Jump to content

ANUNCIANTES

Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada

Edgar Minarello

CA Gold
  • Content Count

    557
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    12
  • Country

    Brazil

Edgar Minarello last won the day on June 7

Edgar Minarello had the most liked content!

Community Reputation

117 Master

5 Followers

About Edgar Minarello

  • Rank
    Atirador Veterano
  • Birthday 12/22/1957
  • Age 61

Profile Information

  • Gender
    Not Telling
  • Sua Localidade
    Sumaré SP
  • Interesses
    Participar e aprender
  • Age 61

Recent Profile Visitors

1,005 profile views
  1. Boa tarde ! Possível é sem problemas. Via de regra, as carabinas de mola são concebidas com estruturas iguais para ambos os calibres (4.5 e 5.5) e no caso em questão, talvez até para o terceiro calibre. Quanto ao distanciamento dos furos e suas medidas, espessura do bloco e altura em que o cano esta instalado nele, são informações muito pouco e/ou sequer divulgadas. Um caminho seria consultar a Rossi que é a representante da marca. Outra alternativa seria consultar o próprio vendedor do cano "six" sobre essa compatibilidade. Sucesso na empreitada.
  2. Saudações ! Já usamos em algumas carabinas o da quick shot e também o da elite. Creio que se equivalem em termos de qualidade e pós venda, pois quando tivemos peças com defeito (uma de cada fabricante) houve a reposição por parte de ambos. Atualmente tenho feito uso do quick e não tem havido problemas. Tenho uma AR 1000, 5.5 mm e o gás que melhor obtive resultado foi o de 55 kgs da elite, usando o pistão original sem a camisa da mola. Haste para frente. Quanto aos da Dematek, não passam dos SMS com o logo diferente como você observou. Instalei um de 45kgs numa B19-18 de meu irmão e não durou 50 tiros; vazou que é uma beleza e ficou sem potência. Particularmente não os vejo com bons olhos, já que perdem eficiência muito rápido. Boa sorte !
  3. Boa tarde Francisco ! Não é a mesma, pois o diâmetro dos êmbolos é diferente. Black Hawke 29 mm - B 19 25 mm.
  4. Olá Marcio ! O projeto do gatilho da GI não oferece condições de ajustes para alívio ou melhora do sistema. As ponderações do Jorge tratam de sistemas de gatilho completamente diferentes. Consegui melhoras fazendo um sistema de gatilho próximo ao de uma B19, sem alterar as características e o projeto original de fixação na coronha. Muito trabalho. Detalhe, fabriquei as peças com aço fornecido por um amigo cuteleiro. Após o fabrico foram temperadas e revenidas. Uma possibilidade seria a instalação de um conjunto de gatilho das Jade Mais. Trabalhoso também e não saberia informar se vai conseguir manter o curso original do pistão. O problema do gatilho da GI é que ele "puxa" o pistão para trás para liberar a trava e efetuar o disparo, o que o torna extremamente duro e "borrachudo". Desculpe apenas informar e não anexar quaisquer imagens, mas acabo esquecendo e depois não tenho paciência e nem conhecimento para fazer as "tais" imagens. Ainda; vendi a carabina e o comprador está satisfeito com ela. Tirando o detalhe do gatilho é uma boa carabina. Bom divertimento !
  5. Que assim seja... Também desejo à todos um Feliz Natal, com muita paz e alegria e um ano novo repleto de saúde, sucesso e muitas realizações... Um grande abraço !
  6. boa noite, Edgar, vi seu comentario abaixo num topico sobre bam b3-3, te pergunto voce fez e se funcionou

    tenho uma qgk underb wool e estava pensando em fazer algo parecido

    att Giovane

     

     

    Comprei uma calibre 4.5 mm, também na venture shop há pouco mais de 2 meses; reduzi o cano para 300 mm e fiz mudanças estéticas na alavanca de armar (ficou parecida com a TX). Outro detalhe foi a redução do "transfer port" para exatos 3mm. (original 4mm). Além desses detalhes, reduzi a mola em 3 cm. Com chumbo cz power registrei 545fps.

    Embora tenha refeito a lubrificação e pequenos ajustes, acho o gatilho muito duro além de me parecer inseguro. Resultado, está desmontada e farei a adaptação de um gatilho da B19, consequentemente com um novo pistão, para, aí sim, instalar o GR.

    Boa sorte na empreitada que tenho certeza trará um bom resultado.

    Abraço

     

