Jump to content

ANUNCIANTES

Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada
MATTHEW QUIGLEY

TX200 Mark III: parte 1 16 De setembro de 2013 | Autor B.B. Pelletier

Recommended Posts

Se alguém tiver tempo e boa vontade para traduzir o artigo...

 

Rasfasani teve!

 

EM PORTUGUÊS ( tradução de RASFASANI ) -------------------------------------------------------------------------------

 

TX200 Mark III: Parte 1

16 de setembro de 2013 | Autor B.B. Pelletier

por Tom Gaylord, a.k.a. B.B. Pelletier

09-16-13-01-TX-200-Mark-III1.jpg
TX200 Mark III do B.B.

Este relatório está bem atrasado, e eu sei que eu testei o rifle TX200 anteriormente; mas com as migrações do blog por diferentes softwares e alterações no site, se tornou temporariamente muito difícil para encontrar os relatórios antigos. Eu normalmente procuro por eles em um site de busca, mas até isso não funciona muito bem neste caso. Então, aqui vamos nós, denovo. Desta vez, nós seguiremos o meu formato completo de relatório, também farei alguns testes adicionais baseados em algumas das coisas interessantes que viemos explorando em outros relatórios no ano que se passou.
O leitor do blog Beazer pediu por este relatório especificamente porque ele acabou de receber uma nova TX200 Mark III, mas eu faço tantas referências a esta arma em outros relatórios que a sua hora chegou simplesmente por princípio. O TX200 Mark III é o melhor rifle por ação de molas disponível atualmente. Por favor note que eu não disse "um dos" ou "talvez" ou qualquer outro modificador de tempo. Este é simplesmente a melhor arma por ação de molas que existe hoje - sem exceção.
E deixe-me esclarecer outra coisa. Quando eu digo TX200 Mark III, eu não estou me referindo a menor TX200 HC (Hunter Carbine) que é consideravelmente mais dura de engatilhar, também não estou me referindo a Pro Sport, que também é um rifle por ação de mola com alavanca e tão pesada para engatilhar quanto a TX200 HC. Também não me refiro a TX200 SR (semi recoiless - "semi sem recuo") que não é mais fabricada. Eu me refiro a apenas uma arma - a TX200 Mark III. Não tente pintar toda a linha de springers da Air Arms com o que eu estou prestes a dizer sobre a TX200.

História

Se esta é a Mark III, deve ter havido uma Mark I e II - certo? Sim, houveram. A Mark I não era chamada de Mark I. Era somente chamada TX200, e foi lançada no final dos anos 80. Era diferente da Mark II que a seguiu por não ter uma trava para a câmara deslizante que fica do lado de fora do tubo de molas das Marks II e III. Você simplesmente puxava a alavanca para baixo e engatilhava a arma diretamente, então segurava na alavanca enquanto municiava; para caso a mola escapasse, a câmara de compressão deslizante não amputasse seus dedos.
A TX200 tinha aparência diferente da Weihrauch HW77, que era a febre naquela época; porque, ao invés de usar um cano e porta de transferência de ar descentralizados, a TX centralizou o cano na câmara de compressão. Como o cano é de um diâmetro menor do que a câmara de compressão, isso deu uma aparência de "corcunda" distinta ao rifle, enquanto a linha do HW77 era reta. A corcunda do cano é uma característica do perfil da TX200.

09-16-13-02-TX-200-Mark-III-barrel-hump1
A corcunda do cano é uma característica do perfil da TX200.

Mas a porta de transferência de ar centralizada fez toda a diferença em termos de força porque a TX200 foi capaz de desenvolver força mais facilmente que a HW77. A mola pôde ser mais curta e mais leve, e o engatilhamento mais fácil.
Em 1994, a TX200 Mark II foi lançada. Aquele rifle teve a primeira trava de câmara de compressão deslizante instalada na direita do tubo da mola, e fazia tantos barulhos de clique que competidores de field target como eu rapidamente aprendemos a segurar a trava apertada enquanto engatilhavamos o rifle. A Mark III reduziu o número de cliques para apenas 3, algo que a maioria dos atiradores não fez objeção.

09-16-13-03-TX-200-Mark-III-compression-
A trava da câmara de compressão deslizante pode ser vista na esquerda. Os 3 cortes na câmara de compressão deslizante são tudo que impedem que a câmara deslize para frente até que o sistema de gatilho segure o pistão. Você também pode ver o zigrinado antigo na minha coronha de 'beech' (faia).

