Ir para conteúdo

ANUNCIANTES

Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada Imagem Postada

Líderes


Conteúdo Popular

Mostrando conteúdo com a maior reputação desde 19-05-2018 em todas áreas

  1. 4 pontos
    Salve, galera. Muitos meses sem entrar ... (Ui !!!) Na 2a. metade de 2017 minha saúde deteriorou e fui parar numa sala de cirurgia para um recall no coração (4 safenas), ao final de novembro/2017. 17 dias depois tive alta, indo para casa. Mas 1 semana após tive um problema de retensão de líquidos e acabei voltando para a UTI do Prontocor, ficando de molho mais 21 dias, além de + 5 dias de "bonus track" em enfermaria. Isto posto, Natal e Reveillon foram dentro de uma UTI... Depois foram + 3 meses de castigo em casa. Ainda não tive coragem de voltar aos tiros. O parkinson na mão esquerda aumentou um pouco. Imagina uma crise num estande. Você mira no seu alvo e acerta no alvo do atirador do lado. Você faz um "1" no alvo do colega ao lado e k-ga o resultado dele... 😂 Well, percebi que o forum evoluiu bastante e agora aceita arquivo excel. Assim, segue o arquivo antes postado lá de cima, e que foi extirpado (sem aviso, inclusive) pelo 4shared. Abraços a todos... Conversor 2.xlsx
  2. 3 pontos
    Repartindo o aprendizado.. Coloquei a questão genérica de "QE + supressor..?" em um fórum dos EUA. Dois caras experientes - NÃO recomendam! Em geral, o alinhamento entre a shroud (QE) e o cano nunca é 'perfeito'. Portanto, como o supressor seria colocado na ponta da shroud, aumentando o comprimento, haveria a tendência do chumbinho resvalar no supressor ("clipping"). Quando eles querem deixar uma PCP 'QE' mais silenciosa, retiram a shroud original e substituem por um supressor de boa qualidade.
  3. 2 pontos
    Boa noite pessoal! Hoje instalei a mola gás ram Dematek 40Kg na minha CFX e fiz a cronografagem de alguns chumbinhos. Carabina: Gamo CFX 4.5mm Mola: gás ram Dematek 40Kg Êmbolo: original com bucha de PU da QuickShot Tambor: original com o'rings originais 7 disparos, chumbinhos direto da lata Gamo CFX - 4.5mm - gás ram Dematek 40 Kg + bucha PU Quick Shot + o'rings tambor e êmbolo originais - 10/06/2018 Chumbinho Peso VO - m/s - min VO - m/s - méd VO - m/s - máx J (média) Rifle Round 0,54 216 224 231,4 13,5 AA Diabolo Field 0,547 217,3 224,4 229,3 13,8 JSB Exact 0,547 221 223,9 227,2 13,7 Rifle Pointed 0,63 183,1 188,7 196,8 11,2 AA Diabolo Field Heavy 0,67 178,5 181,9 185,1 11,1 JSB Exact Heavy 0,67 177,9 181,3 183,8 11,0 Cronógrafo AcTech 6000
  4. 2 pontos
    João, tentando "ilustrar" o que já foi dito e bem, nos posts anteriores, cito uma frase de um amigo pescador e comerciante de varas: "não adianta dizer que se deve iniciar com um equipamento básico, se a pessoa quer comprar o top; também não adianta dizer que o top é melhor, se a pessoa só pode comprar o básico"; ipsis litteris" - se a decisão já está tomada ou a condição não permite, a escolha se torna um filme de terror quando se procura e obtém outras informações. Foram bem lembradas as situações de adaptações ou não com essa ou aquela carabina e, nas entrelinhas, por vezes deixamos nossas predileções. De tudo, o mais importante é que nada chega pronto, mesmo alguns expoentes e certamente a nomenclatura do seu post, com armas de mola é para poucos e poucas carabinas; o conjunto tem de estar "alinhado e bem casado". Relaxe (se é que é possível😛🙃), compre e esqueça um pouco o que vai ser, pois isso você só saberá com a peça na mão... Boa escolha
  5. 2 pontos
    Bom dia Vamos la, particularmente quando busco uma carabina vejo a minha necessidade e materiais da contrução. Não curto carabina de polimero, (unica q gosto de polimeto seria a 125 sniper), entao entre fusion galaxy e a do rodrigo (fenix) vou da fenix, como o peretti citou acima armas iguais com umas frescuras a mais na fusion. Agora vamos falar em força, a sag ar1000 alcança com facilidade e chumbo 1gr os 230 declarado (nao tive a R de polímero, não acho massa a coronha vazada), cometa fenix não passa de 220 m/s, cfx no 5.5 nao alcança 210, a hatsan mais forte q acompanhei foi a 135 do peretti q salvo engano deu 256 com chumbo de 1 gr, entao das citadas vai de uma opção sua. Tanto o Antonio como o Rodrigo falaram fa parte crucial das armas de ar, seria precisão e potencia, se busca um grande impacto e não gostaria de ir pra pcp, va de hatsan 125, 135, 150, webley patriot, gamo hunter 1250, porem muito complicado voce dominar ela e instalar luneta. Se quer uma arma relativamente forte e com uma otima precisão va de cometa Se quer uma pitada a mais de potencia e um pouco menos precisão va de sag ar1000, hatsan 95 Mais faceis de instalar luneta tb. Agora se quer uma pancada la no alvo a 50 metros e acertar sempre (com uma boa luneta e treino e obvio) vai de PCP Desculpa colocar mais indecisão na escolha; Obs: Voce nao vai morrer com a arma, compra uma se nao te agradar vende e compra outra e assim vai para conhecer. Grande abraço Francis Inclusive, cata um numero da rifa da m16 do Chefe macedo, ai estava perfeitamente bem servido!
