Ir para conteúdo

ANUNCIANTES

Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''Air Arms''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Quem é Você ? Neste espaço, apresente-se.
    • Seja bem vindo.
  • Sobre o Fórum
    • Regras do Fórum CA
    • Comunicados e dicas de como usar o Fórum CA
    • Sorteios e Promoções
  • Tiro com Armas de Pressão
    • Está com dúvida em qual arma comprar? Pergunte aqui!!!
    • Alvos em geral
    • Armas de Pressão por ação de mola
    • Carabinas PCP
    • Leis & Legislação
    • Manutenção,Tunning, Customizações, Melhorias
    • Munição para Ar Comprimido
    • Reviews
    • Sistemas de Miras
    • Tutoriais
  • Modalidades - Provas - Campeonatos
    • Olimpíada Postal CA
    • Encontros - Campeonatos e Clubes
    • Benchrest
    • FT & HFT - Field Target & Hunter Field Target
    • Papel 10 metros
    • Silhuetas Metálicas
    • Tiro Olímpico
  • Outros
    • Agrupamentos
    • Arqueria
    • Airsoft
    • COCA
    • Fotos e Videos
    • RIFAS
    • Papo de Botequim
    • Tudo sobre pesca
    • Tudo Sobre Camping, Cutelaria, Sobrevivência e Aventura.

Categorias

  • Artigos
    • Forum Integration
    • Frontpage
  • Miscellaneous
    • Databases
    • Templates
    • Media

Calendários

  • Community Calendar

Encontrado 7 registros

  1. Bom, meu objetivo maior é fazer um pequeno review desta carabina, juntamente com algumas modificações/alterações ao longo do tempo. Fabricante: Air Arms. Modelo: S410 Xtra FAC. Calibre: 4,5mm. Multi tiro, magazine para 10 chumbos, ação por ferrolho. Coronha tradicional, para destros. Peso total: 3,440 kg. Volume do cilindro: 312 cc. Diâmetro do cano: 14mm (à confirmar) Diâmetro do sobrecano: 16mm Comprimento do cano: (à confirmar) Comprimento do sobrecano: (à confirmar) Gatilho: ajustes de 1º, 2º estágios e peso. Algumas fotos: Visão "semi" geral: Visão "semi" geral: Breech, do lado esquerdo da carabina, constando o nome da fábrica, calibre e o "seletor de potência": Breech, do lado esquerdo da carabina, constando modelo e país de fabricação: "Seletor de potência" visto pelo lado direito da carabina: Ferrolho: Orifícios de saída de ar do sobrecano: Zigrinado da lateral: Zigrinado da telha: Zigrinado do grip: Manômetro e parafuso de fixação do mecanismo à coronha: Gatilho e ajustes (foto retirada da internet): Parafusos 1 e 2: seguram o guarda mato. Parafuso A: regulagem do peso do gatilho. Parafusos B e C: regulagem do 1º e 2º estágios respectivamente. String em potência mínima: String em potência média: String em potência máxima: Como visto pelas strings, nota-se o comportamento de uma PCP com força de mola do martelo + martelo bem forte, ou seja, a velocidade dos tiros vão diminuindo conforme a pressão do cilindro vai diminuindo. Em caso de PCPs não reguladas, com força de mola do martelo + martelo menos forte, a velocidade tende a aumentar, se mantém com spread baixo por alguns disparos e depois diminui (ponto doce das PCPs não reguladas) Segue gráfico de uma string com a curva de velocidade (retirada da internet): Vou ficar devendo fotos de agrupamentos, pois não tive oportunidade de testá-la pra valer. Só pude testá-la em distância de 16 metros, e sinceramente não vale nada rsrsrs... mesmo tendo apenas 1 tipo de chumbo à disposição, nesta distância faz apenas 1 furo. O sistema de municiamento por ferrolho é um pouco "pesado" em comparação ao sistema de alavanca lateral, este último é um trabalho mais suave. O gatilho é muito bom, gostei muito. Gostei também da empunhadura, distância do gatilho em relação ao grip. É uma carabina muito bem construída, fácil manutenção e com acabamento característico das Air Arms. Este modelo que comprei é de fabricação de 2006, e apesar da idade, se encontra muito bem conservada. Estou pra receber mola do martelo e martelo para 16J, assim que eu fizer a substituição dos mesmos irei atualizar o tópico com os resultados. Também estou esperando chegar um regulador, e assim irei atualizando o tópico. Enfim, gostaria de compartilhar com vocês principalmente os dados das strings, pois sempre procurei estes dados pela internet e não achei... sempre fiquei curioso rsrs. É uma carabina difícil de se ver por aí, falando neste modelo em específico. No momento é isto, com o tempo vou atualizando o tópico. Abraços. ***************************************************************************************************************************************************************************** 24/02/2015 Dando prosseguimento ao tópico, chegou agora a pouco o regulador do Robert Lane. A encomenda consta de um manual contendo 6 páginas muito bem detalhadas sobre o regulador e outros dados para otimizar PCP, o regulador em si, 2 peças que servem de pré-câmara (volumes diferentes), jogo de orings reservas, 2 molas (brinde do Sr. Robert Lane - pessoa de atenção ímpar), lubrificante (molykote 33) e um broca de 1,5mm. Ainda não chegou o martelo e mola do martelo da versão 16J, pretendo instalar hoje o regulador com as peças originais Xtra FAC. Dando tudo certo hoje, no mais tardar amanhã, colocarei os primeiros resultados pós regulador. Embalagem: Manual: ***************************************************************************************************************************************************************************** 27/02/15 Regulador instalado e primeiros testes (regulado à 100 BAR). Robert Lane informou que o espaçador menor para a pré câmara é o ideal para até 16 ft/lb e o maior para até 30 ft/lb (acho difícil chegar a isso), e que cortando o maior espaçador para 25mm de comprimento para 22 ft/lb e