Eu testei o meu rifle para o "The Airgun Letter" ("A carta de Airgun" em tradução livre), então deixei o Jim Maccari tunar ela e testei novamente. Finalmente, enviei para Ken Reeves para ser tunada, e aquela série de testes foram os últimos que eu fiz. Depois disso, eu só atirei com este rifle até o TX200 Mark III ser lançado.
Eu comprei uma TX200 Mark III no ano 2000 e descobri que ela tinha toda a sofisticação que a minha Mark II totalmente tunada tinha, então eu disse adeus para a Mark II e mantive a Mark III. Este é o rifle que eu ainda tenho, e é o que usarei para este relatório. Aí pode estar um problema.

Defletores - sim ou não?
Parece que a Air Arms pode ter feito uma mudança de design no rifle em 2008 sem alterar a designação Mark. Eles podem ter eliminado os defletores na "carcaça" do cano. O Mark III que está comigo tem pelo menos 3 defletores e talvez 4 dentro da jaqueta do cano, e eu venho dizendo as pessoas que todas as TX200 Mark III tem estes defletores. Mas uma mensão um tanto obscura no "Blue Book of Airguns" ("Livro Azul das Airguns" em tradução livre) sugere que os defletores podem ter sido eliminados em 2008. Apesar de as armas que estão sendo vendidas hoje ainda serem chamadas de Mark III, podem não ser exatamente o mesmo design da arma que estou testando para vocês.
Eu posso ver os defletores no meu rifle olhando por dentro do cano com uma lanterna, também posso usar um arame de cabide para sentir e contá-los. Edith mandou um e-mail para Air Arms para ter uma resposta, e eu os deixarei informados sobre o que ela descobrir.
Eu nunca pedi para Pyramyd Air por uma Mark III para testar; porque enquanto ainda for uma Mark III, deve ser exatamente como o meu rifle por dentro. É o que o termo Mark significa! Mas podem ter havido algumas mudanças que eu perdi. Então, eu decidi pedir uma TX200 Mark III da produção atual para testar.
Eu estou ciente que o zigrinado mudou de um padrão xadrez para um de "escamas reversas" entalhadas com um acabamento floral nos cantos. E a parte frontal da coronha também é escalopado e um pouco mais fino. Eu gosto mais do novo visual; mas até pesquizar para este relatório, esta era a única mudança que eu estava ciente.

09-16-13-04-TX-200-Mark-III-new-stock-ca
Esta TX200 é de propriedade do Jerry, um dos leitores do nosso blog. Você pode ver o novo estilo dos entalhes da coronha, e também a coronha do Jerry é de 'walnut' (nogueira).

.

O rifle

Chega de história. Agora, vamos dar uma olhada no rifle. O TX200 é um rifle por ação de molas com alavanca que usa uma câmara de compressão deslizante. Quando você engatinha o rifle a câmara de compressão inteira desliza para fora do caminho, dando a você um ótimo espaço para carregar o chumbo diretamente na culatra. A câmara deslizante então volta para seu lugar, deixando o pistão engatilhado até o tiro ser disparado.
O trinco que segura a alavanca é com uma esfera que é o mais discreta possível. Só uma coisa poderia ser melhor, e isso seria um "lever linkage that goes over-center as it’s returned home" (Não consegui traduzir esta parte, alguém?). Eu sei disso porque a Venom Mach II era um rifle de mais de $2,000 que usava alavanca, tinha aparência idêntica a TX200 e tinha um sistema como esse. Eu fui privilegiado de poder atirar com um dos poucos exemplares que foram feitos quando eu era do clube de field target DIFTA. Mas aquele rifle era feito a mão por Ivan Hancock; e se ainda fosse vendido hoje, o preço seria provavelmente acima de $6,000.

09-16-13-05-TX-200-Mark-III-underlever-l
A alavanca é presa por uma grande esfera com mola. É macia e discreta.

.

09-16-13-06-TX-200-Mark-III-breech.jpg
Quando o rifle está engatilhado a câmara de compressão deslizante fica recolhida fora do caminho, dando um bom acesso à culatra.