  6. 2 pontos
    Jõao, potência para acertar algo a 40, 50 mts e derrubar é para magnum e pcp. O problema é que para acertar ( ESSE ALGO ) a 50 mts vai ser necessário um equipamento ótico de boa qualidade que provavelmente custa o preço da arma. O segundo problema é que o recuo e vibração da magnum vai destruir sua luneta , entendeu o paradoxo. Teoricamente as magnuns foram produzidas para tiros longos e potentes, para tiros longos precisamos de mira ótica , mas o recuo e vibração das magnuns destroem qualquer luneta. Então tem duas opções, pega uma carabina de alta potência ou uma pcp. Furar papel e latinhas é muito simples a 50 mts, mas você quer outra coisa e eu acredito que vai ficar decepcionado. Diminua sua distância para 25 mts que vai ter bons resultados.
  7. 2 pontos
    João....Potencia e precisão não andam de mãos dadas, se vc quer uma carabina de mola bem potente, pode se conformar com uma precisão mediana para ruim, ainda mais a grandes distancias.....Potencia e precisão só as PCPs podem lhe entregar bons resultados a longa distancia......Para tiros longos o ideal é se ter uma carabina bem equilibrada, pois de nada adianta se ter um canhão nas mãos e não acertar nada, carabinas 5.5 que pode lhe entregar uma boa precisão a 50 metros a um custo não tão alto são as seguintes, CFX, Cometa fenix, Fusion,Sag ar1000 e ht 95, não incluo a ht 80 entre as citadas apenas pelos inúmeros problemas em sua coronha de polímero, mas não se esqueça que para se obter bons resultados com elas a longas distancias sera necessário mexer nelas para deixa-las equilibradas, (muita das vezes sera necessário tirar um pouco de sua potencia)nenhuma carabina vem pronta de fabrica, eu tenho uma hw97k que para ficar boa me deu uma baita dor de cabeça, tive que reduzir quase 20% de sua potencia. Para voce ter uma idéia uma CFX 5.5 possui uma VO de +-180 metros por segundo com gr de 45kg e ja faz um bom estrago a 50 metros...esqueça este lance de FPS e escolha a que mais lhe agradar.