também configurar para 12 ft/lb. Cortei e deixei com 25mm. Fiz a substituição da mola original da válvula de disparo pela mola mais forte que o Sr. Robert Lane enviou. Assim que receber a mola do martelo e o martelo da versão 16J, irei substituir os mesmos. As strings foram feitas com a potência na máxima. Segue strings: Como observado, mesmo recém instalado, houve uma variação de velocidade muito grande (decaindo). Na metade da string, fui desconfiando da possível causa: vazamento em algum lugar. Após a string constatei um pequeno vazamento através do orifício feito no cilindro. Após algumas tentativas para sanar o problema: Nesta última string, meu cilindro de abastecimento recarregou a uns 175 BAR. Ainda havia muito ar para realizar mais disparos e seguir com a string, porém isso já era umas 23:45 hrs e o vizinho já ia me matar. Apesar de poucos disparos com o regulador instalado, gostei dos resultados. A tendência é diminuir ainda mais o spread assim que os componentes forem se assentando e a lubrificação se estabilizando. No momento é isso. Até o final de semana faço uma string completa desde os 200 BAR. Se o clima colaborar aqui, no final de semana poderei fazer uns testes de agrupamento a 25 e 50 metros, mesmo tendo apenas 1 tipo de chumbo disponível para testar. Abraços ************************************************************************************************************************************************* 01/03/15 A carabina ainda estava apresentando um pequeno vazamento, daqueles bem chatos - vazava um mínimo de ar, mas hoje de manhã consegui resolver. Na parte da tarde pude fazer strings completas, em máxima e média potência. Segue os dados: String em máxima potência: String em média potência: Gráfico comparativo entre os tiros regulados X não regulados: Consegui fazer um teste de agrupamento. Apesar de ventos abundantes e um único modelo de chumbo em mãos, gostei do resultado. Não deu tempo para fazer grupos a 50 metros. Falta trocar o martelo e a mola do martelo da versão 16J, assim como testar outros modelos e marcas de chumbos. Abraços. ***************************************************************************************************************************************************************************** 09/03 Recebi do nosso amigo Under, uma mola na versão 16J. A velocidade diminuiu cerca de 10 m/s em potência máxima e cerca de 8 m/s em potência média. Hoje estarei recebendo a mola do martelo e o martelo 16J da Mundial. Assim que der farei uma string com a substituição das peças. Abraços. ***************************************************************************************************************************************************************************** 09/04 Após troca da mola do martelo para a versão 16J, não houve diferença significativa na V0. Resolvi diminuir a pressão de trabalho do regulador, diminuindo de 100 para 80 BAR (meia volta no parafuso de regulagem). Segue string em máxima potência: Agrupamento dos 150 disparos feitos na string, a 15 metros: Até que ficou bom, mas não estou satisfeito com o spread apresentado, achei alto. Desconfio de 3 coisas: - Martelo pesado com mola fraca; - Os chumbos. Apesar de serem JSB, eu misturei 2 latas de "marcas" diferentes que abriram no chacoalhar da estrada hsuiahsuahsuiahiuhais... e não estão lá essas coisas... - Temperatura: string feita a noite. Cilindro cheio e após alguns disparos, é notável a diminuição de temperatura no cilindro (no caso de muitos disparos em sequência) Deu pra reparar que o primeiro disparo saiu mais forte. O regulador parado uns dias (acredito que foi 1 semana) deve deixar passar mais pressão pra pré câmara. Para trabalhar em 16J, conforme a configuração atual, acredito que diminuindo a pressão de trabalho do regulador para 50-55 BAR deve deixar nessa faixa de energia, e o número de disparos deve chegar aos 150 disparos. É isso... vou ficar um tempo nessa configuração de 19J e testar a precisão como ficou... Abrs ***************************************************************************************************************************************************************************** 17/06/15 Estou usando o martelo FAC, o de 16J que comprei não deu certo porque o parafuso que fica no ferrolho trabalha com um parafuso no martelo para poder armar, e no de 16J não possui este parafuso. Agora não sei se isso é devido aos modelos de ferrolho x alavanca lateral. Tentei substituir o parafuso do ferrolho para um mais longo, mas também não deu. Pesquisei umas fotos na internet e vi uma de ferrolho usando o martelo de 16J, mas a foto não dava pra ver direito esse trabalho dos dois parafusos. Vou colocar umas fotos: Martelo FAC: Martelo 16J: Ferrolho: Pelas fotos dá pra ver onde os dois parafusos que me referi. No martelo de 16J não tem espaço para se fazer rosca para colocar o parafuso, tentei umas coisas mas não deu certo. Levei o martelo FAC para um torneiro e o bendito do martelo é duro pra caramba e só marcava o martelo. O torneiro comentou que devia colocar no torno junto com pedra pra poder retirar e recomendou fazer outro martelo. Achei melhor fazer outro martelo, mas agora me falta tempo de ir atrás disso. ***************************************************************************************************************************************************************************** Atualização 15/08/15 No fim do mês de julho (28/07) fiz uma alteração de emergência, pois dia 01/08 tinha prova de FT em Campo Largo. Diminui a pressão do regulador, deixando em torno de 60 bar e coloquei o martelo FAC com mola 