Gatilho
O gatilho TX é um refinamento do famoso gatilho Rekord que a Weihrauch fez e vendeu com sucesso pelo último meio-século. Os melhoramentos estão na área de melhor ajustabilidade para os dois estágios e uma trava de segurança mais 'positiva'. Apesar de a Air Arms produzir este gatilho em uma fábrica, ele ainda é altamente refinado. Os chineses fizeram um bom trabalho copiando a TX200 mas nunca conseguiram deixar o gatilho do jeito certo.
A TX é famosa pelo encaixe e acabamento de suas peças de madeira e metal. Toda madeira tem acabamento liso e preciso e o metal é altamente polido e com uma oxidação 'profunda'. Plástico? Não há nenhum para ser visto. Na verdade, donos de TX reclamam sobre uso ocasional de alumínio nos seus rifles. Eles são como donos de Rolls Royce que reclamam sobre o relógio elétrico barulhento! A madeira é generosa em suas dimensões, dando uma sensação de volume ao rifle. Essa sensação pode ser vista pelos donos de duas maneiras. Ou ele é pesado demais - com 4.2kg, sem luneta - ou fica uma boa empunhadura - uma visão de estabilidade. Mesmo rifle - duas visões diferentes. Mas a arma é o que é e provavelmente não vai mudar. Uma coronha de walnut vai reduzir um pouco o peso, mas você ainda saberá que tem um rifle em suas mãos.
A TX vem nos calibres .177 (4,5mm) e .22 (5,5mm). Eu sempre recomendei o .177 porque eu penso neste rifle como uma arma de field target; mas a verdade é que ela é ótima em ambos os calibres. Em .177, o rifle vai disparar Crosman Premier lites a quase 900 fps (quase 300mps) nova saindo da caixa; mas após uns 2000 tiros, vai passar de 930 fps (310 mps) com o mesmo chumbo.

Colocando uma luneta no rifle
O rifle vem sem mira aberta; se isso é necessário para você, dê meia volta. A TX200 Mark III é tão feita para mira aberta como um Corvette é feito para um motor econômico de 4 cilindros. Você não coloca simplesmente uma luneta neste rifle, você coloca a melhor luneta que você pode pagar porque a sua precisão inerente justifica isso.
Os trilhos são de 11mm e cortados diretamente no tubo da mola. Três furos de 'stop' fornecem um lugar para ancorar os anéis da luneta. Quando chegarmos a parte 3, eu mostro o sistema de fixação de luneta em detalhes.

O que faremos
Eu vou testar a minha TX200 Mark III para vocês exatamente como se esse fosse um teste de uma nova arma. Meu rifle foi disparado milhares de vezes, mas nunca foi tunado ou mexido. Além de ajustar o gatilho, eu mantive a arma exatamente como saiu da caixa 13 anos atrás.
Depois de testar a precisão - talvez até a 50 jardas (aprox. 46m) - eu espero fazer outros tipos de testes para vocês. O que me vem a mente é testar o rifle apoiado diretamente em um sandbag versus artillery hold, já que este foi um assunto recente interessante. Tenho certeza que existem outras coisas que as pessoas vão querer que eu faça.
Eu também espero pegar uma TX nova da Pyramyd Air para comparar com o meu rifle amaciado. Eu examinarei em detalhes para ver quais são as diferenças e reportarei para vocês.
Este promete ser um teste interessante que eu posso ver se prolongando para várias partes, então vamos começar!

______________________________

Edited by matthew quigley
  • Upvote 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Muito bom esse tópico. Estou ansioso para ver o restante. +1 pra você.

 

Eu tb. estou.

O autor merece atenção e respeito.

Obrigado Tarcísio.

Abraço.

 

Edited by matthew quigley

Share this post


Link to post
Share on other sites

Opa, eu estava lendo recentemente este teste antigo que eles fez no site da pyramyd air.

Ansioso para ver esse novo, especialmente a comparação do rifle já bem amaciado com um novo.

 

Eu já fiz a tradução do artigo para o português, só vou formatar direito como o matthew postou aqui originalmente e já posto abaixo.

 

 

--------------------------------------------------------------------------------

 

TX200 Mark III: Parte 1

16 de setembro de 2013 | Autor B.B. Pelletier

por Tom Gaylord, a.k.a. B.B. Pelletier

09-16-13-01-TX-200-Mark-III1.jpg
TX200 Mark III do B.B.

