Jump to content

ANUNCIANTES

Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada

Pincipi

Members
  • Content Count

    397
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    30
  • Country

    Brazil

Pincipi last won the day on January 10

Pincipi had the most liked content!

Community Reputation

119 Master

2 Followers

About Pincipi

  • Rank
    Atirador Veterano

Profile Information

  • Sua Localidade
    São Paulo/SP

Recent Profile Visitors

934 profile views
  1. O original eu não encontrei a venda em lugar nenhum mas, sei que serve nela qualquer manômetro de airsoft, CO2 ou PCP de medida 1/8" polegadas NPT e 5000PSI. Eventualmente pode ser que alguém anuncie um usado em sites de leilão.
  2. No grupo do watsapp surgiu o assunto de liquido refrigerante dentro da bomba, achei um vídeo do modelo em questão, diferente da minha: Agora ficou a dúvida se a minha tinha o tal liquido refrigerante ou não.
  3. Muitas pessoas tem comprado luneta direto da China devido à recente liberação e o padrão das encomendas lá geralmente começa por "ID" seguido de 14 números e terminado em "CN" Tipo assim ID12345678912345CN, ai a compra chega no Brasil e por algum motivo, nem sempre a alfandega consegue associar ao CPF do comprador, devolvendo a mercadoria ao remetente. Ocorre que aqui no Brasil o padrão são duas letras seguidas de nove números e duas letras, por exemplo AB123456789CD. A cultura deles é de 14 números e não 9 números como é aqui, muitos vendedores não informam o código aceito aqui no Brasil de 9 números, acabam mandando o código de 14 números que não é válido na pesquisa de nosso rastreamento. Para tentar resolver esta questão, existe um site, dentre outros, " track it ", https://pt.trackitonline.ru/ , que na pesquisa, mostram o outro código da encomenda com 9 números, que é o aceito no Brasil. Aonde está número do envio, digite o código informado. No pais de destino coloque Brasil e pule qual é o serviço, clicando no símbolo da lupa. Deixar de informar o pais de destino pode ser que acabem fazendo a pesquisa sem associar o código válido. Vai dar um resultado, por exemplo o código ID18135252479452CN deu isso: Geralmente abaixo da coluna adicional aparece o código aceito no Brasil UE634467297CN mas, neste caso, apareceu ao lado do símbolo ChinPost e dos Correios. Nem sempre aparece o código válido, depende do tipo de encomenda, como nesta aqui que não apareceu: Às vezes demora para que as informações apareçam no sistema, pode levar até mais de 15 dias ou um mês, sendo necessário pesquisar várias vezes antes de conseguir a informação desejada. Atualmente, as encomendas que chegam sem o CPF estão sendo devolvidas, não que realmente o vendedor deixou de colocar o CPF na etiqueta do pacote mas, pode ocorrer de apagar ou ficar ilegível, não só o CPF como os dados do comprador e código de barras. Como paliativo, os Correios ainda estão mandando cartas aos compradores informando da retenção na alfandega, embora que, por algum azar do destino, o interessado fique sem receber a carta, restando então a última esperança de vincular o código de rastreio ao CPF, pelo sistema ID Correios/Minhas Importações, informando o código válido, evitando a devolução.
  4. Na realidade ainda não comprei esta que escolhi (4-50X75) acima no aliexpress, o valor dela é fora da minha realidade. Então quer dizer que esta Diana é na realidade uma 3-9X40:
  5. Um pouco antes da virada do ano de 2019, tentei achar algo que servisse como bucha do parafuso das lentes móveis, no olhômetro parecia que a parte plástica da carga de uma caneta serviria: Da esquerda para a direita a bucha original rasgada, seguida pela destacada em vermelho, bucha feita com um corte no plástico da carga de caneta, seguido pelo parafuso com bucha original e o parafuso sem a bucha. Entrou apertado e infelizmente na hora de encaixar no trilho ou cavado, ficou mais largo alguns décimos de milímetro: Eu poderia alargar o alumínio, o que parece não ser uma boa ideia pois, com certeza não ficaria com bom acabamento e o atrito com a superfície irregular iria estragar rapidamente o plástico adaptado. Estou estudando uma forma de lixar este trilho, removendo rebarbas do acabamento que no atrito estragam a bucha. Essa gambiarra bateu na trave, procurei outras cargas de caneta diferente e achei uma que externamente encaixa certinho no vão mas, o furo interno é fino demais e não tem como introduzir o parafuso nele. Quem sabe dando uma aquecida... ...fica para o ano que vem!