16J. Gerou 17,5J de energia na boca do can com JSB Cometa de 8.4 grains. Segue string dos primeiros 60 disparos: Fiz a string numa correria danada (pois já eram mais de 23:00). Ao verificar o manômetro, o mesmo indicava pouco mais de 150 bar. Como era tarde e vi que ia longe, decidi parar por ali mesmo nos 60 disparos, mesmo com a enorme curiosidade em saber quanto disparos regulados estaria dando. Já estava sem saco e sem ânimo pra gastar chumbos no cronógrafo. Acho que deve dar aí algo em torno de uns 140 disparos em 17,5J. Não deu tempo para testar a precisão, juntei tudo e esperei pela prova. Coloquei os dados no chairgun, imprimi as tabelas e parti. Antes de entrar na pista, zerei a luneta e testei em alvos a 10 e 50 metros e bateu com o programa. Dos 36 alvos, acertei 32, porém 4 não caiu por falta de força e os outros 4 não caiu porque sou grosso mesmo kkkk Pra finalidade de FT está ótima, autonomia e precisão mais que suficiente. Para chegar em 16J falta muito pouco, testar outras configurações de mola-martelo-pressão do regulador. No mais é isso, estou com falta de tempo pra ficar mexendo, mas assim que eu fizer alterações vou atualizando o tópico. Abraços ****************************************************************************************************************************************************************** 04/01/16 Ontem (03/01/16) fiz um pequeno teste de agrupamento a 70 metros. Posição: sentado (field target) Chumbo: JSB Exact Configuração atual: aproximadamente 23J 38mm de borda à borda ***************************************************************************************************************************************************************************** 19/07/2016 Instalei um kit de abastecimento com manômetro do Altaros, assim consigo ter um melhor monitoramento da carabina. Produto de fácil instalação, ficou mais prático o abastecimento do cilindro (elimina-se a tampa de rosca da peça original). Segue algumas fotos: Original: Altaros:
  2. [Lançamento] AA S510 Ultimate Sporter

    Especificações: Comprimento: 1010mm Peso: 3,6 kg Municiamento por Sidelever e Multishot (10 tiros) Autonomia em 4,5mm: ± 60 tiros Autonomia em 5,5mm: ± 80 tiros Coronha: Laminada, check-piece e soleira ajustáveis Gatilho ajustável Supressor de ruídos incluso Pelo que percebi, a AA faz uma comparação entre a Ultimate Sporter e a HW100, indicando que a Ultimate é mais vantajosa. Mais alguma imagens e um vídeo que achei: http://youtu.be/GDuBeYo8jS4 NOTA: Não sou perito em PCP, mas achei estranho a autonomia do calibre 5,5mm ser maior que o 4,5mm.
  3. Tx 200 16 j a 161 yards

    http://www.youtube.com/watch?v=n_11zEPRJYY
  4. APRESENTAÇÃO DA CARABINA Na década de 80 a Weihrauch apresentou a HW77 e dominou o mundo do Field Target. Como as demais fabricantes de carabinas não poderiam deixar passar batido, a Air Arms desenvolveu a TX200 em busca do topo desse mundo. A minha busca pela TX200 começou ao ver e experimentar a TX do Murate... Dica minha? Nunca experimente uma carabina top de seu amigo ou conhecido se não tiver $$$$ pra comprar uma... Foi um sofrimento do cão depois que dei o primeiro tiro com uma TX200, hahaha! (Estou endividado até agora e fazendo todas as vontades da minha irmã que financiou a compra da minha querida TX). 1. DADOS TÉCNICOS Fabricação: Inglesa Comprimento: 105 cm Comprimento do cano: 335mm Cano: Fixo, Lothar Walther com raiamento e silenciado Calibre: (X) 4,5 ( ) 5,5 Coronha: (X) Walnut ( ) Beech (X) Destro ( ) Canhoto Peso: 4,2kg Potência: (X) 16J ( ) FAC Gatilho: Regulável em dois estágios, em percurso e peso. Soleira: Regulável Bisley (Não vem de fábrica, a original é de borracha ventilada) Mecânica: Conjunto mola + pistão Trava: Automática Peso para armar: aproximadamente 15,42kg 2. PRIMEIRAS IMPRESSÕES Para os que ouviram falar da beleza da TX200 mas não viram pessoalmente, preparem-se... Ela é ainda mais linda pessoalmente! Ao abrir a caixa, o acabamento da coronha e a oxidação saltam aos olhos. Principalmente a oxidação no seu estilo "Black Piano". A coronha da minha TX é de walnut e é bem escura, realmente linda. Os zingrados também são um show a parte. Essa carabina, apesar de ser considerada top tem tranco e também acompanha um pouco de vibração. Um incômodo barulho de mola também está presente. Mais a frente mostrarei como eliminar a vibração/barulho de mola. A diferença principal entre a MKIII e as antecessoras está no maior comprimento do curso para armá-la. Isso se deve ao fato de facilitar o municiamento da carabina. Por causa desse maior comprimento, o pistão também se move por mais tempo causando um maior lock time. Mas na prática é tão pouco que se torna insignificante se comparado à facilidade de armar a carabina. O trilho, de 11mm, rabo de andorinha que recebe a luneta é fresado na parte de cima da câmara. É uma carabina pesada para ficar dando tiros de pé, mas logo me acostumei com o peso. O conjunto carabina + luneta está com pouco mais de 5,0kg agora, usando uma Leapers 4-16x44 SWAT. Soleira Bisley: 3. FUNCIONAMENTO DA TX A TX200 é do tipo under lever, em que o basculamento é feito por uma haste na parte debaixo do cano. Para municiá-la é necessário puxar essa haste até ouvir todos os estralos (3 no total). Se não puxar tudo, a haste não vai voltar e vc não conseguirá atirar. Após puxar a haste por todo o seu percurso, segure a haste com a mão esquerda e municie com a direita. Ela tem um sistema para que a janela não se feche enquanto coloca a munição, mas ninguém quer correr o mínimo risco de perder um dedo certo? Assim que colocar o chumbo no local, clique