Jump to content

ANUNCIANTES

Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada
Eduardo Macedo

GAS RAM - FORÇA DE AVANÇO E FORÇA DE RETORNO

Recommended Posts

GAS RAM - FORÇA DE AVANÇO E FORÇA DE RETORNO

Este texto vai dar o que falar, mas escrevo para tentar esclarecer aos atiradores que costumam me perguntar sobre qual é o Gas Ram mais adequado para determinadas carabinas, se de 45 kgf, 50 kgf, etc.

Como sabem, a minha resposta sempre é:
"Não é possível dizer com exatidão porque esses valores se referem à força para comprimir a mola e isso não diz muita coisa, é só referência usada pelos fabricantes, mas eles podem dizer a energia que cada mola produz".

Explico:
A força que interessa no Gas Ram é a força de retorno, que empurra o pistão e comprime o ar. Essa força pode ser 25% ou até 45% menor do que a força de avanço, que comprime a mola. Tudo depende da eficiência e da taxa de compressão e isso varia conforme o projeto de cada fabricante.

Complicado, não é mesmo?

Por isso, o que interessa é a energia do chumbinho ao sair do cano da arma, ou seja, a energia em Joules (J) que é resultado da velocidade e do peso do chumbinho.

Desde que surgiram, há mais de cem anos, as armas de pressão 'Springers' foram, e muitas ainda são, equipadas com molas helicoidais.

Pergunto:

Alguém compra ou vende mola helicoidal pela força de compressão, ou alguém se preocupa com a força desse tipo de mola em sua arma?

Algum fabricante de arma de pressão vende suas armas pela força da mola?

NÃO!

Então, por que se preocupar com a força de compressão da mola a gás (Gas Ram)?

Bom, isso só existe no Brasil.

É verdade que a força do Gas Ram se tornou referência entre os atiradores e é necessária como forma de o fabricante diferenciar e desenvolver os seus produtos, mas não serve como parâmetro de eficiência aos proprietários de armas de pressão, sem falar que a maioria não tem cronógrafo para verificar a velocidade e a energia do chumbinho com determinada mola.

No caso das molas helicoidais, elas geralmente tem força de retorno em torno de 50% da força de avanço (compressão), mas ninguém faz ideia da força da mola em sua arma de pressão, até porque isso não é importante.

Importantes são a energia do chumbinho ao sair do cano, a intensidade do recuo, a vibração e o conforto ao engatilhar.

Mas esses fatores não dependem só da força de avanço ou compressão da mola, dependem da curva de pressão e da eficiência da mola, de modo que molas de fabricantes diferentes podem resultar em energias diferentes mesmo com a mesma força.

Quanto à força de engatilhar e o recuo, se por exemplo uma mola com força de compressão de 50 kgf tiver taxa de compressão mais alta do que uma mola de 60 kgf, ela apresentará recuo maior e a arma será mais difícil de armar, apesar de a sua força inicial de compressão ser menor.

Outro exemplo comum que podemos citar é o de dizer que bloco de polímero não aguenta mola de determinada força de compressão. Isso é falácia, visto que a força de retorno é bem menor e de qualquer forma não transmite esforço para o bloco, então, o bloco poderia não resistir à força para engatilhar, mas isso não ocorre e a dificuldade ou facilidade de armar depende da taxa de compressão e não somente da força de avanço inicial.

Sim, o assunto é bastante complicado e sei que para muitos é tão difícil de entender quanto é para eu explicar sem usar linguagem técnica.

Contudo, temos a obrigação de esclarecer e acabar com os mitos, e avaliar a eficiência das molas a gás somente pela força inicial de compressão pode se tornar mais um mito como o das molas duplas e triplas, e mais uma vez criar informação falsa.

Isso posto, concluo dizendo que a mola do fabricante A pode ter desempenho diferente da mola do fabricante B, mesmo que a força de compressão seja igual e é muito mais fácil ter um cronógrafo para medir a velocidade do chumbinho e assim determinar a sua energia, do que ter equipamento para medir as forças de avanço e de retorno da mola. Pensem nisso.

Atire para acertar!

FONTE e Autorização FÓRUM CA: Nelson L. De Faria 

  • Like 1
  • +1 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...

Important Information