Este relatório está bem atrasado, e eu sei que eu testei o rifle TX200 anteriormente; mas com as migrações do blog por diferentes softwares e alterações no site, se tornou temporariamente muito difícil para encontrar os relatórios antigos. Eu normalmente procuro por eles em um site de busca, mas até isso não funciona muito bem neste caso. Então, aqui vamos nós, denovo. Desta vez, nós seguiremos o meu formato completo de relatório, também farei alguns testes adicionais baseados em algumas das coisas interessantes que viemos explorando em outros relatórios no ano que se passou.
O leitor do blog Beazer pediu por este relatório especificamente porque ele acabou de receber uma nova TX200 Mark III, mas eu faço tantas referências a esta arma em outros relatórios que a sua hora chegou simplesmente por princípio. O TX200 Mark III é o melhor rifle por ação de molas disponível atualmente. Por favor note que eu não disse "um dos" ou "talvez" ou qualquer outro modificador de tempo. Este é simplesmente a melhor arma por ação de molas que existe hoje - sem exceção.
E deixe-me esclarecer outra coisa. Quando eu digo TX200 Mark III, eu não estou me referindo a menor TX200 HC (Hunter Carbine) que é consideravelmente mais dura de engatilhar, também não estou me referindo a Pro Sport, que também é um rifle por ação de mola com alavanca e tão pesada para engatilhar quanto a TX200 HC. Também não me refiro a TX200 SR (semi recoiless - "semi sem recuo") que não é mais fabricada. Eu me refiro a apenas uma arma - a TX200 Mark III. Não tente pintar toda a linha de springers da Air Arms com o que eu estou prestes a dizer sobre a TX200.

História

Se esta é a Mark III, deve ter havido uma Mark I e II - certo? Sim, houveram. A Mark I não era chamada de Mark I. Era somente chamada TX200, e foi lançada no final dos anos 80. Era diferente da Mark II que a seguiu por não ter uma trava para a câmara deslizante que fica do lado de fora do tubo de molas das Marks II e III. Você simplesmente puxava a alavanca para baixo e engatilhava a arma diretamente, então segurava na alavanca enquanto municiava; para caso a mola escapasse, a câmara de compressão deslizante não amputasse seus dedos.
A TX200 tinha aparência diferente da Weihrauch HW77, que era a febre naquela época; porque, ao invés de usar um cano e porta de transferência de ar descentralizados, a TX centralizou o cano na câmara de compressão. Como o cano é de um diâmetro menor do que a câmara de compressão, isso deu uma aparência de "corcunda" distinta ao rifle, enquanto a linha do HW77 era reta. A corcunda do cano é uma característica do perfil da TX200.

09-16-13-02-TX-200-Mark-III-barrel-hump1
A corcunda do cano é uma característica do perfil da TX200.

Mas a porta de transferência de ar centralizada fez toda a diferença em termos de força porque a TX200 foi capaz de desenvolver força mais facilmente que a HW77. A mola pôde ser mais curta e mais leve, e o engatilhamento mais fácil.
Em 1994, a TX200 Mark II foi lançada. Aquele rifle teve a primeira trava de câmara de compressão deslizante instalada na direita do tubo da mola, e fazia tantos barulhos de clique que competidores de field target como eu rapidamente aprendemos a segurar a trava apertada enquanto engatilhavamos o rifle. A Mark III reduziu o número de cliques para apenas 3, algo que a maioria dos atiradores não fez objeção.

09-16-13-03-TX-200-Mark-III-compression-
A trava da câmara de compressão deslizante pode ser vista na esquerda. Os 3 cortes na câmara de compressão deslizante são tudo que impedem que a câmara deslize para frente até que o sistema de gatilho segure o pistão. Você também pode ver o zigrinado antigo na minha coronha de 'beech' (faia).

Eu testei o meu rifle para o "The Airgun Letter" ("A carta de Airgun" em tradução livre), então deixei o Jim Maccari tunar ela e testei novamente. Finalmente, enviei para Ken Reeves para ser tunada, e aquela série de testes foram os últimos que eu fiz. Depois disso, eu só atirei com este rifle até o TX200 Mark III ser lançado.
Eu comprei uma TX200 Mark III no ano 2000 e descobri que ela tinha toda a sofisticação que a minha Mark II totalmente tunada tinha, então eu disse adeus para a Mark II e mantive a Mark III. Este é o rifle que eu ainda tenho, e é o que usarei para este relatório. Aí pode estar um problema.