  8. 1 ponto
    Boa Tarde Srs, hoje lhes trago um breve review dessa pequena que chegou pra mim há alguns dias, a PR900W em 5.5mm. Essa minha é timbrada Artemis mas sabemos que é mundialmente exportada pela SPA sobre diversas marcas, até a Diana comercializa essa pequena como "Diana Stormrider". Ela vem numa caixa simples de papelão e ao abrir-mos encontramos um isolamento muito bom em isopor, a carabina e um manual simples mas bem completo e em vários idiomas. Acompanham a carabina o maganize monoshot, 1 de 7 tiros (9 se for no 4.5) estilo o da Marauder, o fillprobe (já com foster) e um kit de orings de reposição. Essa minha peguei com mais 2 mags reserva. Ela tem exatos 98cm de comprimento total e pesa pouco mais de 2kg, é muito leve e equilibrada e o ponto de equilíbrio é exatamente a frente do guarda mato. A coronha é de faia (beech) e me lembrou muito a coronha da minha ex HW50, possui cheek rest e ferrolho lateral para destros mas a coronha não impede o uso pra canhotos. Um diferencial dela é que possui miras abertas e o muzzle também é um moderador de som (não muito eficiente, diga-se de passagem)... Outra coisa que me chamou a atenção é que ela uma carabina "raiz", 99.8% é metal e madeira e a trava de segurança NÃO É AUTOMÁTICA. Aqui uma visão geral da carabina: Ela não é regulada, possui manômetro com escala por cores na parte de baixo próximo ao guarda mato e a pressão máxima de trabalho é de 200bar conforme marcado no cilindro. Uma coisa que se comenta internet afora tanto em vídeos como em grupos de Whatsapp é que o gatilho dela não é regulável e isso É UMA GRANDE BALELA. O gatilho dela não só é regulável como muito simples de mexer, só temos que separar a mecânica da coronha pra poder regular e mais nada... Pra separar a mecânica da coronha precisamos soltar 3 parafusos allen, 2 de 3mm e um de 4mm que ficam na parte de baixo da coronha Aqui a mecânica separada da coronha, já aproveitamos pra dar uma conferia no acabamento da parte interna da coronha também Como podem ver é muito bem feita e sem rebarbas, tanto a coronha como na parte mecânica. Os parafusos são todos de comprimentos diferentes mas com a mesma bitola e suas medidas são: Parafuso menor (da frente), vai no suporte 8 do cano, 27.70mm de comprimento Parafuso do meio, vai logo depois do manômetro, 32.67mm de comprimento. Esses 2 usam chave 3mm Parafuso maior (39.84mm de comprimento), vai no guarda mato e é o que usa chave 4mm Todos tem os mesmos 4.9mm de diâmetro na parte da rosca Agora vamos ao grupo de gatilho, muito simples e fácil de mexer... Para desmontar ele do corpo da carabina precisamos de um saca pino bem fininho ou um artefato com ponta fina, eu usei um palito de dentes... O que encontramos são a tecla do gatilho, uma peça em z e uma molinha, essa última responsável pelo peso e retorno do gatilho. Mas fiquem espertos, todas as peças são muito pequenas, logo são fáceis de perder... Derrubar alguma coisa no chão vai complicar bastante sua vida na hora de achar... Os 3 pinos são iguais e cilíndricos, logo não tem posição certa e vão encaixar em qualquer uma das posições. Eles se mantém no lugar apenas pela pressão daquela molinha e tem as seguintes medidas: Olhando mais de perto a tecla do gatilho encontramos um parafusinho bem pequeno, essa é a regulagem dele Pra mexer nele precisa de uma chave allen de 1½mm e tem as seguintes dimensões: O gatilho é de um único estágio, e soltando ou apertando esse parafusinho conseguimos deixar o curso mais longo ou mais curto. Soltei o dito cujo 1½mm pra fora e ele ficou infinitamente melhor que de fábrica sem ficar inseguro. Pra mudar o peso dele temos que trocar a molinha, que tem as seguintes dimensões: Eu pensei em substituí-la por uma molinha de caneta que é infinitamente mais leve mas essa mola fica alojada em dois furinhos, um na pecinha em z e outro na caixa de gatilho que é fixa na carabina Então teríamos duas opções: * Fazer uma espécie de guia que fique nesses furinhos e mantenham a molinha de caneta fixa no lugar da original * Achar outro "doador" de molas Pensando um pouco nas medidas e peso da mola original acho que um doador ideal pra essa mola seria aqueles isqueiros (avio) de plástico translúcido que se encontram nos camelôs... Como eles não valem nada mesmo (se derrubar se desmontam sozinhos) e são bem baratinhos acho que vai dar certinho... Porém não devemos nos esquecer que se aliviar demais essa mola provavelmente ficaremos com um gatilho inseguro, isso se ele conseguir armar o martelo pra disparar a carabina. Outra coisa que deve ser mencionada é que a molinha de caneta é mais comprida e mais larga que a original, mas ainda fica dentro da largura da pecinha em z e da caixa