a trava de segurança e volte a haste para a posição inicial. Puxe essa haste até ouvir os cliques Insira o chumbo no local indicado Aperte esse botão indicado e volte a haste na posição inicial Agora é só clicar a trava de segurança no sentido da seta para poder atirar 4. String A princípio, parece ser regra nas TX a V0 aumentar até uns 800 a 1000 disparos e depois estabilizar. Pelo menos foi o que pudemos notar nas TX`s que estão em Londrina e também pelos relatos de outros donos de TX200. Segue as strings com diversos chumbos, realizado após ter completado 700 disparos (Chumbos retirados diretamente da lata): 5. Agrupamentos 5.1 Agrupamentos a 50m com variados chumbos. Como estava longe, não escrevi os nomes por extenso dos chumbos, somente deixei as iniciais grandes para saber de longe onde agrupar com qual chumbo. Distância = 50m Luneta = Leapers 4-16x44, magnitude em 16x Apoiado frontal: Sandbag Caldwell Apoio traseiro: Caldwell AAH = AirArms Heavy 4,52 = 31,5mm AA-DF = AirArms Diabolo Field 4,52 = 30mm FT50 = HN Field Target Trophy 4,50 = 52,9mm FT51 = HN Field Target Trophy 4,51 = 35mm B0 = Barracuda Match 4,50 = 39mm B1 = Barracuda Match 4,51 = 36,5mm 5.2 - 25m Alvo da Prova das Olimpíadas do CA (Detalhe, sou horrível em tiros apoiados, kkk) Distância = 25m Luneta = Leapers 4-16x44, magnitude em 16x Apoiado frontal: improvisado Apoio traseiro: nenhum Chumbo = AirArms Diabolo Field 4,52 - 8,44grains 5.3 - 25m Alvo da Prova das Olimpíadas do CA Distância = 25m Luneta = Leapers 4-16x44, magnitude em 16x Apoiado frontal: Sandbag Caldwell Apoio traseiro: nenhum Chumbo = AirArms Diabolo Field 4,52 - 8,44grains, lavado, lubrificado, pesado e selecionado O alvo superior esquerdo mostra que a carabina tem potencial, mas o atirador não ajuda, hahaha. 6. Manutenção / Tuning Começando pelo gatilho, não acho necessário qualquer tuning. Como peguei a TX200 usada, o gatilho estava regulado para o dono anterior. A única coisa que fiz, foi deixar mais claro o ponto entre o primeiro para o segundo estágio que é o jeito que eu gosto. Para essa regulagem, bastou mexer no parafuso do primeiro estágio e pronto. Um ótimo link para entender o sistema do gatilho e também para saber como regular o gatilho da TX200: http://www.arld1.com/tx200trigger.html Não acho necessário, mas quem desejar fazer o polimento do gatilho: http://www.airgunhom...opic.php?t=1142 No cano fixo, há uma borracha que serve de batente para absorver qualquer impacto que possa ocorrer quando voltar a haste após o municiamento. Essa borrachinha é frágil e logo se arrebenta. Uma saída para absorver o contato entre a haste e o cano é o uso de o`rings na haste. Gatilho desmontado (retirado da internet): Indicação vermelha - só o "toco" do batente. Indicação azul - 2 o`rings na haste para absorver o impacto: 6.1)Desmontando a TX200: a) Solte os parafusos do Guarda-mato b) Solte os parafusos laterais na coronha Obs.: Troquei os parafusos originais por parafusos inox. Caso troque o de sua carabina, verifique o comprimento. No caso da TX, não encontrei os parafusos que vão na lateral da coronha do mesmo tamanho do original, por isso foi necessário cortá-los. c) Retire a travinha e o pino da alavanca q empurra o pistão e retire também a alavanca d) Com uma chave de boca n. 10, afrouxe o "parafuso" que fica a frente do gatilho o suficiente para conseguir girá-lo com os dedos. Cuidado para não tirar o parafuso todo nessa hora. e) Posicione a parte da trava do gatilho para a mesa e segure firmemente. Tire o parafuso com cuidado pressionando a "bunda" de leve na mesa. Ao tirar o parafuso a parte do gatilho irá sair do cano e conseguirá desmontar por inteiro. 6.2) Encamisando a TX Só há um local onde o encamisamento da TX é possível. Trata-se da parte de dentro da mola com a guia, pois o espaço entre a mola e o pistão já é bem justo não permitindo o encamisamento. Para encamisar a minha TX, utilizo folha de raio-x, mas também podem ser utilizadas folhas de teflon. Antes de utilizar, eu limpo a folha. Folha recortada aproximadamente do tamanho a ser utilizado: Coloco dentro de um recipiente pequeno, e deixo mergulhado em um pouco de alcool: Depois passo o bombril de leve e os fragmentos da folha vão saindo, e aqui uma foto comparando a folha limpa com ela "normal": Depois tiro a medida da circunferência e comprimento. Quanto a circunferência, deixo um pequeno transpasse, coisa de 5mm. Em relação ao comprimento, deixo no comprimento exato + 5 a 8mm: Faço um risco a aproximadamente 8mm: Faço recortes em zigue-zague até a linha dos 8mm para fazer esses dentes: Dobro os dentes, cuidado para não dobrar muito e fragilizar essa parte. Se dobrar muito forte, acaba rompendo aqui com o uso: Passo graxa de molibdênio na parte de fora(parte em que se encontram as dobras) da folha: Depois é só montar: Melhores informações de encamisamento: http://carabinasdear...__encamisamento 6.3) Lubrificando a TX Com aproximadamente 800 a 900 disparos a lubrificação da tx estava um pouco "rala". Aproveitando que o encamisamento foi feito, fizemos a devida lubrificação dela novamente com graxa de molibdênio na mola e graxa de silicone na bucha. Realizando uma string após a lubrificação, foi possivel verificar uma alta na V0 e um spread menor. A string não foi feita logo após a lubrificação, dei uns 40 a 50 tiros para depois realizar a string dela: (Infelizmente perdi a string pós lubrificação) 6.4) Montando a TX Após encaixar todas as peças e colocá-las dentro do "cano" da tx, lembre-se de destravar a trava da haste, caso contrário o sistema todo não entrará. Refazendo todo o processo, na hora de montar a coronha, tem uma observação no manual da TX200 que diz para apertar primeiro o parafuso menor do guarda-mato e DEPOIS o grande da frente. O motivo, desconheço, mas está no manual. 