Jump to content

ANUNCIANTES

Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada

Mauro Brisola

Members
  • Content Count

    22
  • Joined

  • Last visited

  • Country

    Brazil

Community Reputation

3 Neutro

About Mauro Brisola

  • Rank
    Novato

Profile Information

  • Gender
    Masculino
  • Sua Localidade
    Curitiba
  • Interesses
    Atirar com arma de pressão como higiene mental.
    Aprender a evoluir nas técnicas básicas de tiro ao alvo. Exercitando o auto controle.

Recent Profile Visitors

108 profile views
  1. Valeu. Obrigado. Sempre que se enfrenta a burocracia de importação no Brasil fica claro que tudo está armado para favorecer os vendedores locais. Se quiser, compre pelos preços extorsivos cobrados por aqui. Pelo menos 3 x o que o resto do mundo paga. Normalmente mais. (HW 30 S na Europa 170 Euros = 740 Reais / Custo aqui R$ 4.000,00 - NÃO TEM SENTIDO) Ou tente enfrentar um processo de importação quase impossível de ser compreendido e desembaraçado. Somos prisioneiros de lobbies e legislação que tenta de todas as formas nos impedir de ter acesso, por preços decentes, dos produtos de qualidade e tecnologia disponíveis para o resto do mundo. Brasiiiilllll...
  2. Pesquisei bastante mas não achei nenhum caso prático de alguém que mais recentemente tenha comprado carabina no exterior e trazido na bagagem. Sei que não há complicação legal para calibres abaixo de 6 mm e armas de mola. É permitido e não precisa de CR. Quero trazer uma 4.5 de mola. Com valor baixo (em torno de 200 dólares) Há instruções, até no Youtube, de como preencher a CII para quando uma carabina é importada do exterior. Mas a minha dúvida é como seria o trâmite quando chega em Guarulhos vindo do exterior com a carabina nova. É possível regularizar na hora ou é mais complicado? Agradeço se alguém souber do procedimento de algum caso real mais recente.
  3. Apesar da pouca experiência que tenho já aprendi a desconfiar bem mais do sujeito que aperta o gatilho do que na arma. Mesmo o tiro apoiado é complicado, quando usado para ajustar a mira e/ou testar a precisão de uma carabina nova. Porque dependendo do tipo de apoio e da base durante o tiro a arma mexe de maneira que não se imagina. Então, cada vez mais, antes de desconfiar de imprecisão da arma ou do chumbinho eu tenho checado muito bem a qualidade do tipo de apoio que estou usando. Até porque não dá nem para pensar em ajustar mira sem um bom apoio. Principalmente no meu caso de atirador cego e com duas mãos esquerdas...
  4. Também tenho esta dúvida se os cronógrafos "menos caros" podem ser úteis para avaliar a constância entre os disparos.
  5. Minha CFX 5.5 comprada este ano está com um problema estranho no gatilho. Começou a acontecer com uns mil tiros e vem piorando. Em alguns tiros ao puxar o gatilho não há o ponto normal mais duro do curso. Onde sempre ocorre o disparo. Que normalmente fica a uns 10 mm do início do curso, Quando ocorre o problema o gatilho tipo escorrega além deste ponto. Aumenta o curso passando do ponto onde ocorreria o endurecimento normal do ponto de disparo. Daí o disparo ocorre meio que de surpresa durante este curso maior e macio mais para trás. Praticamente impossibilitando um tiro preciso em função de disparar quando você não espera. Estranho que o problema é intermitente. Às vezes ocorre meio que direto. Em quase todos os disparos. Outras vezes fica praticamente normal. O parafuso pequeno de ajuste do gatilho está sempre na posição original. Todo apertado. Tentei mudar a posição mas o problema continua igual. Será um desgaste do gatilho de plástico ou do mecanismo do gatilho? Ou pode ser outro problema na carabina? Agradeço as dicas.
  6. Fiz um "protótipo" com um Post-it. Perfeito! Grande dica.
  7. Apesar de gostar do desafio da mira aberta sempre tive curiosidade sobre o tiro com luneta. Principalmente no sentido de avaliar o agrupamento real da arma e selecionar os melhores chumbinhos para a mesma. Testando a arma apoiada. Tenho uma Gamo CFR 5.5. Ontem pela primeira vez tive a oportunidade de experimentar. Atirei bastante com uma CBC F22 Nitro X 5.5 de um amigo. Está com a luneta 4x32 da CBC. Fizemos o ajuste da luneta para 20 metros atirando apoiado. Fiquei surpreso com a aparente qualidade ótica da luneta. A alvo fica bem claro e gostei da visada através do retículo / facilidade de mirar. A carabina provavelmente também colabora porque ficou muito fácil de acertar o 10 do alvo. Não sei como está a luneta CBC no ranking custo benefício da lunetas básicas. Não é exatamente barata. Em torno dos R$ 350,00... É similar à luneta Rossi? Alguma outra dica de boas lunetas 4x32 de entrada disponíveis no mercado? Obrigado pelas dicas.