de gatilho, pelas dimensões dela acho que uma guia que segure tudo no lugar teria um tamanho inapropriado pra funcionar a contento e com segurança. Na minha opinião acho até desnecessário a substituição dela pois após a regulagem do parafuso o gatilho fica um click praticamente, "relou, atirou", simples assim. Mesmo com a regulagem de fábrica ele não é absurdamente pesado, o peso dele se assemelha ao da B19 original mas muito melhor porque não tem arrasto. Em outras palavras: é pesadinho mas é macio, regulado fica ótimo. Tenho strings completas dela já e pro cilindrinho que tem está com uma boa autonomia, só eu virar a luta com o Excel e vem tudo pro tópico... Devo confessar que até agora ele me bateu bastante mas a luta está nos finalmentes e eu vou ganhar, só cansar ele mais um pouco... Era o que eu tinha pra hoje gurizada, forte abraço!! ============================================================ Atualização 01/12/2017 Bom dia gurizada, como anteriormente relatado minha luta com o Excel estava no final... Venho lhes informar que consegui virar o jogo e ganhei a luta!! As strings que seguem são todas de 200 a 100bar e temos apenas 56 tiros nessa faixa de pressão, isso dá 8 magazines completos, que pro cilindrinho de aproximadamente 100cc que ela tem é uma ótima autonomia. Vamos por ordem de peso e que coincidentemente também foi a ordem em que foram feitas.... Por 1º temos JSB Exact de 15.89Gr que rendeu 21.29J de energia Em 2º temos H&N FTT de 14.66Gr que rendeu 18.62J de energia Em 3º temos JSB Exact Express de 14.35Gr que rendeu 15.55J de energia E a última do dia foi com H&N Sniper Light de 14Gr que rendeu 10.08J de energia Como podemos constatar através das strings e dos gráficos ela original de fábrica não é das mais potentes e constantes que encontramos por aí... Inclusive eu esperava um pouco mais de potência dela mas quando comecei as strings e vi a quantidade de tiros já suspeitei que isso aconteceria pois como sabemos pra conseguir mais potência precisamos de mais ar empurrando o chumbo. O que acontece é o seguinte: em algumas versões vendidas lá fora ela vem com 2 transferport, um minúsculo de nylon com 1.2mm e um de latão com 3.2mm de diâmetro de passagem pro ar e isso interfere diretamente na potência e um pouco na autonomia. Temos por exemplo disso as AirArms S410/510 que tem regulagem de potência por um estrangulamento no transferport e quando reduzida a potência tem um leve aumento na autonomia. Acredito que essa minha esteja com esse transferport minúsculo de nylon, mas só vou ter certeza disso quando desmontar ela toda. Então o que pretendo fazer a seguir é testar a precisão dela a 15 e 25M assim como está, toda original de fábrica, e depois partiremos para o acerto da bichinha (sem homofobia nesse comentário)... Assim vamos conseguir quantificar o que melhora e quanto melhora quando ela estiver do tipo que eu quero. Apesar da demora o 13º está na conta e acho que vai dar pra desviar uns pila ($$) pra fazer alguns transferport com diâmetros de passagem variados no torneiro, é uma peça simples de ser feita então não deve ser muito caro. Vou aproveitar para esse fim uns tarugos de bronze que me foram presenteados pelo amigo Marcelo Leko que queria que eu os fizesse de alvo. Agora eles terão uma missão mais nobre: Deixar a chinesinha Chun-Li (sim, já foi batizada) BOA DE PORRADA também e não só pequena, bonita e gostosa... Minha idéia com ela é fazer as mesmas atividades que fazia com a Turca mas com uma carabina que minha Excelentíssima Sra conseguisse usar também, portanto a mesma faixa de potência (ou maior) é a desejada, claro que com uma autonomia decente (30-35 Tiros por carga). Os outros requisitos já foram cumpridos, que era ser curta, leve e tão gostosa de usar como a Turca era. Era o que eu tinha pra hoje Srs, forte abraço!! =============================================== Atualização 03/03/18 Bom dia Srs, depois de um bom tempo sem atualizações no tópico, aqui estamos novamente. Isso deveu-se a alguns problemas pessoais e falta de tempo, se ganhasse R$1,00 cada vez que comecei escrever essa atualização e tive que abandonar sem terminar quase teria verba pra pegar uma Boito Urutu Os dados aqui apresentados foram coletados dia 19/12/2017 e algumas coisas já mudaram novamente, então o objetivo aqui hoje é apenas fazer um relato do que foi feito, como foi feito e os próximos passos a serem dados para que fique registrado. Dessa vez desmontamos a carabina para tirar o Trasfer Port (adiante denominado apenas TP), coletar as medidas para os novos TP que serão feitas no torneiro e levar o cano para fazer alguns acertos também. O que acontece é o seguinte: Ao empurrar o ferrolho pra frente pra