1o - indicação vermelha e 2o a indicação azul 7) Garantia da TX200 No final do ano passado, estive com um problema com a TX200. A Vo estava baixa e com spread alto. Troquei o`rings, troquei a mola, tirei o encamisamento, coloquei outro encamisamento... E não achava o que tinha acontecido com a danada. Levei pro Murate, para trocarmos algumas peças da TX dele com a minha TX e ver se descobríamos onde estava o problema. Desmontamos, observamos os o`rings... Bucha, mola... Tudo certo. Então tiramos a peça preta que vai no cilindro da TX e detectamos um o`ring estourado. Comprei outro o`ring... Troquei... Testei... Melhorou um pouco, mas ainda estava com Vo baixa e eu estava encucado com isso. Levei no Murate de novo abrimos e ele detectou que a peça estava danificada também: Entrei em contato com o Fabiano pra ver se ele conseguia essa peça pra mim, e ele me pediu o número de série da minha TX. Passei o número e ele conseguiu o conjunto peça/cilindro na garantia. O serviço pós venda da Air Arms está de parabéns e deixo aqui meus agradecimentos ao Fabiano também. *Como não queria esperar a peça chegar, o Codato conseguiu fazer a peça pra mim com o torneiro dele. A peça feita pelo torneiro também é show de bola! Agora falta testar os agrupamentos da minha tx. A Vo já voltou ao normal, está dando até um pouco mais alto (cerca de 5m/s com JSB Heavy) do que quando peguei a TX. 8) Prêmios Conquistados com a TX200 Medalhas conquistadas com essa TX200 nas competições de Field Target, desde maio de 2012 até 21/04/2013. 9. Acessórios para TX200 9.1 - Silenciador MWSS 150TX Onde adquirir: Matthew Winser - heaven1077@me.com Custo: 46 libras, com adaptador incluso. Video: http://www.youtube.com/watch?v=NZBM8Ji7Ygw https://www.youtube.com/watch?v=CIgxxC4xwt8 9.2 - Acessórios Rowan Engineering: Soleira ajustável, guarda mato, hamster, tecla do gatilho, grip da haste de acionamento: http://www.rowanengineering.com/products6.htm 9.3 - Soleira Bisley: ebay: http://www.ebay.com/itm/Bisley-Adjustable-BUTTPLATE-BUTT-RECOIL-PAD-Rubber-Alloy-Gun-/360501524678?pt=UK_SportingGoods_Hunting_ShootingSports_ET&hash=item53ef90b8c6 *Os itens acima, podem ser adquiridos com nosso colega Daniel (Netby). Tem mais segurança na entrega do que tentar importar direto. Tópico do Daniel: http://carabinasdear.com.br/caforum/index.php/topic/751-bomba-hill-moderadores-hw100-e-sak-luneta-nikko-gameking-soleiras-bisley/
  5. Boa tarde pessoal! Quero passar a você e também, deixar registrado para futuros pretendentes, quais foram minhas primeiras impressões acerca da minha nova aquisição: Air Arms TX200 MKIII DADOS Origem: Inglaterra Fabricante: Air Arms Marca: TX200 Série: MKIII Calibre: 4,5mm (.177”) Coronha: Beech com Montecarlo para atiradores destros Cano: Lothar Walther silenciado Gatilho: 2 estágios reguláveis. (peso e curso) Soleira: Borracha ventilada Comprimento: 1.050mm (1,05m.) Peso: 4,2 kg (conf. Fabricante) Site: http://www.air-arms....ucts_TX200.html Vamos lá... ACABAMENTO: Coronha: Impossível não saltar os olhos ao ver a perfeição que é o acabamento deste equipamento. Coronha magnífica, bem acabada e sem rebarbas mesmo na região interna e inferior, onde corre o braço da alavanca de armar. Zingrados padrão de todas as TX, mas não canso de olhar para ele. Bem acabado e bem saliente, permitindo uma boa empunhadura evitando escorregões. O Montecarlo casou certinho comigo, pois a maça do rosto ficou bem encaixada no mesmo. O Grip ficou bom para minha empunhadura. O dedos e a palma da mão ficaram muito bem encaixados. O comprimento também é excelente, haja vista que sou uma pessoa de grande estatura e braços longos. Partes Metálicas: Dispensa elogios. Oxidação do conjunto é a melhor e mais perfeita que já ví até hoje. E olha que trabalho e já trabalhei com “N” fornecedores de diversos tipos de acabamentos superficiais. Não observei qualquer irregularidade que desabone o produto nas partes metálicas. Encontrei uma única diferença de tonalidade na região onde existe o encontro do final do cano com o início da câmara. Nada que desmereça os elogios ao conjunto. ATIRANDO: Peso: Primeiro detalhe que se percebe é este! Bem pesada e para tiros em pé e sem apoio, são sofridos para quem não tem costume (Meu caso..rs). Carregando: Uma esfera mantem a alavanca de armar na posição fechada. Para armar, puxa-se a alavanca para baixo com certa força, vencendo a resistência que a esfera exerce para manter a alavanca na posição fechada. Achei bem duro de soltar a alavanca, mas acredito que, com o uso e pratica, tornar-se-á mais fácil. Apoia-se a coronha na coxa e puxa-se a alavanca até o limite que é percebido após ouvir 3 ‘estralos’ que indicam que a trava de segurança foi acionada corretamente e por completo. Durante esta operação, a janela que oculta a culatra abre-se, permitindo visualizar o local do municiamento. A princípio, sofri um pouco para colocar o chumbo, mas logo peguei o jeito e nem precisava mais olhar para municiar. Após isto, é necessário acionar e manter acionado o botão localizado a direita da carabina, fazendo com que libere a trava de segurança e só então é possível voltar a alavanca de armar a posição original. Uma dica de segurança importante que recebi do meu amigo Karolaza e quero compartilhar foi: Sempre segurar a alavanca de armar com uma mão enquanto estiver com os dedos dentro da câmara municiando. Por que? Imagine que por algum erro no processo