  6. Agora consegui achar uma lente número 4 solta: Igualmente difícil de se determinar o lado certo, eu diria que é exatamente igual a outra lente interna, exceto pelo diâmetro ser cerca de meio milímetro maior. Notei um padrão de montagem, colocam uma gota de cola.
  7. A título de comparação, ou para ficar perdido nas definições as lentes invertem ou não a imagem que fica de cabeça para baixo ou então normal: Varia conforme a distância entre o olho, a lente e o objeto visualizado. Achei mais uma lente solta, desta vez descobri que a arruela se solta também: Pelas marcas de cola dentro da capa conclui que o lado mais ovalado da lente vai para o lado de dentro, da arruela e o lado mais reto para fora. Ainda assim, fico na dúvida se tem um lado certo ou se tanto faz.
  8. Trabalhando num esquema ótico, para se referenciar as posições das lentes: O tamanho é um pouco exagerado em relação ao original, apenas para fins didáticos de comparação. A número 1 é a lente da objetiva, que se trata de duas lentes coladas uma mais fina com um ângulo maior e uma mais grossa e achatada, com pouco ângulo. O lado menor e com maior curvatura fica voltado para fora ou em direção ao alvo (esquerda) e o lado maior com menor curvatura de ângulo fica voltado ao observador (direita). A número 2 é a lente fixa do tubo de ampliação, segue o mesmo padrão da lente objetiva porém, seu tamanho é bem menor. A número 3 é a lente móvel do tubo de ampliação com uma arruela interna, tipo um diafragma fechado pela metade, tem quase o mesmo padrão da objetiva com um lado de maior angulação do que o outro mas de forma diferente, ambas iguais na espessura. Entre as peças do lote havia uma lente solta e não sei determinar qual o lado correto de montagem, se no mesmo padrão da objetiva ou de forma inversa, não consegui soltar uma outra para determinar o correto, imagino que deva seguir o mesmo padrão. A número 4 é a outra lente móvel do tubo de ampliação, com um invólucro sem a arruela ou diafragma, mais próxima ao reticulo, também não consegui remover para ver como é, imagino que seja um conjunto de duas lentes. Os invólucros das lentes 3 e 4 tem os parafusos de capa plástica, que são os guias quando se modifica o fator de ampliação. A parte da ocular eu fico devendo porque não veio nenhuma.
  9. Convertendo a escala de jardas (YDS) do anel da objetiva para metros, 1 Jarda = 0,9144 metros: 10=9,144 15=13,716 20=18,288 30=27,432 50=45,72 75=68,58 100=91,44 150=137,16 00=infinito E em detalhes a capa da lente desmontada: 1= anel de metal com rosca externa 2= lente 3= anel de borracha achatado 4= capa de alumínio com rosca interna 5 e 6 = anel de borracha redondo O lado esquerdo é a parte de fora da objetiva e o lado direito é a parte de dentro. Em maiores detalhes a lente, que são duas coladas, a parte menor voltada para o lado de fora da luneta: E os anéis de borracha: No caso da lente que desmontei, o anel achatado estava parcialmente solto, foi fácil puxar ele e a lente ficar solta para girar o anel de metal roscado com facilidade. O problema foi remontar depois porque o anel chato não ficava na posição de vedação, insistia em sair do lugar, realmente um anel muito chato. Como não pretendo vedar a luneta com gás, vou remover o anel chato e usar um pouco de cola de junta de cabeçote no lugar dele. Já o anel roscado, pretendo usar uma gota de trava rosca nele. Também pensei em envolver a borda da lente com fita veda rosca mas, o espaço é muito justo e quase não se consegue encaixar a lente. Pintar as bordas com tinta preta parece ser uma ótima ideia, pelo que sei a tinta preta vai evitar eventuais reflexos indesejáveis de luz que poderiam piorar a qualidade da imagem.
  10. Tudo leva a crer que a torre de ajuste original é a mesma então, segue ela desmontada: Em detalhe a peça que se movimenta fazendo cliques: De um lado o parafuso e do outro lado a pontinha móvel: Entre os dois uma mola:
  11. Refiz a tentativa de desrosquear o tubo da objetiva, deu certo, prendendo uma parte no torno e a outra parte com dois mounts, utilizei um alicate, segurando os dois e consegui fazer a torção a ponto da cola ceder, tenho a impressão de que o calor não faz diferença, parece que o tipo de cola utilizado não amolece com o calor: Acima a imagem da 3-9X40, como não tinha a borracha de pneu, o pano serviu bem e protegeu. Depois disso, constatei que as medidas de rosca são iguais e consegui minha primeira luneta Franquestein, metade BSA e metade Riflescope: Deu foco muito bem, tudo indica que seja funcional. Agora vou tentar trocar o zoom com o anel graduado e se der certo, fiz meu upgrade de luneta de 3-9X40 para 8-32X50 com reticulo luminoso. Até aqui não deu, os parafusos da linha verde coincidiram, o encaixe do anel graduado também deu certo, linha amarela mas, o tubo ótico tem dimensões diferentes, cerca de 4 milímetros, fica faltando um pouco para os pinos das torres darem ajuste, linha azul e no outro lado, a capa do reticulo avança sobre a capa da iluminação do reticulo, encostando nela. Talvez dê certo juntando partes dos dois tubos de ampliação. Lado a lado os retículos, apenas para comparação: Troquei as lentes: E não deu muito certo, faltou rosca: Então eu troquei os tubos com as cavas para dar certo porém, na hora de encaixar o anel graduado não deu certo: Tive que remover um anel de borracha do tubo para conseguir alinhar. Na hora de testar, não consegui foco, nem com a objetiva original de 40 nem com a de 50 da BSA, refiz as alterações e a Chinesa voltou a funcionalidade, eu imagino que escolhi um tubo de ampliação que estava com algum defeito, ou então, eu devo ter invertido alguma lente. Só depois que refiz é que notei uma digital grossa de óleo sobre a lente frontal do tubo ampliador, acho que foi por isso que não consegui foco, fora isso, quebrei um dos retículos, não sei como: São realmente muito frágeis. Aproveitando, deixo a foto do led desmontado como referência pessoal: Agora me resta mexer na parte que é colada nos frisos, pode ser que consiga colocar o tubo de ampliação na posição correta.
  12. Removi a torre de uma luneta Chinesa 3X9X40, prendi num torno e girei, saiu fácil e se tivesse protegido com um pano nem tinha riscado, também não precisava remover o anel graduado porque para desmontar deve soltar o anel elástico que fica por dentro: Rosqueou perfeitamente na BSA, as medidas são iguais: Só falta saber se utiliza ou não o anel de borracha, eu imagino que deva utilizar para que a tampa de alumínio não trave ao fechar bem apertado.
  13. Observação interessante, o que parece ser uma remarcação de fábrica: Havia um furo original que coincidia com a parte de cima da luneta, ou melhor, estava perfeitamente alinhado mas, parece que ao girar a lente o símbolo de infinito não coincidia com ele, assim, acredito que taparam o furo original com algo escuro e refizeram outra marcação para coincidir com o fim de curso. Abaixo o mesmo material usado para esconder uns ralados ou pontos de impacto: Quero descobrir o que foi utilizado pois, o acabamento é muito bom, só se percebe a curtíssima distância. Ao desmontar mais uma, percebi que havia cola nos três parafusos do tubo, inclusive um deles estava espanado: Acima o detalhe, com mais dois parafusos soltos para se ter uma ideia da situação que parecia sem solução. Tentei bater com uma chave de fenda de boa qualidade e deu certo, consegui cavar um vão na parte espanada, o suficiente para soltar: O mecanismo de zoom estava travado nesta, ao girar o anel graduado, o zoom não mudava, apenas o tubo girava por completo, junto com o reticulo. Depois de desmontar, não consegui determinar a causa do travamento.
  14. Tentei soltar a rosca do tubo 30mm do castelo, prendi um mont de cada lado e aqueci com soprador térmico o ponto da rosca de modo a não ser possível tocar na peça sem luvas, de um lado prendi o mount no torno e do outro forcei com a mão, o tubo girou em torno do mount sem soltar a rosca, imagino que só vai dar certo usando dois mounts de cada lado com um alicate de pressão ou grifo:
  15. Continuando no desmonte, agora da parte ótica do zoom: Basta soltar os parafusos cobertos com plástico para que o conjunto das duas lentes saiam: As duas são voltadas para o alvo. Em especial, o anel aonde vão presos os 3 parafusos de fixação, a parte de dentro é de borracha dura, colada. Para sair te que puxar pois, se girar, pode espanar o zigrinado aonde se prende: E o que parece ser a última parte ainda não desmontada, o retículo: Que tem a capa de rosca, colada também porém, na peça que desmontei estava com a rosca solta, sem cola: Agora falta conseguir uma torre e uma ocular.
×
×
  • Create New...