naquela famosa interpretação errônea de que permitido significa que pode comercializar pra qualquer um). 

Agora vem a Portaria 41 e diz que não é controlado para quem afixa a luneta em arma de pressão. Como que se diferencia o processo de aquisição de uma luneta 4x32 ´para por numa CBC 8022 (arma de fogo) do processo de vender para quem vai usar numa arma de pressão?

O comprador é que diz? " Aêh meu camarada, manda aí uma lunetinha 4x32 que eu vou carcá na minha Montenegro F22...". É o comprador que determina?

Ou seja, basta chegar e dizer que é pra arma de pressão que a loja vende? 

tsk tsk tsk, muuuuito mal escrita.

O que seria o certo? No mínimo dizer: "lunetas menores que 6x36 não são produto controlado na comercialização e no uso". Alguém deve até ter levantado essa bola no EB mas deve ter tido um engraçadinho que soltou a pérola "mas é um risco liberar estas lunetas para por em armas de fogo! A bandidagem vai deitar e rolar comprando lunetas nas lojas!" Aí saiu este texto "quando utilizadas em armas de pressão". Que como mostrei, não ajuda em nada em termos de controle.
 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Deveria ser. Mas ficar remendando a Lei ordinária com essas portarias mal escritas é um cano. O entendimento é este. Mas o texto trás a bisonha informação de que não é necessário registro quando utilizadas em arma de pressão.

Vejam como está mal escrito. O processo correto de aquisição de luneta ou qualquer outro acessório controlado é o mesmo da aquisição de uma arma de fogo. Pedido de compra, autorização, emite NF, apostilamento, solicitação de GT e emissão da GT. Esse seria o correto. Mas as lojas venderam quilos de lunetinhas 4x32 fora deste processo (naquela famosa interpretação errônea de que permitido significa que pode comercializar pra qualquer um). 

Agora vem a Portaria 41 e diz que não é controlado para quem afixa a luneta em arma de pressão. Como que se diferencia o processo de aquisição de uma luneta 4x32 ´para por numa CBC 8022 (arma de fogo) do processo de vender para quem vai usar numa arma de pressão?

O comprador é que diz? " Aêh meu camarada, manda aí uma lunetinha 4x32 que eu vou carcá na minha Montenegro F22...". É o comprador que determina?

Ou seja, basta chegar e dizer que é pra arma de pressão que a loja vende? 

tsk tsk tsk, muuuuito mal escrita.

O que seria o certo? No mínimo dizer: "lunetas menores que 6x36 não são produto controlado na comercialização e no uso". Alguém deve até ter levantado essa bola no EB mas deve ter tido um engraçadinho que soltou a pérola "mas é um risco liberar estas lunetas para por em armas de fogo! A bandidagem vai deitar e rolar comprando lunetas nas lojas!" Aí saiu este texto "quando utilizadas em armas de pressão". Que como mostrei, não ajuda em nada em termos de controle.
 
Na realidade Henrique, quando eu lí a portaria, armas de pressão e mira óptica permitida estavam em dois itens diferentes, deixando claro que mesmo que seja para uso em armas de fogo.
Vou ler novamente para ter certeza.
Se forem em itens diferentes não há condicionamento.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Deveria ser. Mas ficar remendando a Lei ordinária com essas portarias mal escritas é um cano. O entendimento é este. Mas o texto trás a bisonha informação de que não é necessário registro quando utilizadas em arma de pressão.

Vejam como está mal escrito. O processo correto de aquisição de luneta ou qualquer outro acessório controlado é o mesmo da aquisição de uma arma de fogo. Pedido de compra, autorização, emite NF, apostilamento, solicitação de GT e emissão da GT. Esse seria o correto. Mas as lojas venderam quilos de lunetinhas 4x32 fora deste processo (naquela famosa interpretação errônea de que permitido significa que pode comercializar pra qualquer um). 

Agora vem a Portaria 41 e diz que não é controlado para quem afixa a luneta em arma de pressão. Como que se diferencia o processo de aquisição de uma luneta 4x32 ´para por numa CBC 8022 (arma de fogo) do processo de vender para quem vai usar numa arma de pressão?

O comprador é que diz? " Aêh meu camarada, manda aí uma lunetinha 4x32 que eu vou carcá na minha Montenegro F22...". É o comprador que determina?