de fabricação, a trava de segurança venha a falhar, fazendo com que a alavanca de armar volte a posição original, bem como a janela de municiamento. Adeus polegar e indicador! Disparando: Antes de disparar, é necessário liberar a trava de segurança do gatilho, localizada na pare traseira da carabina, no final da câmara. Após liberada é só puxar o gatilho. Atenção: Lembre-se, jamais aponte sua carabina em direção a qualquer ser vivo. Veja sempre o que existe atrás do alvo quem pretende acertar, pois o alvo pode ser transpassado pelo projétil ou simplesmente errado, acertando o que existe atrás do alvo. Maiores informações, leia: http://carabinasdear...mas-de-pressao/ Gatilho: Tenho muito a descobrir sobre ele. Primeiramente achei-o bem confortável, mas ainda não está do jeito que gosto. Temos 3 parafusos que, através deles, são possíveis regular a curso do primeiro estágio, o curso do segundo estágio e o outro que permite regular o peso do mesmo. A tecla tem boa ergonomia, mas futuramente pretendo trocar o conjunto gatilho e guarda mato (perfumaria). Veja aqui o funcionamento do gatilho da TX200: http://www.arld1.com/tx200trigger.html . Clique na primeira bolinha azul indicando o funcionamento do primeiro estágio, depois na segunda bolinha azul indicando o funcionamento do segundo estágio e o disparo. Potencia: Bem “trancuda”, confesso. Imaginei uma carabina bem suave e me enganei. Com o tempo, certamente ela ficará mais mansa, pois todo o sistema mecânico vai amaciando e encontrando a sua melhor posição, reduzindo o tranco. Realizei 3 medições da sua V0 utilizando o cronógrafo do Karolaza: JSB Exact - 4,52mm – 8,44 gr. 1º - 839 fps = 255,72 m/s 2º - 840 fps = 256,03 m/s 3º - 834 fps = 254,20 m/s Media: 837,67 fps = 255,32 m/s Fotos: Abaixo, alguns testes de agrupamento para testar qual chumbo se dá melhor: Foram dados 5 tiros, realizados a 23m, estilo BR, a noite e com leve brisa. H&N Baracuda H&N FTT BSA Elite CZ Power JSB Exact RS JSB Exact JSB Exact Express JSB Exact Heavy Pode-se concluir parcialmente que, ela se deu melhor com o JSB Exact Heavy, mas achei estranho ela ir bem também com o Express e razoável com o Exact. Estranho por que ela se deu bem com um chumbo bem pesado e em segundo lugar com um bem mais leve... Vai entender!? ----------------------------------------------------------- 17/11/2012 Atualizando com novos agrupamentos e um simulado de Benchrest: Novos agrupamentos com H&N, posição Benchrest a 23m. Como podem observar, o agrupamento com o H&N FTT mudou bastante se comparado com o primeiro realizado né? (vide acima) Atualmente ela está com aproximadamente 800~900 tiros. O conjunto já está mais amaciado, o que acredito ter colaborado para a melhora nos agrupamentos. Simulado de Bencherest utilizando H&N FTT 4,51. Computei 212 pontos e 3 X. Com esta pontuação, quebrei meu recorde de pontos na modalidade. Pode parecer uma pontuação simples para alguns amigos, mas pra mim, só eu sei o quanto caminhei pra chegar até aqui! Objetivo até o início do ano seguinte: 235 pontos. Mas para isso vou fazer algumas melhorias conforme venho conversando com o alguns amigos. Conforme for realizando-as, vou postando para enriquecer um pouco mais o post. Uma adaptação que fiz do 1º post para este foi montar 1 nível de bolha na tampinha da torre da luneta, a fim de manter a mesma posição em todos os tiros. Pessoal, foi extremamente positiva esta adaptação e confesso que vale muitíssimo a pena. ----------------------------------------------------------- 11/02/2013 Neste final de semana, aproveitando a visita do amigo Eduardo Macedo à ATASCS, aluguei-o para que fizesse uma limpeza e correta lubrificação dos componentes internos da TX200. Pequei apenas em não fotografar as etapas deste processo, mas confesso que o som da carabina mudou demaaais! Não imaginei que uma "graxinha" na mola causaria tal transformação. Nesta lubrificação foram utilizados produtos Jim Maccari, gentilmente cedidos pelo Macedo. Ou seja, não trata-se de uma simples "graxinha" e sim de lubrificantes de qualidade indiscutíveis. Finalizado o processo, após alguns tiros decepcionantes ainda no clube, resolvi guardar a carabina e jogar conversa fora. Até fiz 1 grupo bom, mas devido o efeito diesel (pouco, mas acredito que era o causador da varição dos tiros) os outros tiros me fizeram perder a paciência. Hoje desmontei-a da coronha para proteger a região que fica por dentro da coronha com Polarprot e aproveitei para deixar o gatilho um pouco mais sensível na hora do disparo. Ficou perfeito! Resolvi atirar um pouco para eliminar o mais rápido possível o efeito diesel. Montei minha mesa de boteco e joguei a tralha pra cima dela. Ficou assim: Em casa, utilizo um banquinho que ganhei do meu brother Felix para sentar. (Felix, mais uma vez, obrigado brother!!!) Alvo disposto à 21 metros: Após uns 15 tiros percebi que o diesel se foi e os tiros começaram a agrupar. Troquei o alvo utilizado para PP10m e utilizei um que o amigo Zaitsev desenvolveu/disponibilizou para nossos treinos. (http://carabinasdear.com.br/caforum/index.php/topic/2078-silhuetas-em-papel-17-x-17/) Aí o coro comeu com força!!! Resolvi fazer agrupamentos de 5 tiros por centro de alvo de Benchrest. Foi utilizado o chumbo H&N Field Target Trophy 4,51 mm. Ficou assim: Dimensionando: Show rapaziada! Fiquei muitíssimo satisfeito e afirmo que uma correta lubrificação ajuda SIM na questão conforto e precisão. Mas você deve estar se perguntando: - O que é aquele agrupamento de 15 mm no segundo alvo da terceira linha? Não é um agrupamento tão bom assim... Pois então, este agrupamento foi