  8. Estamos tão acostumados com baixa qualidade de produtos e, principalmente, atendimento que quando encontramos algo com um bom padrão a surpresa é grande. Eu estava com problema de agrupamento na minha Gamo CFR nova. Inclusive criei um tópico no fórum. Além de não agrupar depois de um tempo o curso de armar diminuiu indicando um aparente problema na mola. Liguei para a Pavei e pediram para eu abrir o chamado de atendimento disponível no site. Normalmente é aberto pela loja que vendeu a carabina mas nada impede que o usuário faça por conta. No mesmo dia recebi ligação do departamento técnico da Pavei perguntando sobre o problema. Em seguida foi realizado o procedimento de emissão de nota fiscal de remessa e solicitação de coleta. Tudo o que precisei fazer foi embalar a carabina. Uma semana depois do envio recebi por email a nota de remessa da Pavei para a entrega. Indicando que o serviço estava pronto. Carabina recebida acompanhando relatório do técnico que trabalhou na arma explicando o problema e os serviços realizados. Carabina agora funciona como se espera de uma CFX/CFR. Nem parece Brasil. Assistência exemplar. Parabéns para a Pavei e para a Gamo. Continuem assim que a fidelização do cliente está garantida.
  9. Tomei a decisão. Eu estava inclinado pela Gamo Deltamax Force 4.5 pelo custo benefício. Mas fiquei preocupado com relatos de gatilho pesado, o que exigiria retrabalho de cara. Depois também acaba dando vontade de colocar gas ram... Então vou pagar para ver: encomendei a B12 tunada pela Elite para papel 10 metros. Gas ram 35 kg, gatilho bem leve, etc. Agora controlar a ansiedade para a espera do brinquedo. Criança de 50 anos não é facil... Quando existir HW30 no mercado por preços menos que indecentes me aventuro. Se é que este dia vai chegar.
  10. Tenho uma carabina Marksman modelo 1750 na qual o anel de vedação do cilindro danificou. Como é uma carabina simples não muito comum nem arrisco ir atrás de peças originais. O anel original aparentemente era de uma material bem macio. Um plástico transparente mole. O que sobrou do anel estava com a consistência de parafina. Totalmente quebradiço. Como não tenho experiência com reparo de carabinas de pressão peço sugestões sobre material a ser usado e forma de construção para este anel. Pensei um tornear um anel de nylon. Talvez com cavidade para oring nos dois lados para garantir a vedação... Agradeço as dicas.
  11. Tenho CFR e já tive CFX. Sinceramente prefiro a empunhadura tradicional da CFX. É mais natural que a empunhadura "tática" da CFR. Não tenho certeza mas me parece também que a distância entre a soleira e o gatilho é maior na CFR. O que dificulta a pegada. Pelo menos para mim que tenho braço curto.
  12. Pessoal Assunto antigo e bem debatido mas agradeço se puderem colaborar para a minha decisão. Tenho a Gamo CFR 5.5. Excelente carabina mas grande e pesada para mim que sou pequeno e chassis de grilo fraco. Atirando apoiado ou semi apoiado é tranquilo. Mas não consigo atirar muito em pé e sem apoio em função do peso da arma. Até equilibrei com chumbo na coronha mas daí o peso ficou ainda maior. E a coronha também é grande para mim. Quero comprar uma carabina leve 4.5 mm para brincar em 10 metros no papel e alvos no máximo até 20 metros. Aprender a atirar direito, enfim. As coisas andam complicadas em função da falta de opções. Os importadores aparentemente estão "freados" em função do mercado fraco e dólar alto então vários dos modelos mais indicados viraram cabeça de bacalhau ou custam um absurdo. HW 30, Slavia e até Cometa 220 sumiram do mercado e quando alguém têm é preço de ouro. De qualquer forma estou considerando por enquanto gastar menos e nem preciso de arma top para mim que sou aprendiz. Vou listar as opções que a princípio estou considerando, em ordem crescente de preço: -BAM B12 original (em torno de R$ 500,00) -Gamo Deltamax Force (em torno de R$ 700,00) -B12 comprada da Elite, tunada (gatilho da B19, gás ram, etc) (custa pelo meno$$$ o dobro do preço da Gamo) Agradeço vossas opiniões e/ou sugestões.
  13. Não tenho cronógrafo. Se alguém souber me indicar onde posso cronografar aqui em Curitiba, agradeço.
  14. Foto de alvo mal agrupado. Não guardei alvo de agrupamento bom. Mas algumas vezes em 5 ou 6 tiros uns 3 ficam praticamente furo sobre furo no 9/10 do alvo. E os outros pelo menos no 9. Chumbinho Gamo Pro Match Competition
×
×
  • Create New...