Ou seja, basta chegar e dizer que é pra arma de pressão que a loja vende? 

tsk tsk tsk, muuuuito mal escrita.

O que seria o certo? No mínimo dizer: "lunetas menores que 6x36 não são produto controlado na comercialização e no uso". Alguém deve até ter levantado essa bola no EB mas deve ter tido um engraçadinho que soltou a pérola "mas é um risco liberar estas lunetas para por em armas de fogo! A bandidagem vai deitar e rolar comprando lunetas nas lojas!" Aí saiu este texto "quando utilizadas em armas de pressão". Que como mostrei, não ajuda em nada em termos de controle.
 
Controlado continua, não sou de controle, apenas esta liberada a venda das que antes eram permitidas.
Agora o processo de controle das liberadas e o mesmo das carabinas de ar.
O pessoal tá achando que pode usar qualquer luneta abaixo de 5x35 que tá tranquilo. Não é assim. Tem que ser comprada em loja lícita e está luneta tem.que estar apostilada nomcr da loja. As lojas precisam ter tanto luneta quanto carabinas de ar em seu mapa. O cliente final que não precisa ter CR. Mas seu CPF e RG ficam registrados no EB como as carabinas de ar comprimido.
Vai ter muita gente usando luneta do Paraguai, ou esquentada pelas lojas que vai estar errado achando que tá certo.

Enviado de meu Moto Z2 Play usando Tapatalk

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Deveria ser. Mas ficar remendando a Lei ordinária com essas portarias mal escritas é um cano. O entendimento é este. Mas o texto trás a bisonha informação de que não é necessário registro quando utilizadas em arma de pressão.

Vejam como está mal escrito. O processo correto de aquisição de luneta ou qualquer outro acessório controlado é o mesmo da aquisição de uma arma de fogo. Pedido de compra, autorização, emite NF, apostilamento, solicitação de GT e emissão da GT. Esse seria o correto. Mas as lojas venderam quilos de lunetinhas 4x32 fora deste processo (naquela famosa interpretação errônea de que permitido significa que pode comercializar pra qualquer um). 

Agora vem a Portaria 41 e diz que não é controlado para quem afixa a luneta em arma de pressão. Como que se diferencia o processo de aquisição de uma luneta 4x32 ´para por numa CBC 8022 (arma de fogo) do processo de vender para quem vai usar numa arma de pressão?

O comprador é que diz? " Aêh meu camarada, manda aí uma lunetinha 4x32 que eu vou carcá na minha Montenegro F22...". É o comprador que determina?

Ou seja, basta chegar e dizer que é pra arma de pressão que a loja vende? 

tsk tsk tsk, muuuuito mal escrita.

O que seria o certo? No mínimo dizer: "lunetas menores que 6x36 não são produto controlado na comercialização e no uso". Alguém deve até ter levantado essa bola no EB mas deve ter tido um engraçadinho que soltou a pérola "mas é um risco liberar estas lunetas para por em armas de fogo! A bandidagem vai deitar e rolar comprando lunetas nas lojas!" Aí saiu este texto "quando utilizadas em armas de pressão". Que como mostrei, não ajuda em nada em termos de controle.
 
Corroborando o que disse antes, no item do dispositivo de pontaria de uso permitido só está acessórios e dispositivo de pontaria
Não condiciona ao item anterior em nenhum momento e sim ao índice que diz que dispensa o registro.
Claro, reiterando o que eu disse e o que o Marco falou, luneta 4x32 de origem lícita, de acordo com a portaria 41 também pode ser usada em armas de fogo.14472890135d63b0baad974645b1541f.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 16/04/2018 em 16:47, Henrique Coelho disse:

Deveria ser. Mas ficar remendando a Lei ordinária com essas portarias mal escritas é um cano. O entendimento é este. Mas o texto trás a bisonha informação de que não é necessário registro quando utilizadas em arma de pressão.

Vejam como está mal escrito. O processo correto de aquisição de luneta ou qualquer outro acessório controlado é o mesmo da aquisição de uma arma de fogo. Pedido de compra, autorização, emite NF, apostilamento, solicitação de GT e emissão da GT. Esse seria o correto. Mas as lojas venderam quilos de lunetinhas 4x32 fora deste processo (naquela famosa interpretação errônea de que permitido significa que pode comercializar pra qualquer um). 