municiar a carabina ele não fecha totalmente, sendo necessário uma batida atrás dele pra conseguir fechar e travar. Não relatei isso anteriormente porque no correr da minha pesquisa encontrei relatos desse mesmo problema que foram resolvidos apenas com uma regulagem nos parafusos do magazine que era o que interferia na ciclagem (infelizmente não foi o meu caso...) e como eu ainda não tinha feito a tal regulagem acreditei que seria coisa simples de resolver e tão logo estivesse pronto viria as informações do defeito e solução pro tópico. Mas como disse-nos a história de Joseph Klimber: -"A vida é uma caixinha de surpresas"... Vamos separar o bloco com o cano do restante da carabina e assim teremos acesso ao TP pra pegar as medidas da peça original , depois vamos retirar o cano do bloco pra fazer os ajustes necessários. Começamos a desmontagem da carabina retirando a mecânica da coronha como anteriormente descrito: Na intenção de não perder a posição do muzzle fiz uma marcação com fita crepe Então, soltamos o parafuso do muzzle / supressor Ao retirar o muzzle / supressor encontramos um rebaixo no cano e uma espécie de canal pra oring que não vejo outra função que não acomodar o parafuso que segura o muzzle. Em seguida, pra retirar o barrel band precisamos afrouxar (ou retirar) um parafuso alen, esse usa uma chave 2½mm E tem as medidas de: Comprimento: 19.1mm Diâmetro: 2.89mm Então é só deslizar o barrel band pra fora do cano: E lá se foi a marcação porque a fita interferia na retirada... Fora o barrel band ainda tem 2 parafusos que nos impedem de separar o conjunto bloco / cano do restante da carabina, um fica no bloco do lado do imã que segura o magazine e o outro fica atrás do sistema de gatilho e também segura todo o conjunto da mola do martelo. O parafuso do lado do imã é bem pequeno, usa uma chave alen 2mm e tem as medidas: Comprimento total: 4.95mm Diâmetro da rosca: 2.94mm Diâmetro da cabeça: 5.87mm O parafuso que vai atrás do conjunto de gatilho é bem maior, usa uma chave 2.5mm e tem as medidas: Comprimento total: 31.02mm Diâmetro: 3.94mm Lembrem que esse parafuso também segura todo o conjunto da mola do martelo, que exerce uma pressão sobre ele e deve ser contida pra que não saia tudo voando. Ao retira-lo basta exercer uma leve pressão na peça que esse parafuso segura (que eu chamarei de culatra) pra evitar que tudo saia voando, aliviar a pressão e facilitar a retirada do mesmo. E já que é necessário desmontar isso tudo pra separar o bloco / cano do restante da mecânica vamos aproveitar e pegar algumas medidas. A culatra tem 18mm de diâmetro por 12mm de altura, possui um rebaixo no centro e um furo passante onde entra o parafuso que acabamos de retirar A culatra trabalha junto com uma guia pra evitar que a mola do martelo trabalhe torta como acontece no caso da Kalibrgun Cricket e essa guia vai encaixada no rebaixo no centro da culatra A guia tem as seguintes dimensões: Comprimento total: 32.13mm Diâmetro maior (cabeça): 09.70mm Diâmetro menor (corpo): 07.45mm E por fim temos a mola do martelo, que tem as seguintes dimensões: Comprimento total: 88.53mm Diâmetro externo: 9.77mm Diâmetro interno: 7.81mm Espessura do arame: 0.97mm Retirando isso enfim conseguimos separar o conjunto bloco / cano do restante da mecânica da carabina Deixemos isso um pouco de lado afim de não deixar a informação segmentada e voltemos ao conjunto do martelo / mola por alguns instantes. como podem reparar, pra desmontarmos todo esse conjunto ainda falta retirar-mos o martelo, que ficou na carabina por não ser necessário sua retirada pra separar o conjunto bloco / cano do restante da mecânica. O que segura o martelo ali dentro é o parafuso em que o ferrolho se apoia pra comprimir a mola quando manobramos o ferrolho e travar o martelo na peça em Z do conjunto de gatilho, deixando assim a carabina armada. Nesse parafuso encontra-se uma espécie de arruela larga, um rolete, que faz a função de um rolamento diminuindo o atrito desse movimento. Retirando esse parafuso podemos retirar o martelo, e assim terminamos de desmontar o conjunto martelo / mola que tem 105.63mm de comprimento total Vou ficar devendo o peso do martelo porque excede o peso máximo da única balança que eu tenho aqui, que é a de pesar chumbo... Agora voltemos ao conjunto bloco / cano e o TP Ao separar esse conjunto do restante da carabina temos acesso ao TP Aqui temos eles mais de perto: Pra retirar-mos o TP do seu lugar encaixado na válvula de exaustão é necessário esvaziar o cilindro, pra isso basta afrouxar um pouco o manômetro até que o ar comece a sair LENTAMENTE. Soltar todo a manômetro e liberar o ar de uma vez vai gerar uma variação grande de temperatura que