  7. Para muitos pode parecer um exagero que se façam anotações dos mínimos detalhes da prova. Sabemos que a mente é falha, dai o porque das "entrelinhas". Vencedores não se formam por ou ao acaso. Históricos anteriores se bem feitos e interpretados serão com certeza um norte, agregando muito mais qualidade ao desempenho. Tudo deve estar em ordem e bem casado com o conjunto. Dedicação e muita, será necessário para se alcançar os objetivos, não se esquecendo, jamais, que uma boa comida - nesse caso o chumbo - fará diferença. Não se consegue o máximo, querendo fazer apenas o mínimo. Todo atirador, mesmo os de "bodoque" e ainda que para diversão, deve procurar o que há de melhor em informações à respeito. Tentativas, erros e acertos por conta própria também farão parte desse aprendizado, afinal, nem tudo poderá "já estar escrito". Descubra...
  8. Caro Mazinho, grato pelas considerações. O que posso afirmar com toda certeza, nos tiros que praticamos que são a partir dos 30/40 até os 70 metros é que não raro, ao cair da tarde, observamos alterações no poi sempre que o ambiente, ainda que momentaneamente, se altera. As vezes uma leve brisa fria, outras o simples "esconder do sol entre nuvens" já propiciam alterações. Isso é compartilhado entre os atiradores e via de regra há unanimidade sobre o comportamento dos chumbos, até porque nossa competição é apenas diversão. Não saberia dizer em qual intensidade isso ocorre nos 10 metros. Que ocorra não há dúvida e isso poderá trazer diferenças, ainda que do tamanho do "beiço da pulga", determinantes no total da pontuação. Achei interessante a abordagem da necessária correção dos ajustes no transcorrer das provas, especialmente quando causadas pela atmosfera do entorno (na concepção da palavra). Ou seja, tudo pode estar na mais perfeita ordem e os resultados podem não vir por esse pequeno detalhe... o tempo....
  9. Boa noite ! Entrando no tema para dar um pitaco. Um pitaco sim, com todo respeito, pois nem de longe domino ou saberia as entranhas das variantes envolvidas na modalidade. Minha seara é outra, com tiros sem compromisso onde a informalidade permeia e o final, a "rega" de cerveja e carne, é o propósito fim. Contudo, pegando um gancho no último post do amigo Mazinho, me permito fazer um paralelo com a pintura industrial, onde habitei por longos 25 anos. Não raro, tínhamos problemas com a tonalidade das tintas (dentro da mesma cor), isso de marcas consagradas e famosas, onde, no mesmo lote, se podia observar alterações. Considere-se para isso, não somente o aplicador (pintor), o horário da aplicação, a temperatura ambiente, ausência ou não do sol e vento, ainda que em local coberto e semi abrigado, a umidade relativa do ar, o diluente usado, etc... existiriam outras observações mas por ora essas já ilustram minha ponderação. Jamais teremos situações idênticas, isso para se restringir às diferentes horas do dia*, o que, por si só, poderá promover alterações nos disparos. Poderia fazer outras analogias correlatas mas isso seria "chover no molhado"... (*) outro paralelo - quando corríamos de kartcross, meu irmão, alguns amigos e eu, sofria-se muito ao ajustar os motores, pois, quase sempre, as tomadas de tempo e os ajustes eram na parte da manhã com o ar mais denso (frio) e as corridas eram na parte da tarde. Mudava tudo. Acertos eram necessários entre uma etapa e outra, alguns até no "achismo"...e tínhamos que nos adaptar "à tocada" com o ajuste que havíamos feito. Em suma, penso que a assertiva ao dizer que um único ajuste seja praticamente impossível e/ou impraticável é de extrema importância dentre as considerações, independentes de quaisquer outras exigências da modalidade. Portanto, ajustes finos serão uma constante, possíveis ou não durante uma prova...até porque,... até hoje não se consegue ter a "exatidão do tempo", mas... sempre a... "previsão do tempo"... Abraço !
  10. Jadiel, boa noite ! É mais ou menos o seguinte: Houve um tempo que essas carabinas da linha B19, eram pura idolatria, isto é; diziam: "coisa boa..., melhor custo benefício"..."é só dar um trato e acerto o.. .do mosquito ( epa...olho, viste)"..., "a minha tá um espetáculo, melhor que cometa"...," instalei gás ram e gatilho, agora sim é outra arma"...... e, por ai vai... Bem,... depois de um tempo, viram que o feitiço da cinderela acaba, senão a meia noite, alguma hora acaba... e o que era carruagem "m a r a v i l h o s a" virou abóbora... Será mesmo ??? Claro que não, afinal e o investimento, tempo dedicado, além de inúmeros disparos procurando entender e aprender com a arma, ...prá que, se existe coisa muito melhor....??? Em suma, nem tanto ao céu, nem tanto ao mar, afinal a carabina não é essa "maravilha", mas também não é um caso perdido. As observações sempre irão compreender situações que não são explicitadas pelo adquirente da nova carabina. Com certeza a B19, uma fiora, uma Dione, uma B3, dentre tantas outras de concepção extremamente simples e desnudas de recursos, também poderão ser uma boa compra. Basta saber para que iremos usar a carabina. Prosopopeias à parte, o que disseram nada mais é que tudo vai depender, dentre outros, do uso que vai dar a carabina, quais suas pretensões e expectativas, quanto pretende investir, etc... Como já dito, pesquise bastante e questione o que não entender, tenha certeza que isso irá ajudá-lo e muito na sua decisão. Boa sorte !
  11. Complementando (ou tentando) as boas informações já obtidas, a carabina, qualquer que seja sua configuração ou calibre, é apenas o ponto de partida. Alia-se à ela, para a precisão sempre buscada, bons chumbos, conhecimento das técnicas, uma boa luneta...etc... Portanto, o caminho da satisfação tem algumas outras exigências... Mas... é fazendo que se aprende...
  12. De fato, existem boas matérias do Nelson sobre ar comprimido. Quanto ao seu raciocínio estar ou não correto, me permita uma analogia ao escritor que "publica seu livro para parar de editá-lo", ou seja, talvez, quanto mais leia mais dúvidas surgirão e novas consultas e novas dúvidas... e... por ai vai...Em suma, somente terás uma resposta se foi a escolha certa quando estiver fazendo uso de sua carabina. Se não foi a mais acertada, não se apavore, tem pessoas que estão na quarta ou quinta (até mais) tentativa e ainda não se definiram, inclusive quanto ao calibre. Boa sorte !
  13. Boa noite ! Túlio, de uma lida no tópico sobre os calibres 4.5 e 5.5, trata-se de uma matéria do Nelson, talvez ajude;
  14. Belo texto ! Muitos conceitos abordados não se restringem apenas ao tiro. Digno de nota. Parabéns !
×
×
  • Create New...

HTB1BZoqbtPJ3eJjSZFLq6yb3FXaR.jpg