feito de propósito. Mas não porque eu quis realizar uma agrupamento ruim, mas sim porque utilizei chumbos amassados! Sim! H&N também tem chumbos amassados, porém, devido a possuir a saia um pouco mais dura que os demais, é menos frequente encontrar um chumbos ruins. Mas acha-se! É só procurar. Abaixo vocês podem verificar os chumbos que foram utilizados: (Desculpem pela imagem, mas foi o que deu pra fazer com o que tenho disponível...) Aqui vocês podem verificar uma sequencia de 5 chumbos bons para se realizar um agrupamento: Vê-se claramente a diferença entre os bons e os ruins. A finalidade deste agrupamento com chumbos ruins foi mostrar brevemente como é negativa a interferência de munições não selecionadas. Bom, voltemos aos bons agrupamentos... Feito estes agrupamentos, resolvi realizar um simulado de Micro Benchrest, chamado pelo Zaitsev de "Bench 9" porque só cabem 9 alvos de BR num papel 17 x 17. De 90 pontos possível, atingi 86. Todos os tiros foram conferidos utilizando o mesmo chumbo que utilizei para atirar, haja vista que não tenho um aferidor. Se, eu disse SE, mantivesse a mesma proporção de pontos X alvos chegaria a incríveis 239 pontos! (Incrível pra mim) E mais... o teste foi realizado a 21 metros. As regras do BR atualmente são 25 metros. Ou seja, nesses 4 metros a mais, muito vento pode interferir....rsrs! Alterações desde a ultima atualização: - Nova lubrificação realizada pelo Eduardo Macedo com lubrificantes Jim Maccari. - Conjunto de Sand Bag CaldWell (vide as 2 primeiras fotos desta atualização). - Afinação do gatilho, deixando-o mais sensível. - Utilização de um conjunto de mounts BKL: - Este abaixo é só um "fru-fru" como diz o pessoal. Guarda Mato em alumínio natural adquirido na Rowan Engineering (http://www.rowanengineering.com/). Em breve, mais alguns "fru-frus"...kkkkkkkk Bom pessoal.... pretendo ir ao clube amanhã (hoje) para realizar um simulado oficial (rs) de Benchrest e ver se realmente chego perto do 239 pontos conforme demonstrei acima. ----------------------------------------------------------- 12/02/2013 Hoje fui à ATASCS testar os fatos acima. Dia ensolarado, rajada de vento medianas e beeeem quente!Seguem resultados: Simulado de Benchrest a 25 metros. Resultado muito bom pra mim, mas loooooonge dos supostos 239 pontos realizados no Micro BR do dia anterior. A critério de informação do tópico, resolvi realizar alguns agrupamentos a 50 metros. Vejam no que deu: Gostei também, mas acho que dá para melhorar mais um pouco, pois fiz tiros muito displicentes e sem compromisso com o resultado. Atirei apenas compensando nos 3 dots inferiores e 2 dots da direita, pois a luneta já está zerada a 25 metros para a primeira etapa de BR de 2013. ----------------------------------------------------------- 05/05/2013 Depois de um bom tempo sem nenhuma atualização, consegui algum tempo para seguir. Nesta atualização vou apresentar uma modificação severa onde se alteram alguns dos principais componentes internos da carabina, porém, garante-lhe uma melhor precisão. Como já devem saber, potência é inversamente proporcional à precisão. Ou seja, quanto mais potência, menor a precisão. Pensando nisso, resolvi diminuir um pouco mais a potência da carabina à fim de obter melhores resultados nas provas de Benchrest. Em conversa com alguns amigos ( e ) e seguindo o conselho de ambos [Obrigado!], dentre os vários kit’s tunning disponíveis no mercado internacional (Jim Maccari, Steve Pope, Vortek, etc...), optei pelo kit V-Mach de 16 joules do bem conceituado Steve Pope. Aqui, o verso da etiqueta onde vemos os vários tipos de carabinas que se pode utilizar o Kit V-Mach: O Kit: Close nos componentes: Nos componentes temos: 2 O’rings, 5 arruelas lisas, 1 anel em Delrin, 01 Bucha, 01 dispositivo de montagem da bucha, graxa e óleo. O o-ring é utilizado no embolo do pistão, onde é feito o fechamento embolo + cano. As arruelas devem ser utilizadas no intuito de se conseguir alguns m/s a mais. O anel também serve para ganhar alguns m/s, porém, é montado no guia traseiro. O dispositivo de montagem é bem interessante, pois evita danos à nova bucha e facilita sua montagem. Veja abaixo como funciona (fonte: http://airecomprimido.webcindario.com/venon/) Detalhe da nova mola que já vem lubrificada e com seus guias dianteiros e traseiros em Delrin: Mola original (acima) e mola V-Mach (abaixo): Guias da mola em Delrin: Detalhe de ambos os guias: Traseiro (Similares, exceto pelo material utilizado em sua construção) Dianteiro (Bem menor que o original. Nesta mesma foto é possível identificar também que o comprimento da mola V-Mach é alguns milímetros menor que a original. Não cheguei a medir, mas seguramente ela possui 1 elo a menos) Segue uma primeira string utilizando chumbo H&N FTT em dois calibres diferentes: (Obrigado Willamms, por me emprestar o seu cronógrafo!) Para quem se interessar em adquirir o Kit V-Mach 16J ou Fac, seguem contatos abaixo: - Fabricante: v-mach@air-rifle-tuning.com - Distribuidor: sales@airgunbuyer.com (Contato: Mr. Lloyd) Não tenho facilidade com inglês e utilizei o Google Tradutor para me comunicar com o vendedor Lloyd. Tudo transcorreu perfeitamente. Ainda dei sorte de não ser taxado pela RF. Paguei £86,95 (na época, R$282,02) já com frete. Fiz o pagamento através do PayPal. Aqui, algumas fotos demonstrando como ela se encontra no momento: Além da alteração do kit, também realizei as seguintes modificações: - Soleira ajustável (by Rowan Engineering) - Luneta Shilba Target Pro 30, sendo 8-32X56mm. - Mount Dampa DM70. - Extensor Ocular DG. Espero que seja útil para os usuários. Abraços!