normalmente não é benéfico aos orings que vedam o sistema, é pelo mesmo motivo que devemos encher o cilindro lentamente também. Pra afrouxar o manômetro precisaremos de uma chave de boca das seguintes medidas: Chave 19mm se for soltar o manômetro em si ou uma chave 14mm se for soltar pelo extensor Como eu estava sem chave de boca usei um pouco de "persuasão", uma chave de bomba d'água e um pedaço de borracha pra proteger o manômetro Depois de esvaziar o cilindro é só tirar o TP com a mão, cuidado pra não perder os 2 orings que vedam, um em cima e um embaixo. As medidas no TP são: Altura total: 07.43mm Diâmetro maior (meio): 9.92mm DIâmetro menor (nos rebaixos): 06.03mm E agora a parte que será mudado nas peças novas pra aumentar a potência, diâmetro do furo de passagem: 3½mm Ainda tem mais coisas pra adicionar porém o tempo hoje acabou... Assim que possível eu retorno pra continuar. Abraço!! ======================= 22/04/18 Dando continuidade ao relato da mexida em Dezembro, agora vamos falar do cano, suas medidas, como era e o que foi feito. O cano tem um tamanho total de 48cm, falta um "fiapinho" pra dar 19 polegadas Aqui no detalhe o final da medida pra não deixar dúvidas: Tem 12mm de diâmetro externo (11.99 pra ser bem exato) Apresenta 2 rebaixos, um em cada ponta do cano, ambos com 10mm de diâmetro externo Vamos falar primeiramente do rebaixo na ponta do lado do muzzle, onde temos a coroa do cano, onde temos: Aproximadamente 3½cm de comprimento total Vê-se que ele tem um outro rebaixo, como se fosse um canal pra oring porém não vai (ou não veio) nada ali. Apenas pra fins de registro ele tem pouco mais de 3mm de comprimento E a borda externa fica a 17mm da boca do cano E pra terminar essa ponta temos a coroa do cano, que é relativamente bem acabada até Aqui uma foto onde podemos ver o raiamento, que é destrogiro (giro a direita) Agora vamos falar da ponta do cano do lado bloco, onde temos a culatra que é justamente o que teve que ser modificado. Esse rebaixo tem pouco mais de 19½mm de comprimento, apresenta 2 canais pra oring e o furo de passagem do ar que vem do TP Furo esse que assim como o TP original tem 3½mm de diâmetro (3.46 pra ser bem exato) E aqui temos a culatra (que foi a razão da minha dor de cabeça e foi modificada) e também um canal pro oring que veda no probe que empurra o chumbo Agora de um outro ângulo onde podemos ver melhor o problema que a minha apresentou Notem que não há profundidade suficiente pra acomodar um chumbo ali, o que fazia com que o chumbo pegasse direto nas raias e não deixasse o ferrolho fechar por completo. Isso fazia com que fosse necessário a batida atrás do ferrolho pra conseguir fechar totalmente, o que fazia o chumbo ficar desse jeito Dessa forma, a 15m ainda conseguia colocar os tiros dentro de um alvo adesivo da rifle (Namoska), que tem 6cm de diâmetro, porém não foram feitas imagens... Pra resolver isso entrou em ação o torneiro, levei pra ele o bloco completo com ferrolho e o cano pra que que fosse desbastado as raias até que um Polimag (chumbo mais comprido que tenho aqui) entrasse e o ferrolho fechasse totalmente como deveria ser. O serviço foi feito, a carabina cicla perfeitamente como deveria tanto no mono como no multishot, os TPs novos foram feitos e os testes seguiram, porém não foram feitas mais fotos pois já montei ela com um dos TP maiores e me dediquei aos testes de cronógrafo. Já tenho dados coletados com os TPs de 4 e 4½mm e já vou abrir o tópico do acerto dela. Assim que for feito vem o link pra cá também. Nesse tópico ainda vem novas strings com o TP original porque agora ela tem uma CURVA DE POTÊNCIA e não uma linha errática como anteriormente e enfim testes de agrupamento com o TP original, daí pra frente passamos pra fase de ajuste fino que vai tudo pro tópico do acerto dela. Vou providenciar fotos do trabalho do cano também pra que pelo menos fique ilustrado o que foi feito, posso adiantar também que tenho uma reguladora HUMA pra ela aqui no Brasil já só esperando os trâmites finais pra ser instalada. Peço desculpas por ter decepcionado vocês com tanta demora acerca dos dados, tenho me esforçado pra arrumar tempo mas esse início de ano está de branquear os cabelos com tanta incomodação e correria. Peço um pouco de paciência porque esse tópico vai ser tipo a Justiça Divina, demora, mas não falha... Forte abraço gurizada!! TÓPICO EM CONSTRUÇÃO
  9. 1 ponto
    Amigo Zaitsev , pronto restabelecimento e saúde são os votos da turma do Excursões de Aventuras ...... Conselheiro Zait , a tua leitura e opiniões sobre a despretenciosa matéria publicada sob o título de Adaptação das Técnicas de Tiro de Precisão para o Tira com Carabinas de Ar 10 metros . Abraço .