Agora vem a Portaria 41 e diz que não é controlado para quem afixa a luneta em arma de pressão. Como que se diferencia o processo de aquisição de uma luneta 4x32 ´para por numa CBC 8022 (arma de fogo) do processo de vender para quem vai usar numa arma de pressão?

O comprador é que diz? " Aêh meu camarada, manda aí uma lunetinha 4x32 que eu vou carcá na minha Montenegro F22...". É o comprador que determina?

Ou seja, basta chegar e dizer que é pra arma de pressão que a loja vende? 

tsk tsk tsk, muuuuito mal escrita.

O que seria o certo? No mínimo dizer: "lunetas menores que 6x36 não são produto controlado na comercialização e no uso". Alguém deve até ter levantado essa bola no EB mas deve ter tido um engraçadinho que soltou a pérola "mas é um risco liberar estas lunetas para por em armas de fogo! A bandidagem vai deitar e rolar comprando lunetas nas lojas!" Aí saiu este texto "quando utilizadas em armas de pressão". Que como mostrei, não ajuda em nada em termos de controle.
 

e amigo isso de ter que ter cr pra tudo e simplesmente puxado pelo pessoal puxa saco do governo que apoia que tudo mundo tem quer ter muito $$$ para pagar o suborno ao governo  que e o CR no brasil -

tambem e apoiado por donos de clubes de tiro  que lucram com o CR

apoiado por quem tem aquele pensamento egoista tipo eu tenho o cr e pago  tudo mundo de ter $$$ para esse suborno ao governo ou então nem deveria ter nem uma airgun se não vai pagar o cr assim como eu pago para minhas armas de fogo 

e tambem apoiado pelo medo que muita gente tem no brasil da simples imagem de uma arma mesmo sendo ela uma airgun 

pelo amor de deus quando isso vai mudar 

quando esses brasileiros vão mudar esse pensamento torno que arma no brasil e coisa so de policia ou de bandido 

por isso que esse pais não muda pra melhor como diversos paises mundo afora que o povo não tem medo nem preconceito de ver o propio povo- os civis armados 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 16/04/2018 em 17:12, marco disse:

Controlado continua, não sou de controle, apenas esta liberada a venda das que antes eram permitidas.
Agora o processo de controle das liberadas e o mesmo das carabinas de ar.
O pessoal tá achando que pode usar qualquer luneta abaixo de 5x35 que tá tranquilo. Não é assim. Tem que ser comprada em loja lícita e está luneta tem.que estar apostilada nomcr da loja. As lojas precisam ter tanto luneta quanto carabinas de ar em seu mapa. O cliente final que não precisa ter CR. Mas seu CPF e RG ficam registrados no EB como as carabinas de ar comprimido.
Vai ter muita gente usando luneta do Paraguai, ou esquentada pelas lojas que vai estar errado achando que tá certo.

Enviado de meu Moto Z2 Play usando Tapatalk
 

amigo isso  de controlar lunetas e uma grande palhaçada so ajuda o governo a roubar do povo com o cr mais em nada as lunetas que são usadas no nosso  pais na sua grande maioria em airguns  são  95% delas ou mais tudo  replicas feitas na china e etc

 sao uma categoria de equipamento que não presta para nem para  civil  militar  ou ate bandido equipar armas e fogo de alto calibre muitas dessa lunetas são danificadas pelo recuo de uma airgun  - imagina vender a ideia de usar esses equipamentos que são replicas em armas de calibres 7.62 ou 556 

e uma piada vender a ideia que esses tipos de lunetas replicas que são voltadas mesmo para o esporte com airguns ou como em paises asiatico são usadas no esporte airsoft - vão estar no brasil servindo como um equipamento correto para armas de alto poder de fogo como fuzis nos calibres de guerra 7.62 e 556 

isso  de temer esse tipo de equipamento "replica" que e mais para um esporte -  vem mais da paranoia e medo do brasileiro com algo que se assemelha a arma nesse pais do que com qualquer outra coisa 

as airguns e os equipamentos voltados para elas não oferecem risco algum ao cidadão brasileiro 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

Entre para seguir isso  

  • Quem Está Navegando   0 membros estão online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.

×