Defletores - sim ou não?
Parece que a Air Arms pode ter feito uma mudança de design no rifle em 2008 sem alterar a designação Mark. Eles podem ter eliminado os defletores na "carcaça" do cano. O Mark III que está comigo tem pelo menos 3 defletores e talvez 4 dentro da jaqueta do cano, e eu venho dizendo as pessoas que todas as TX200 Mark III tem estes defletores. Mas uma mensão um tanto obscura no "Blue Book of Airguns" ("Livro Azul das Airguns" em tradução livre) sugere que os defletores podem ter sido eliminados em 2008. Apesar de as armas que estão sendo vendidas hoje ainda serem chamadas de Mark III, podem não ser exatamente o mesmo design da arma que estou testando para vocês.
Eu posso ver os defletores no meu rifle olhando por dentro do cano com uma lanterna, também posso usar um arame de cabide para sentir e contá-los. Edith mandou um e-mail para Air Arms para ter uma resposta, e eu os deixarei informados sobre o que ela descobrir.
Eu nunca pedi para Pyramyd Air por uma Mark III para testar; porque enquanto ainda for uma Mark III, deve ser exatamente como o meu rifle por dentro. É o que o termo Mark significa! Mas podem ter havido algumas mudanças que eu perdi. Então, eu decidi pedir uma TX200 Mark III da produção atual para testar.
Eu estou ciente que o zigrinado mudou de um padrão xadrez para um de "escamas reversas" entalhadas com um acabamento floral nos cantos. E a parte frontal da coronha também é escalopado e um pouco mais fino. Eu gosto mais do novo visual; mas até pesquizar para este relatório, esta era a única mudança que eu estava ciente.

09-16-13-04-TX-200-Mark-III-new-stock-ca
Esta TX200 é de propriedade do Jerry, um dos leitores do nosso blog. Você pode ver o novo estilo dos entalhes da coronha, e também a coronha do Jerry é de 'walnut' (nogueira).

.

O rifle

Chega de história. Agora, vamos dar uma olhada no rifle. O TX200 é um rifle por ação de molas com alavanca que usa uma câmara de compressão deslizante. Quando você engatinha o rifle a câmara de compressão inteira desliza para fora do caminho, dando a você um ótimo espaço para carregar o chumbo diretamente na culatra. A câmara deslizante então volta para seu lugar, deixando o pistão engatilhado até o tiro ser disparado.
O trinco que segura a alavanca é com uma esfera que é o mais discreta possível. Só uma coisa poderia ser melhor, e isso seria um "lever linkage that goes over-center as it’s returned home" (Não consegui traduzir esta parte, alguém?). Eu sei disso porque a Venom Mach II era um rifle de mais de $2,000 que usava alavanca, tinha aparência idêntica a TX200 e tinha um sistema como esse. Eu fui privilegiado de poder atirar com um dos poucos exemplares que foram feitos quando eu era do clube de field target DIFTA. Mas aquele rifle era feito a mão por Ivan Hancock; e se ainda fosse vendido hoje, o preço seria provavelmente acima de $6,000.

09-16-13-05-TX-200-Mark-III-underlever-l
A alavanca é presa por uma grande esfera com mola. É macia e discreta.

.

09-16-13-06-TX-200-Mark-III-breech.jpg
Quando o rifle está engatilhado a câmara de compressão deslizante fica recolhida fora do caminho, dando um bom acesso à culatra.

Gatilho
O gatilho TX é um refinamento do famoso gatilho Rekord que a Weihrauch fez e vendeu com sucesso pelo último meio-século. Os melhoramentos estão na área de melhor ajustabilidade para os dois estágios e uma trava de segurança mais 'positiva'. Apesar de a Air Arms produzir este gatilho em uma fábrica, ele ainda é altamente refinado. Os chineses fizeram um bom trabalho copiando a TX200 mas nunca conseguiram deixar o gatilho do jeito certo.
A TX é famosa pelo encaixe e acabamento de suas peças de madeira e metal. Toda madeira tem acabamento liso e preciso e o metal é altamente polido e com uma oxidação 'profunda'. Plástico? Não há nenhum para ser visto. Na verdade, donos de TX reclamam sobre uso ocasional de alumínio nos seus rifles. Eles são como donos de Rolls Royce que reclamam sobre o relógio elétrico barulhento! A madeira é generosa em suas dimensões, dando uma sensação de volume ao rifle. Essa sensação pode ser vista pelos donos de duas maneiras. Ou ele é pesado demais - com 4.2kg, sem luneta - ou fica uma boa empunhadura - uma visão de estabilidade. Mesmo rifle - duas visões diferentes. Mas a arma é o que é e provavelmente não vai mudar. Uma coronha de walnut vai reduzir um pouco o peso, mas você ainda saberá que tem um rifle em suas mãos.
A TX vem nos calibres .177 (4,5mm) e .22 (5,5mm). Eu sempre recomendei o .177 porque eu penso neste rifle como uma arma de field target; mas a verdade é que ela é ótima em ambos os calibres. Em .177, o rifle vai disparar Crosman Premier lites a quase 900 fps (quase 300mps) nova saindo da caixa; mas após uns 2000 tiros, vai passar de 930 fps (310 mps) com o mesmo chumbo.