  10. 1 ponto
    A Crosman 2240 admite muitas customisações, inclusive ter sua potencia aumentada, ser transformada em PCP e tb virar uma carabina. Admite o uso de vários tipos de chumbinhos, costumo dizer que ela cospe todo tipo de chumbinho calibre 5.5 que entra nela.....rs
  11. 1 ponto
    Olá Pedro. Creio que posso afirmar que você começou com o pé direito: a CFX é uma baita carabina em termos de precisão. Também uso óleo Singer nas partes oxidadas de minha arma. Apenas tenho cuidado de passá-lo suavemente na superfície para evitar desgaste por abrasão. A intenção é de apenas criar uma fina película de proteção. Quando sei que vou passar um pouco mais de tempo sem usá-la, uso Corrosion-X. Quanto ao silicone spray, tenha cuidado para não permitir que um "excesso" vaze para o cano. A presença de qualquer lubrificante no cano permite variação na velocidade dos chumbos, o que altera sua trajetória e consequentemente o ponto de impacto (POI).Eu uso graxa de silicone no tambor de minha CFX. Pouquíssima, por sinal. NÃO USE kit de limpeza do cano se o mesmo for o de escovas em varetas. A melhor característica de uma carabina de ar, inclusive a CFX, é a precisão da usinagem das raias de seu cano, e o uso desses kits compromete essa precisão. Para limpeza, é preferível passar um pequeno "tufo" de algodão pelo cano, arrastado por um laço de linha de nylon. Mais ou menos assim : Quanto às dicas de técnicas de tiro, dá uma lida aqui: Espero ter ajudado.
  12. 1 ponto
    Cumpadis , em homenage docêis nóis arresolveu adiantá o nosso segredo qui nói vai fazê prá rancá as croba du povo enfeminado . Nóis vai cruzá duas idéia que já tem delas fêtchas . Cuita só , nóis vai pegá daquelis apareio di choque prá rancá minhoca i um daquelis di dá choque nus boi prá mode fazê elis si alevantá indrento dus caminhão . Cuma os choque são desigualado , um é fraquim i o ôtro é muitcho forti , nóis vai usá daquelis qui dá choqui nus preso nus pau de arara . U bão é qui elis já vem cum uma manivelinha qui ái de servi prá carculá os choqui . U restu vai sê mais fáci . Nóis vai chegá sondando lá na Ala Gay i quano nóis vê qui tem arguma croba ofendeno argum rapaiz , nóis vai encostá o aparêio nela i sentá a manivela . Adispois nóis conta o sucedido ..
  13. 1 ponto
    Cumpadi Conseiêro Alemão Fritz , o Violêro-Chefi , é pur demais de sastifatório di falá cocê . Nóis tava falano dum modo novo de tirá as croba , sem ofendê us enfeminado i as croba . A tua idéias , di jogá uma muié intêra pelada nu meio da bagunça dos viado , já foi bem estudada i nóis considerêmo ela ingual aquela bombona qui us mericano jogarno nus japoneis .Pódi contecê di tê muntchas morti . Nóis aina num sabe u qui vai acontecê si as croba for rancada duma veis i si alguma croba mais assanhada arresolvê ofendê a muié .
  14. 1 ponto
    Putz! Errei lá em cima, é a B15 mesmo! KKK! E passei a informação errada para o Jorge, mas ele me informou o telefone , vou ligar para a loja!
  15. 1 ponto
    Aqui está tudo em ordem, Fagner. Duas provas de 10m, uma 4,5 e outra 5,5, ambas exibindo as imagens normalmente.
  16. 1 ponto
    É verdade, porém o gas da IGT é de 58kg, ao passo que esse gas ram da quick shot é de 50kg e o gas da elite é de aproximadamente 47kg. Tá na média.
  17. 1 ponto
    Resumindo o gr de 50kg da quick shot é um pouco mais forte do que o gás de 45kg da elite.