  6. Encontro Ram 06/nov/11

    Amigos, Seguem algumas fotos do RAM Clube de Silhuetas Metálicas, localizado em São Paulo. Espero que um dia possamos organizar um campeonato nacional aqui. Todos serão bem vindos.
  7. Com a instalação de um Dióptro na Challenger PCP, esta vai ficar direcionada a prática de tiro a 10 metros, sua especialidade e me ajudar no treinamento das técnicas de tiro em pé. Ainda dentro da idéia de não querer investir em uma estação de recarga, comprei uma Air Arms S200 que vou usar pra prática de Benchrest e me arriscar a dar os meus primeiros tiros em FT. Já estou tratando de comprar um adaptador para usar o engate rápido Foster nela e, assim, poder usar a bomba Benjamim que veio com a Challenger. Vão aqui então as minhas primeiras impressões. Lembrando que se alguém quiser mais detalhes, procure pelos reviews feitos pelo Horvath da CZ 200 sua co-irmã comercializada pela CZ e pelos testes do Andersonymk com a sua S200 do mesmo modelo que a minha, presumo. Visão Geral: Uma arminha pequena de apenas 910mm mas que merece um supressor melhor que este de fábrica. Este modelo de fábrica tem os trilhos para colocar uma massa de mira. No caso da S200, veio de fábrica uma massa de mira com insert para tiro com dióptro que acompanha a arma também. Mas eu não vou ficar com esse supressor. Já está vindo um adaptador para roscas 1/2 UNF e um supressor da HW100. Aí vai ficar bacana. A coronha apesar de pequena, como todo o conjunto da arma é muito prática e a pegada é bastante boa. Tem o pistol grip bem em pé do jeito que eu gosto. Detalhe da coronha eo zingrinado do pistol grip: A arma em si é um exemplo de simplicidade. O cilindro é rosqueável. Todo o conjunto é fabricado pela CZ. Ela vem como monotiro mas você pode encaixar um acessório que permite a S200 atirar como multishot ( o que é bem legal para uma arma com ferrolho ). Mas a princípio eu não vou por o acessório pois existe a tal dúvida que os carregadores multishot interferem na precisão e sendo assim deverá ficar no single shot mesmo. O cano, embora alguns confundam por causa da sua precisão (vide post do Anderson dizendo que ela briga com armas maiores), achando que é um Lothar Walther, ele é feito pela BRNO (CZ). Mas é preciso as pampas. O Cilindro é de 122cc pequeno como convém a quem quer usar bomba para encher e ainda sim ter cerca de 35 a 40 tiros bons por carga. O cilindro desta S200, como dá pra ver na foto é bem recente, fabricado em abril de 2011. O Fill Probe é igual ao das armas novas da Air Arms como a S410/510/EV2 e fica escondido sob uma tampa rosqueada na ponta do tubo. Lembrando que a AA S200 não tem manômetro na própria arma: Aqui, detalhes do ferrolho da S200. Nas posições de fechado e aberto. Existem ferrolhos feitos com outros materiais vendidos como acessórios, por exemplo, de metal escovado, de ferro, cromado, etc. O meu vai ficar este mesmo. Ferrolho fechado: Ferrolho aberto: O Gatilho é regulável. Não é match mas fica bem leve. Quase igual ao da Challenger. Tem ajuste de estágios, curso e peso. Coloquei nela uma Centerpoint 6x24x50. Vamos ver como se sai. Na próxima semana, possivelmente começo os testes com ela. No manual, recomenda-se trabalhar com pressão de 190 bar. Para uma arma de 16 joules, vai dar pra brincar bastante e tiros de 20 a 40 metros. Os chumbos separados para os primeiros testes serão os JSB de 8,4 e 10,3 grains, e o CP de 8,7 grains. Quem quer começar no PCP e quer algo diferente das Hatsans do mercado, obviamente sem ser uma Top, e preço pela casa dos R$ 2,7mil é uma opção interessante. Lembrando que a arma permite tunings como a instalação de válvula reguladora entre outros itens. A FalconArmas vende a CZ200 mas está sem estoque. A S200 pode ser encomendada nos distribuidores como Guns House, USIMP e outros importadores. UPDATE 20.11.2011 Fui na ATASCS finalmente fazer uns grupos. Fui ao clube já com as informações mais recentes do prof. Horvath de que fixar a luneta sem ser no trilho do cano melhoraria a precisão. O que eu fiz. Peguei as duas peças do mount e coloquei as duas antes das torres de ajuste de modo que a luneta ficasse sustentada somente pelo trilho que fica antes da câmara de carregar o chumbo. E lá fui eu dar uns tiros em alvos de benchrest que era o que eu tinha. Os tiros foram feitos à distância regulamentar de 23m. Fiz os grupos mas não fiquei muito satisfeito. Estava já meio sismado com a estabilidade da mesa, com o vento, sabem como é. Se você tem algum problema acaba arrumando desculpa pra tudo... Mas os grupos que fiz foram estes aqui: Esse último eu gostei: Aí eu tava meio P*** e achei que a dica do Prof. Horvath não era lá essas coisas e quis colocar a luneta como estava antes (nas fotos aí de cima) e iria simular uma prova. Botei tudo de volta, zerei a luneta com alguns tiros e fui fazer a prova... Horríveis 224! Eu na primeira vez que tinha atirado com ela tinha feito mais do que isso. Fui embora da ATASCS tão bravo que esqueci a a bomba no Clube. ( O Shinohara guardou, obrigado). Fiquei com a certeza de que a dica do Prof. Horvath tem fundamento e vale testar. E lá vou eu trocar o apoio da luneta de novo. Mas em vez de botar os dois juntos eu vou por um offset pra ver como fica. Enfim, a pequena S200 é muito gostosa de atirar. Leve, prática e precisa. Faz um certo barulho. Mas nada que o supressor da HW100 não resolva. Não vejo a hora de chegar.
×