Colocando uma luneta no rifle
O rifle vem sem mira aberta; se isso é necessário para você, dê meia volta. A TX200 Mark III é tão feita para mira aberta como um Corvette é feito para um motor econômico de 4 cilindros. Você não coloca simplesmente uma luneta neste rifle, você coloca a melhor luneta que você pode pagar porque a sua precisão inerente justifica isso.
Os trilhos são de 11mm e cortados diretamente no tubo da mola. Três furos de 'stop' fornecem um lugar para ancorar os anéis da luneta. Quando chegarmos a parte 3, eu mostro o sistema de fixação de luneta em detalhes.

O que faremos
Eu vou testar a minha TX200 Mark III para vocês exatamente como se esse fosse um teste de uma nova arma. Meu rifle foi disparado milhares de vezes, mas nunca foi tunado ou mexido. Além de ajustar o gatilho, eu mantive a arma exatamente como saiu da caixa 13 anos atrás.
Depois de testar a precisão - talvez até a 50 jardas (aprox. 46m) - eu espero fazer outros tipos de testes para vocês. O que me vem a mente é testar o rifle apoiado diretamente em um sandbag versus artillery hold, já que este foi um assunto recente interessante. Tenho certeza que existem outras coisas que as pessoas vão querer que eu faça.
Eu também espero pegar uma TX nova da Pyramyd Air para comparar com o meu rifle amaciado. Eu examinarei em detalhes para ver quais são as diferenças e reportarei para vocês.
Este promete ser um teste interessante que eu posso ver se prolongando para várias partes, então vamos começar!

--------------------------------------------------------------------------------

 

Alguns termos eu não tenho certeza se traduzi corretamente, então se alguém souber um termo melhor pode falar que eu altero. Assim como qualquer outro erro é claro!
Alguns deles:
air transfer port - porta de transferência de ar
baffle - defletor
shroud - carcaça
reverse crosshatch - escamas reversas (por não conseguir traduzir o 'crosshatch' utilizei o termo escamas que é como vejo o pessoal se referindo aqui no brasil)

Assim como esta parte que eu não consegui traduzir:
"lever linkage that goes over-center as it’s returned home"

Valeu!

 

PS, Matthew, se quiser postar essa versão no seu post no lugar da tradução do google pro tópico ficar mais organizado fique a vontade.

Edited by rafasani
  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Rasfasani, meu caro,

 

com rara boa vontade você fez excelente tradução em IMHO, o que é bastante difícil mesmo para quem morou em países de língua inglesa.

Edited by matthew quigley

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tradutor oficial? aff ferrou!

hehehehe de boa, no que eu puder ajudar eu ajudo.

Ainda sou novato com relação ao tiro então não tenho muito o que contribuir neste sentido com o fórum, só 'sugando' informação.

Então contribuo com a comunidade como eu posso.

 

abraço

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tradutor oficial? aff ferrou!

hehehehe de boa, no que eu puder ajudar eu ajudo.

Ainda sou novato com relação ao tiro então não tenho muito o que contribuir neste sentido com o fórum, só 'sugando' informação.

Então contribuo com a comunidade como eu posso.

 

abraço

Isso é modéstia sua, Rafael, rsrsrs

Vamos trocando umas idéias pelo caminho.

 

 

Matthew

 

Sent from my Nexus 7 using Tapatalk 4

Edited by matthew quigley

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...

WhatsApp Image 2020-01-20 at 07.32.15 (1).jpeg