  18. 1 ponto
    Fala Orlando! Eu fiz um enxerto com um copinho de alumínio, pois o furo original estava já bem "arregaçado". Parecido com esse abaixo; Bem no parafuso frontal da ação, na parte de baixo do fuste.
  19. 1 ponto
    CUMPADI VANDERLICE ------ Parece que acoisa tá di trais prá frenti . Tá tudo no revestréis , quano ocê acha qui é , num é . I quano ocê acha qui num é , aí é que é . . Tumém nóis si adiverti . Óia só cumpadis , pur aquí é um luga qui num tem em ninhum ôtro lugá , pur mais longi qui chejá . Adondi é qui tem vacina prá tomá adispôis qui u cabra já teve a duença ? Agora vem us disgoverno cum as idéia que a Petrobrais num pode tê prejuízo . Nóis du povão pode ter prejuízo i a Pedrobrais num pode ter menos lucro . Sei não , devi de sê us causo di mandá chamà o tar du Padre Quevedo , quem sabe ele arresólve us causo .
  20. 1 ponto
    Boa noite, não tenho muita experiência em pcp e queria uma pr900w, mas aqui não tenho como encher o cilindro, será que da para encher ela de boa com a bomba?
  21. 1 ponto
    Cataria uma Gamo 440 4.5 usada, ou entao uma Sag ar1000 5.5 com mola original ou até com gr de 50!!
  22. 1 ponto
    DÈJÁ VU ---- A história se repete , lamentavelmente a nossa só repete as coisas ruins . Todo final de governo o desespero para fazer dinheiro é crônico , vendem de tudo , acredito que até a mãe deles tem preço . Qual o verdadeiro motivo pelo qual o maracutaia-chefe deixa de ser candidato e lança , no seu lugar , um rato véio sem compromisso com o povo ? Eles estâo pensando que estâo enganando alguém . Mi engana qui eu gosto !
  23. 1 ponto
    Claro que pode comprar uma arma de mola. As carabinas mais tops do mundo são de mola ainda. O que pode incomodar é a vibração que é possível resolver com encamisamento. Mola não é problema nenhum, inclusive tem kits de competição com mola, enquanto tambem tem kits de competição com gasram, ambos pra mesma arma. Tem muito material bom pra olhar os prós e contras entre mola e GR.
  24. 1 ponto
    Infelizmente no tiro na maioria das vezes o desempenho vem atrelado ao preço, seja no valor base da arma ou da arma+modificações necessárias. As hatsan de mola nunca foram referência de precisão. Cuidado pra não apertar demais o bolso e acabar com uma carabina que não te atende. Meu caso: Tinha uma B19s 4.5, instalei gasram 40kg, gatilho, embolo, muzzle com airstriper (que é discutivel, mas era esteticamente agradavel). Levei 4 anos pra modificar tudo que queria, não tinha recursos na época. Aí vi a Hastan Striker Edge 5.5, li a descrição, endoidei. Vi videos no youtube furando panela de pressão, perdi a cabeça. Vendi a B19s toda mexida e com a luneta (ja que o combo da hatsan vinha com uma tambem). Cara, uma porrada, gasram 60kg da rossi. O porém? Valor dos chumbos, dava metade dos tiros que antes. Precisão terrível, nem a mira aberta estava parando. A luneta? tive que comprar o mount único reforçado, peso pra armar que não tinha na outra. Gastei nela praticamente o mesmo que a B19s e não me satisfez de forma alguma. Só de pensar que ia ter que comprar OUTRO gasram, OUTRO gatilho, meu Deus, não deu. Pior da história? vendi a hatsan e tentei comprar a b19. Quem disse que consegui ela de volta? É.... fui pular a cerca com uma turca e perdi minha chinesinha
  25. 1 ponto
    Amigo, comprei uma no dia 02/03, também veio com um pequeno vazamento, muito pouco, no manômetro, esvaziei, aumentei o vazamento d ela soltando um pouco o manômetro e constatei ser vedante químico, que secou, substitui por fita teflon, aquela branca que se usa em encanamentos, atarraxei, não todo parafuso, deixei 2mm com rosca de fora, senão o manômetro não marca, e éla ficou chou, muito potente e precisa, apesar da força; 2cm a 2.5m em 30m com luneta Niko g. crow 4-32 e chumbo jsb 18.13gr. Excelente carabina, não aceita muito bem o supressor, pois como sumatra e outras iguais, a injeção do ar não se dá por pistão dentro do cano vedado por oring, e sim no magazine com saída, mínima, de ar e som em ambos os lados d mesmo.






























Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear

Carabinasdear



×