Jump to content

ANUNCIANTES

Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada
rodnei1954

Armas e democracia

Recommended Posts

Crônica publicada na coluna do jornalista Carlos Ramalhete no Jornal Gazeta do Povo de hoje (10/10/2013).

Se alguém quiser agradecer ao mesmo, aqui está o email: carlosgazeta@hsjonline.com

 

Link para acesso ao jornal on line:

http://www.gazetadopovo.com.br/colunistas/conteudo.phtml?tl=1&id=1415611&tit=Armas-e-democracia

 

Reproduzo abaixo a íntegra da crônica:

 

Diz o ditado americano que Deus criou os homens, mas o coronel Colt tornou-os iguais. O milagre realizado por esse coronel foi simples: a invenção do revólver de repetição, uma arma simples, barata e eficaz, que não demanda muito de seu usuário. Não era o caso das armas que ele sucedeu, como a espada, que demandava enorme tempo de treino e força física considerável, ou mesmo as primeiras armas de fogo, capazes de disparar uma única vez, e depois demandando um complicadíssimo processo de recarga. O revólver torna iguais a moça fraquinha e o homem forte. O revólver e sua continuação, a pistola, são, fundamentalmente, ferramentas que servem para tornar, com o diz o ditado, as pessoas iguais. Uma sociedade armada com revólveres é uma sociedade essencialmente democrática.

 

Sem essa ferramenta, só o que impede que uma moça seja estuprada é a civilidade dos homens que ela encontre no caminho. Civilidade esta que está, lamentavelmente, em falta. Parece-me também evidente que não é andando de peitos de fora, com “vadia” escrito em tinta vermelha, que essa civilidade será aumentada.

 

Do mesmo modo, uma pessoa de idade, quando desarmada, está nas mãos de qualquer jovem. Se ambos estiverem armados, tornam-se ambos iguais. Se a população inteira estiver armada – como a população de Israel ou da Suíça –, a criminalidade violenta praticamente desaparece, por ser o criminoso, por definição, uma exceção. A imensa maioria da população é ordeira e obedece às leis.

 

Já os criminosos não seriam jamais desarmados por uma lei; por definição, afinal, eles não obedecem às leis!

 

E, como ninguém é mais poderoso que a única pessoa armada em meio a pessoas desarmadas, desarmar as vítimas aumenta enormemente o poder dos criminosos. Alguém que puxe uma arma num bar suíço vai se ver diante de tantas outras quantos forem os fregueses e trabalhadores do estabelecimento. Já num país como o nosso – em que aqueles que nos anos 70 pegaram em armas contra o governo desarmaram a população honesta assim que chegaram ao poder – qualquer bandidinho com um 32 enferrujado vira rei ao sacá-lo. Como cantava Bezerra da Silva, “você com um revólver na mão é um bicho feroz; sem ele, anda rebolando e até muda de voz”...

 

A população brasileira tem consciência disso, e dois em cada três brasileiros expressaram no plebiscito sua reprovação ao desarmamento. O governo, como sempre, ignorou tanto a voz da maioria quanto o bom senso. Mas, afinal, não é como se estivéssemos em uma democracia, não é mesmo?

 

  • Upvote 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Perfeito vou encaminhar um e-mail para ele.

 

Obrigado por compartilhar amigo, quando leio artigos desta natureza até me encho de esperança,

 

Abraços

 

Luiz Ferrarini

Share this post


Link to post
Share on other sites

Água mole em em pedra dura, tanto bate até que fura. Se muitos escreverem, como este articulista, uma massa crítica será criada. Foi assim, para que o nosso país se tornasse uma república. E o curioso que Deodoro era monarquista de carteirinha. O destino prega peças. Quem viver verá!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Meu Deus! É duro! mas nada mais que a pura verdade! + 1 ponto.

 

Sempre disse que uma nação sem defesa, é uma nação fadada ao fracasso. Ai pode incluir cidadão no lugar de nação.

 

Essa campanha do desarmamento, se houve boa fé nela, não passou de boa fé. Mas como dizem o inferno está cheio de boas intenções... Eu acredito que no lugar de boa fé, foi mesmo interesses de alguns ( o Estado ) em ter uma população fraca e submissa, mesmo porque como diz o texto claramente ali em cima, a lei só desarmou o cidadão honesto e de bem. Quem anda a margem da lei, claro não cumpre ou acata a mesma. Ainda se o Estado tivesse competência de nos dar a proteção que realmente precisamos... Está mais do que provado que não é o caso.

 

Ps no caso, Estado, é o poder constituído que deveria respeitar, servir e proteger o cidadão.

Edited by Mario C Ventura

Share this post


Link to post
Share on other sites

Gostei do texto! Excelente posicionamento e que bom que a Gazeta do Povo nao o censurou nessa publicação pois é bem capaz que se fosse veiculada em algum outro meio de comunicação, ou até outro jornal, poderia ter sido censurada, em pleno século 21, por ir contra o desejo das autoridades de merda.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...

WhatsApp Image 2019-11-25 at 09.08.52.jpeg